FOTO CAPA

TEM QUE RESPEITAR. PEIXE ALCANÇA PALMEIRAS NA LIDERANÇA, APÓS QUINTA VITÓRIA

Publicado às 16h deste domingo, 21 de julho de 2019.
O Santos conseguiu uma importante resultado no Rio de Janeiro, diante do Botafogo-RJ, por 1 a 0, com gol de Marinho, no final da manhã, deste domingo (21). Foi a quinta vitória seguida no Brasileiro e com o triunfo, o Peixe igualou a pontuação do Palmeiras, primeiro lugar, mas perde no critério de desempate no saldo de gols para o time paulistano. O time da Vila foi beneficiado pela derrota diante do Ceará, no sábado (20), em Fortaleza.

O técnico Sampaoli voltou a não repetir a mesma escalação em duas partidas seguidas. As novidades foram a saída do capitão Victor Ferraz da equipe, com Lucas Veríssimo como 'falso' lateral e Jean Mota no meio, como um dos armadores com Sánchez mais pela direita. 

Para manter Uribe 'centralizado', o técnico argentino mexeu em muitos setores e a exemplo do que aconteceu na vitória da semana passada, diante do Bahia, o time ficava limitado as jogadas pela esquerda com Soteldo, que cruza melhor com a perna direita (e eu particularmente, não entendo porque ele não atua por esse setor. O atacante Sasha que tinha encaixado como referência 'espetada'  foi deslocado aberto pela direita e novamente para o 'sacrifício'. Porém, o camisa 27, não tem como característica, o drible e a velocidade para levar o time a frente e apesar de o alvinegro propor o jogo, teve dificuldade de oferecer perigo a meta de Gatito Fernandes nos 45 minutos iniciais.

No intervalo, Sampaoli desfez o erro da insistência equivocada da escalação. Retirou Uribe, que não se encontrou ainda com a camisa santista, colocou Marinho para abrir uma nova opção pela direita e Sasha foi 'espetado', como deveria ser, desde o início. 

Entretanto, Lucas Veríssimo que estava improvisado pelo lado direito da defesa, tinha recebido cartão amarelo ainda na primeira etapa. Pela intensidade que os donos da casa jogavam pelo seu setor, recomendava-se que o camisa 28 fosse substituído, mas o maior responsável pela excelente campanha que o clube realiza na competição, Sampaoli, erra como qualquer outro ser humano e não retirou o jogador de campo. Em menos de cinco minutos da segunda etapa, o jogador foi expulso e comprometeu a performance e o resultado do jogo.

Sampaoli teve que alterar novamente o time e arriscar porque queimou as duas substituições que lhe restava. Sacou Jean Mota do meio e colocou Victor Ferraz para recompor o setor. Em seguida, tirou Sasha, que mal tinha ido para a posição que melhor rende e deu vaga ao lateral Felipe Jonatan. Com isso, Jorge virou armador. Mesmo com as alterações, o time da estrela solitária parou de esperar o jogo e dar a bola ao Santos  para começar a acreditar na vitoria.

Porém, a equipe do bom treinador Barroca, deu um contra-golpe e apesar de contar com um jogador a mais em campo ficou com três jogadores santistas contra um botafoguense e no lance, o ala esquerdo Gilson, que já tinha amarelo, levou o vermelho, em lance que envolvia o atacante Marinho. Com isso, as coisas voltaram para o lugar. Com a igualdade no placar, a equipe de 'Jorgito' voltou a comandar as ações e ir para o ataque. E ele 'Marinho', é mesmo? Sim, ele... 'Não sabia não?' Marcou um golaço de fora da área aos 30 minutos do segundo tempo.

Daí em diante, não restava outra alternativa aos donos da casa do que tentar empatar o jogo. O time carioca deu o contra-ataque ao Santos, que teve outras quatro chances para matar o jogo e ampliar o marcador, porém, pecava na finalização. Apesar da má pontaria, o resultado não foi alterado e o objetivo foi alcançado.

Desde o começo da semana tenho revelado nas minhas redes sociais e na Rádio 9 de Julho, muito incomodo, pois a opinião pública insiste na polarização da competição apenas a Flamengo, terceiro lugar e Palmeiras que perdeu cinco dos seis pontos disputados nos dois últimos jogos e com isso ignorava-se o vice-líder Santos. 

Respeito todos os que tem opinião contrária a minha, porém, já que utilizam tanto a matemática, por que não a utilizaram e chegaram a simples conclusão de que 23 é maior que 20 (pontuação de santistas e flamenguistas na rodada passada)? 

O Santos pode até não ter fôlego para lutar pelo título, porém, não se pode ignorar este 1/3 de competição e cumprimentar a equipe dirigida por Jorge Sampaoli que faz um campeonato acima da expectativa.

Tem muita competição pela frente. O Peixe carece de material humano em algumas posições - a de armador é uma delas. A equipe joga com uma marcação intensa que exige muito do físico dos atletas, além do problema de cartões, suspensões e as convocações dos estrangeiros em datas FIFA que a CBF não obedece que podem arrebentar com a bela campanha e interromper o sonho de conquista.

Na próxima rodada, domingo (28), o alvinegro recebe o lanterna Avaí, na Vila Belmiro. Cueva que viajou para o Peru, pois o seu terceiro filho nasceu prematuramente com complicações pode ficar a disposição do comandante técnico. A previsão de retorno do meio-campista é terça-feira (2). Por enquanto, só peço para que respeitem a campanha do Santos, sem mais.

FICHA TÉCNICA 
BOTAFOGO 0x1 SANTOS 
Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Público e renda: 16.248 / R$ 480.278,70
Cartão Amarelo: Gilson, Joel Carli (BOT), Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho (SFC)
Cartão Vermelho: Lucas Veríssimo (SFC), Gilson (BOT)
GOLS: Marinho (29'/2ºT)
BOTAFOGOGatito Fernández; Marcinho, Carli, Gabriel e Gilson; Cícero, Alex Santana (Victor Rangel; 12'/2ºT), João Paulo; Erik, Diego Souza (Jonathan; 27'/2ºT) e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão; 18'/2ºT). Técnico: Eduardo Barroca.
SANTOSÉverson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique; Jorge, Diego Pituca, Carlos Sánchez, Jean Mota (Victor Ferraz; 6'/2ºT), Eduardo Sasha (Felipe Jonatan; 9'/2ºT), Uribe (Marinho; intervalo) e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Sampaoli teimou em manter Uribe centralizado. Manteve Veríssimo com amarelo e viu o ala improvisado ser expulso.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Éverson: Não foi exigido. Bem na saída de bola. - 60
Lucas Veríssimo: Tava no sacrifício e com certeza não suportaria os 90 minutos, principalmente por ter amarelo. Podia ter evitado o primeiro dos dois cartões. Foi expulso. - 4,0
Aguilar: O defensor mais rápido do elenco foi bem tanto na marcação com a bola no chão, como no jogo aéreo. - 7,0
Gustavo Henrique: Atuação quase perfeita na defesa. Faltou uma melhor performance na bola aérea ofensiva. Vive grande momento. - 6,5
Jorge: Dono de grande técnica, foi bastante participativo na segunda etapa. Apesar de não ser profissional da preparação física, ele me dá a sensação de que precisava de um trabalho específico para melhorar sua explosão. - 7,0
Pituca: Tomou conta do meio-campo na primeira etapa. No segundo teve que se virar quando o time ficou com quase 25 minutos com um jogador a menos. - 6,5
Sánchez: Não gosto do uruguaio pelo lado. Creio que é um desperdício quando ele não joga na sua, centralizado. No segundo tempo, jogou melhor. - 6,5
Jean Mota: Começou bem a partida, porém, com o passar da primeira etapa, não conseguiu jogar próximo da área, onde rende melhor. - 6,0
(Victor Ferraz): Recompôs o setor pela direita, após a expulsão de Veríssimo. Teve momentos em que foi para o meio. - 6,0
Sasha: Jogador de grupo, extremamente dedicado. Mesmo não jogando na posição que tinha encaixado no time, se doa, ajuda na marcação, fez a parede. Quando ia retornar a posição que tem rendido foi sacrificado e teve que deixar o campo após a expulsão de Veríssimo. - 7,0
(Felipe Jonatan): Marcou bem e teve uma grande oportunidade de aumentar o placar no fim do jogo. - 6,5
Uribe: Não encaixou ainda. Sigo aguardando sua estréia. - 5,0
(Marinho): Tem que pedir o 'bicho' de Sampaoli porque livrou o cara do treinador. Participou da jogada que expulsou Gilson e marcou um golaço. O maior responsável pelos três pontos neste fim de semana. - 8,0
Soteldo: Segue em evolução. É jovem, porém ainda não tem eficiência na última bola. Tem recurso no drible, mas ainda exagera pois quer ir todas 'para dentro' e tem que variar para confundir a marcação. Levou perigo para a meta adversária. Perdeu dois gols feitos no fim da partida. - 7,0
Técnico Jorge Sampaoli: Errou ao insistir na escalação de Uribe com Sasha pelo lado. Voltou a errar, a manter Veríssimo 'amarelado' no um contra um pela direita. É o grande responsável pela ótima campanha da equipe, apesar de ter falhado como qualquer ser humano e outros técnicos nesta rodada. Acertou e foi ousado ao fazer as duas últimas substituições, mesmo correndo risco de perder algum jogador por lesão e não poderia mexer mais e arrumar a equipe após a expulsão de Veríssimo. - 5,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by