FOTO CAPA

EMPATE NÃO FOI RUIM, MAS NÃO SERVIU

Publicado às 11h15 desta segunda-feira, 14 de outubro de 2019.
O Santos ficou um pouco mais longe na caça ao Flamengo pela primeira colocação. Em uma partida com três gols anulados, dois deles com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR) e com poucas lances de emoção ao torcedor, Internacional e Santos empataram em 0 a 0, neste domingo, na Arena Beira-Rio, em partida válida pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O empate sem gols no sul do país custou  a vice-liderança ao Peixe. Com a vitória do Palmeiras, que, no sábado (12), venceu o Botafogo no Pacaembu, o time da capital foi a 50 pontos e o alvinegro foi apenas a 48. A diferença para o líder Flamengo (58) que voltou a vencer na rodada, aumentou ainda mais: agora são 10 pontos.

Com cinco desfalques, Sampaoli resolveu mexer de novo no time. Luan Peres reapareceu pelo lado esquerdo da defesa improvisado, assim como Ferraz voltou ao time na vaga de Para. Jorge começou o duelo improvisado como meio-campista.

Apesar do placar ter terminado em branco, as metas dos goleiros foram vazadas três vezes, mas em todas elas, os gols foram anulados por impedimento. No primeiro minuto de jogo Tailson marcou para o Santos e o árbitro invalidou o lance sem auxílio do árbitro de vídeo.

Depois, no segundo tempo, o Inter marcou com Edenilson após falha do goleiro Everson e Guilherme Parede, em bela conclusão, encobrindo o guarda-rede santista, mas em ambas, o árbitro recorreu ao VAR e anulou os dois lances.

O Santos até fez um primeiro tempo razoável e um pouco melhor que os donos da casa.  Além do gol de Taílson, o Glorioso da Vila teve outras duas chances com Jorge e Marinho.

Na etapa complementar, o Colorado foi melhor. As alterações de Sampaoli colaboraram pra isso. Neilton, ex-Santos botou uma bola na trave.

O Santos volta a campo na quinta-feira (17) e  o Ceará na Vila Belmiro. Uribe e Marinho receberam o terceiro amarelo e estão suspensos. Sánchez retorna.

O atacante Uribe completou sua 11a. partida sem gols com o manto santista e é o primeiro centroavante no século, a ficar tanto tempo sem marcar um único gol. Ele superou Val Baiano, limitado homem de ataque que passou pelo Peixe em 2003, que marcou seu primeiro gol em sua 10a. partida.

Para não dizer que não falei das flores,. a defesa completou o quarto jogo sem sofrer gols.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 0 x 0 SANTOS
Arena Beira-Rio - Porto Alegre (RS)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ) 
Público e renda: 11.363 pagantes/R$ 522.030,00
Cartão Amarelo: Victor Cuesta, Ricardo Colbachini, D'Alessandro (INT), Marinho, Jorge Sampaoli, Jean Mota (SFC)
INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Victor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Edenílson e Patrick (Neilton); D'Alessandro, Nico López (Wellington Silva) e Guilherme Parede. Técnico: Ricardo Colbachini (interino).
SANTOS - Everson; Victor Ferraz (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Pituca, Evandro e Jorge; Marinho (Uribe), Sasha e Tailson (Alison). Técnico: Jorge Sampaoli.


Jean Mota entrou na segunda etapa
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 
Everson: Ia levar um gol que goleiro de time grande não pode levar. Salvo pelo VAR. - 5,5
Victor Ferraz: Não comprometeu na marcação e apareceu no apoio por dentro, pelo meio algumas vezes. - 6,0
(Jean Mota): Entrou para dar criatividade ao meio-campo, carente de assistências. Melhorou a performance no setor. - 6,0
Lucas Veríssimo: Vive bom momento. Defensor com velocidade para recuperação. - 6,5
Gustavo Henrique: Bem colocado.  No momento em que a defesa ficou em linha e o atacante do Colorado marcou o gol, o VAR milimetricamente, apontou impedimento. - 6,5
Luan Peres: Entrou para cobrir e melhorar a marcação pela esquerda. Cumpriu bem seu papel. Não apoiou quando esteve como ala, até porque não é seu perfil. - 6,0
Pituca: Melhor na segunda etapa, quando atuou mais a frente e demonstra sua dinâmica - 6,5
Evandro: Ainda não conseguiu estar no ritmo dos demais companheiros. Bom passe, mas lento na transição. - 5,5
Jorge: Sem tanta função defensiva na marcação, sua perna canhota pode demonstrar mais habilidade. Perdeu uma chance na primeira etapa. - 6,0
Marinho: Bem no começo do duelo, não conseguiu manter a mesma performance no decorrer da partida. Ainda assim, não devia ser substituído. - 6,0
(Uribe): É o primeiro centroavante no século defendendo o Santos a ficar 11 jogos sem marcar gols. Superou Val Baiano que tinha ficado 10. O recordista é Edmar que no fim dos anos 80 ficou 16 jogos sem balançar as redes adversárias. Finalizou uma única vez. Muitos dizem que a bola não chega. Mas em 111 jogos nunca chegou? De quebra levou cartão e está suspenso. - 4,5
Sasha: Pouco finalizou, mas abriu espaços para seus companheiros. Voluntarioso como de costume. - 6,0
Tailson: Marcou um gol, anulado pela arbitragem no começo do jogo. É ótimo jogador, não fora de série como os 'rayos' que já desabrocharam na Vila. Tem tudo para evoluir. Oscilou no jogo. - 6,0
(Alison): Entrou para melhorar a qualidade na marcação. Cumpriu aquilo que se espera dele. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Mexeu desnecessariamente no time que foi bem no meio  de semana. Foi infeliz nas substituições da segunda etapa. - 5,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by