FOTO CAPA

OITO ANOS DA CONQUISTA DO TRI DAS AMÉRICAS

Publicado às 11h30 deste sábado, 22 de junho de 2019.
O Santos comemora nesta sábado (22), o aniversário de oito anos de sua terceira e até então, a mais recente conquista da Libertadores da América. Após bater o Peñarol por 2 a 1, no estádio do Pacaembu, o capitão Edu Dracena do Peixe levantou a taça da competição para o delírio da Nação Santista.

O alvinegro não conquistava a maior competição do continente desde 1963, ainda durante a Era Pelé. Bateu na trave em 2003, quando foi vice. Em 2011, com o atacante Neymar no auge e principal destaque da competição, voltou a conquistar a América, depois de 48 anos.

Foi o quarto título em um total de seis que a geração comandada pelo camisa 11, hoje no PSG (FRA), conseguiu em três anos no clube. O mesmo grupo já havia conquistado no primeiro semestre de 2010, a Copa do Brasil e ainda o tri-paulista e a recopa sul-americana, no ano seguinte.

Os responsáveis pelos gols do título continental foram Neymar, que aos 3 minutos do segundo tempo e o lateral Danilo, atualmente no Manchester City, aos 23 minutos, que de pé esquerdo, ampliou a vantagem no duelo. 

A vitória contra os uruguaios coroou uma campanha que teve confrontos contra Deportivo Tachira (VEN), Colo-Colo (CHI) e Cerro Porteño (PAR), ainda na fase de grupos, e América/MEX, Once Caldas (COL), novamente Cerro Porteño, nas semifinais, além do Peñarol, na decisão. A campanha teve sete vitórias, seis empates e apenas uma derrota.

Apesar de um curto espaço de tempo, a situação, hoje, infelizmente é outra para o torcedor. Do elenco do maior título da história do clube nos últimos 50 anos, não existe mais ninguém. Além disso, o alvinegro praiano não disputou a maior competição do continente neste ano e não faz uma campanha convincente desde a semifinal diante do rival SCCP em 2012, quando acabou o sonho do inédito Tetra-campeonato de um clube brasileiro na competição.


FICHA TÉCNICA 
SANTOS 2 X 1 PEÑAROL-URU
Estádio Municipal do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 22 de junho de 2011
Árbitro: Sergio Pezzota (Argentina)
Renda/público: R$ 4.266.670 / 37.984 pagantes 
Cartões amarelos: Neymar e Zé Eduardo (Santos); Alejandro González, Corujo e Freitas (Peñarol)
GOLS: SANTOS: Neymar, a um minuto do segundo tempo, e Danilo, aos 23 minutos do segundo tempo
PEÑAROL: Durval (contra), aos 35 minutos do segundo tempo
SANTOS: Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso (Pará); Neymar e Zé Love.  Técnico: Muricy Ramalho
PEÑAROL-URU: Sosa; Alejandro González (Albin) (Estoyanoff), Carlos Valdez, Guillermo Rodríguez e Darío Rodríguez; Corujo, Aguiar, Freitas e Mier (Urretaviscaya); Martinuccio e Olivera Técnico: Diego Aguirre

O elenco campeão:
1 – Rafael
2 – Edu Dracena
3 – Léo
4 – Jonathan
5 – Arouca
6 – Durval
7 – Charles
8 – Elano
9 – Keirrison
10 – PH Ganso
11 – Neymar
12 – Aranha
13 – Bruno Aguiar
14 – Bruno Rodrigo
15 – Adriano
16 – Alex Sandro
17 – Maikon Leite
18 – Rodrigo Possebon
19 – Diogo
20 – Zé Love
21 – Pará
22 – Danilo
23 – Felipe Anderson
24 – Vladimir
25 – Alan Patrick

A campanha campeã:
Fase de classificação
Deportivo Táchira 0 x 0 Santos FC
Santos FC 1 x 1 Cerro Porteño
Colo-Colo 3 x 2 Santos FC
Santos FC 3 x 2 Colo-Colo
Cerro Porteño 1 x 2 Santos FC
Santos FC 3 x 1 Deportivo Táchira

Oitavas de final
Santos FC 1 x 0 América (MÉX)
América (MÉX) 0 x 0 Santos FC

Quarta de final
Once Caldas (COL) 0 x 1 Santos FC
Santos FC 1 x 1 Once Caldas (COL)

Semifinal
Santos FC 1 x 0 Cerro Porteño (PAR)
Cerro Porteño (PAR) 3 x 3 Santos FC

Final
Peñarol 0 x 0 Santos FC
Santos FC 2 x 1 Peñarol

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by