FOTO CAPA

MAIS RESPEITO COM O NOVO PRIMEIRO COLOCADO DO BRASILEIRÃO

Publciado às 22h20 deste domingo, 28 de julho de 2019.
O Santos é o novo líder do Campeonato Brasileiro desse ano. A equipe conquistou a sexta vitória consecutiva, neste domingo (28), no estádio da Vila Belmiro ao bater o lanterna Avaí por 3 a 1. O resultado levou o alvinegro aos 29 pontos após 12 rodadas contra 27 do Palmeiras e 24 do Flamengo. Os gols foram de Dérlis, Sánchez e Felipe Jonatan. O Peixe não chegava a liderança da competição nacional, há quase três anos. A última vez tinha sido na 18a. rodada da edição de 2016, quando empatou com o Flamengo, em Cuiabá.

O técnico Jorge Sampaoli novamente não repetiu a escalação, assim como fez nas rodadas anteriores. Victor Ferraz reassumiu a tarja de capitão e seu posto de titular pela ala direita, Alison reapareceu na cabeça de área e Dérlis foi escalado aberto pelo lado direito com Sasha 'espetado'. Uribe e Marinho ficaram como opções entre os suplentes.

Nos primeiros minutos, o time santista alugou o meio-campo e com Soteldo 'infernizando' o defensor Marquinhos, ex-SCCP e o ala Leó, o gol era questão de tempo e demorou apenas seis minutos. Dérlis abriu o marcador e parecia que a goleada estava encaminhada, mas isso não aconteceu. O time da casa cedeu espaço, o adversário começou a 'gostar do jogo' e a invencibilidade da defesa alvinegra foi batida quando João Paulo empatou para os catarinenses aos 27 minutos.

Porém, a igualdade não demorou muito tempo no placar, pois novamente, o venezuelano Soteldo fez grande jogada para a conclusão de Sánchez. 

O técnico argentino que comanda o Santos, sempre o mais ovacionado pela torcida quando a escalação é anunciada, dessa vez não esperou a tragédia acontecer e no intervalo, decidiu sacar o volante Alison, que estava com cartão amarelo e colocou Felipe Jonatan. Até imaginei que Jorge, por ser mais habilidoso, fosse para o meio-campo, mas me equivoquei. Sampaoli recuou Pituca para primeiro volante, e colocou Felipe Jonatan improvisado como segundo homem do meio-campo e com isso, o alvinegro novamente, voltou a comandar as ações.

Ainda na primeira etapa, o técnico Valentim trocou de posição os dois defensores do time de Florianópolis. Marquinhos que tava levando um 'baile' foi pro lado esquerdo e o experiente Betão, ex-SCCP e Santos ficou como o homem responsável da sobra pelo lado que o camisa 10 santista atacava. O capitão do Avaí passou a levar a melhor. Sampaoli então, decidiu sacar o jogador que deixou o gramado com um semblante de insatisfeito. Marinho veio pro jogo. 

O Peixe finalizou até antes de marcar o terceiro, absurdas 15 vezes com oito corretas, mas apenas duas haviam entrado. Perdeu dois gols debaixo da trave com Sasha e Marinho, e em vez de matar o adversário, deixava o seu torcedor quase que com 'falência múltipla dos órgãos' por não garantir os três pontos de vez. 

Mas, o 'cara' do segundo tempo, era o camisa 36 Felipe Jonatan e ele aos 32 minutos da etapa complementar, ele fechou a 'tampa do caixão' e garantiu a liderança ao time praiano ao marcar o terceiro gol.

Não foi a melhor das apresentações do time de Sampaoli, mas foi eficaz uma vez mais. Esse grupo dá mostras que não 'pipoca' em momentos que tem condições de igualar ou ultrapassar os favoritos quando tem chances. Já havia sido assim, diante do Bahia, em Salavador e contra o Botafogo-RJ, na rodada passada. Porém, como o Palmeiras 'derrapou' na véspera, ao empatar em casa com o Vasco, todo o entorno do jogo deste domingo, mudaram as condições psicológicas que envolviam. Tenho que dar um desconto ao time que nas últimas seis rodadas teve 100% de aproveitamento e está na liderança da competição, independente de dar aulas de espetáculo ou não. Mas uma coisa é irrefutável, busca o gol, o tempo todo, na contramão que os treinadores , principalmente os mais jovens, tem feito no futebol brasileiro. 

Aliás, o maior time brasileiro da história, assume a primeira colocação, depois de um longo tempo, sem o apoio da grande mídia, sem patrocinador master, com menor cota de TV e para alguns mal informados, sem torcida. 

Ganhou o campeonato? claro que não, mas alguns meios de comunicação e a opinião pública em geral, precisam respeitar a campanha que o clube realiza. Agora, não tem jeito, vão falar e escrever do Santos, mas até duas semanas atrás, ignoravam o bom momento do time de Jorge Sampaoli. 

Na próxima rodada, o alvinegro recebe em casa, o Goiás, no domingo (4). Enquanto, o Palmeiras realiza o clássico, em Itaquera, diante do SCCP. Depois, o Santos enfrenta o São Paulo no Morumbi e o Cruzeiro, fora de casa. 

O Peixe tirou cinco pontos de diferença do então, líder Palmeiras em três rodadas e colocou mais dois de diferença.

Independente do que aconteça daqui pra frente, precisam 'considerar' no mínimo, o Glorioso da Vila, como um dos postulantes a algo maior no Campeonato. Pronto, Falei.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 1 AVAÍ
Estádio da Vila Belmiro
Árbitro: Wagner Reway (PB)
Público/renda: 12.787 presentes/R$ 461.520,00
Cartões amarelos: Alison, Jorge Sampaoli, Uribe (SFC) e Léo (AVA)
GOLS: Derlis González 9'/1ºT (1-0), João Paulo 27'/1ºT (1-1), Carlos Sánchez 32'/1ºT (2-1) e Felipe Jonatan 32'/2ºT (3-1)
SANTOS: Everson, Victor Ferraz, Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Felipe Jonatan intervalo); Pituca e Sánchez; Derlis (Jean Mota 39'/2ºT), Sasha e Soteldo (Marinho 18'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.
AVAÍ: Lucas Frigeri, Léo, Betão, Marquinhos Silva e Igor Fernandes (Julinho intervalo); Pedro Castro e Richard Franco; Lourenço, João Paulo e Gustavo Ferrareis (Caio Paulista 11'/2ºT); Bruno Sávio (Gegê 22'/2ºT). Técnico: Alberto Valentim.

Gustavo Henrique recebeu uma placa pelos 200 jogos com a camisa do Peixe.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Pouco exigido. Mais notado quando teve que sair da área com os pés. Uma boa defesa na segunda etapa. - 6,0
Victor Ferraz: Apoiou por dentro, sua maior característica, porém, menos do que costuma. Alison, fazia sua cobertura. - 6,0
Aguilar: Como diz meu amigo Alan Otacílio, empresário do ramo da alimentação - 'Jogou o arroz com feijão, bem temperado.' - 6,0
Gustavo Henrique: Em seu ducentésimo (200) jogo, também fez o básico. Não comprometeu. Sempre bem colocado. - 6,0
Jorge: Começou bem, depois algumas tomadas de decisões erradas e a consequente queda de rendimento. Na etapa complementar, mais cuidou da parte defensiva. Desculpe a redundância e insistência. mas tem um potencial absurdo de crescer. Precisa melhorar a explosão física. O principal, o talento, não lhe falta. - 6,0
Alison: Defensivamente, na marcação, cumpria seu papel. Mas como tomou cartão amarelo cedo, não tinha condições de ir como o 'mesmo apetite' e comprometeu sua apresentação. - 5,5
(Felipe Jonatan): Não marca tão forte quanto Alison, mas Sampaoli acertou ao recuar Pituca para a cabeça de área não o ex-ala do Ceará. Felipe tem muita força física e chega bem no ataque. Na primeira, ele errou a finalização, na segunda coroou sua ótima performance. O melhor do jogo, mesmo só atuando 45 minutos. - 8,0
Pituca:  Gosto dele mais a frente. Começou de segundo volante e na segunda etapa foi recuado para cabeça de área. Desempenhou bem ambas as funções. - 6,5
Sánchez: Quando joga na sua função, cresce o seu futebol. Bem colocado e frieza para marcar o segundo gol de cabeça. - 7,0
Derlis: O atacante que melhor marca a saída de bola adversária. Obrigava os defensores do Avaí a rifar a bola. Mostrou oportunismo ao abrir o marcador. Foi substituído e bastante aplaudido no fim da partida. Sampaoli acertou ao coloca-lo de titular. Assim, não perde o jogador que muito provavelmente devia estar desmotivado ao não ter sido aproveitado mais, depois que voltou da Copa América. - 7,0
(Jean Mota): Jogou seis minutos e mais quatro de acréscimo apenas. - SEM NOTA.
Sasha: A dedicação deste jogador me impressiona. O que abre de espaços, ajuda na recomposição é algo absurdo. Teve uma chance para marcar e chegar mais próximo da artilharia, entretanto, desperdiçou. Se não foi bem na conclusão, se doou muito e tem sido peça importante para a equipe. - 6,5
Soteldo: O zagueiro Marquinhos e o ala Léo, certamente vão ter pesadelos a noite, porque o baixinho entortou ambos. Depois que Betão foi para o setor, a vida do venezuelano ficou mais difícil. O segundo gol foi de Sánchez, mas a jogada toda foi do camisa 10. - 7,0
(Marinho 18'/2ºT): Entrou no jogo com muita transpiração. Porém, desta vez não foi tão feliz. Na única oportunidade que teve para sacramentar o jogo, chutou nas mãos do goleiro. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Acertou ao escalar Dérlis e retirar Uribe (que só foi notado ao levar cartão amarelo no banco) do time titular. Foi feliz ao colocar Felipe Jonatan como segundo homem do meio-campo e recuar Pituca na vaga de Alison que saiu porque já tinha amarelo. É o grande responsável pela campanha acima da expectativa da equipe. - 8,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by