FOTO CAPA

EMPATE NA ESTREIA E A CLASSIFICAÇÃO SERÁ DECIDIDA NO JOGO DO BRASIL

Publicado às 22h50 desta terça-feira, 12 de fevereiro de 2019.
Em sua estreia na Copa Sul-Americana, o Santos apenas empatou sem gols (0 a 0), em Montevidéu, diante do River (URU). A decisão da classificação para a segunda  fase ficou para a partida de volta, no Pacaembu, com portões fechados, no dia 26 deste mês. 

O clube vai pagar a punição dos incidentes ocorridos durante as oitavas da final da Libertadores do ano passado, quando a partida diante do Independiente(ARG) foi interrompida após invasões ao gramado.


Sem Luiz Felipe, contundido, o comandante técnico argentino preferiu mudar o esquema tático com dois defensores - Gustavo Henrique e Aguilar.

Pela primeira vez, desde que o alvinegro é comandado por Jorge Sampaoli, não senti as linhas do time próximas. Defesa, meio campo e ataque estavam distantes e por isso, o Peixe não foi intenso e tampouco teve profundidade. Dérlis, o atacante mais perigoso, o homem que quebra as linhas, só recebeu bolas de costas, nos primeiros 45 minutos.

No intervalo, Sampaoli arrumou a distância entre as linhas. Com a equipe mais compactada e Sánchez dando mais velocidade na bola, o gol santista parecia ser questão de tempo, já que a falta de um homem de área capaz de empurrar a bola para dentro fica cada vez mais evidente.

Porém, tudo mudou aos 20 minutos da etapa complementar. Orinho recebeu o cartão vermelho e o Santos que no segundo tempo estava propondo jogo, teve mais dificuldades para manter a pressão no time da casa e até correu riscos, quando Pituca foi quebrar um galho na ala esquerda e o atacante do time uruguaio saiu na cara de Vanderlei, mas chutou para fora. Também teve um gol mal anulado de Copete.

O treinador alvinegro tirou Jean Mota e em seu lugar colocou Matheus Ribeiro para acabar com as tentativas do time de Montevidéu por aquele setor. 

O empate não foi ruim, mas pela diferença técnica das equipes, a classificação já podia ter sido encaminhada no jogo de ida.

Para a partida de volta, dia 26, uma vitória simples classifica o Santos. Um empate sem gols leva a decisão por pênaltis e empate com gols dá a vaga ao River.

O Peixe volta a campo, somente na próxima segunda-feira (18), diante do Guarani, no estádio do Pacaembu e cinco dias depois realiza o clássico no Allianz Parque diante do Palmeiras. Para as partidas do estadual Jean Lucas e Cueva, que não foram inscritos na primeira fase da competição continental ficam à disposição.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE-URU 0 X 0 SANTOS
Estádio Luis Franzini, em Montevidéu (URU)
Data/hora: 12/2/2019 - 19h15 (de Brasília)
Árbitro: German Delfino (ARG)
Renda/público:Não disponibilizados
Cartões amarelos: Leyes (RIV-URU) e Derlis González (SFC)
Cartão vermelho: Orinho 21'/2ºT (SAN)
RIVER PLATE-URU: Gastón Olveira, Claudio Herrera, Agustín Ale, Iván Silva e Luis Oliveira; Maximiliano Calzada, Sebastián Piriz, Mauro Da Luz e Facundo Ospitaleche; Mauro Da Luz e Juan Olivera (Leyes 29'/2ºT). Técnico: Jorge Giordano.
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Aguilar e Orinho; Alison, Sánchez,  Pituca (Yuri 46'/2ºT) e Jean Mota (Matheus Ribeiro 27'/2ºT); Derlis González e Copete (Soteldo 14'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

Foi o primeiro empate de Sampaoli pelo Santos em jogos de competições oficiais. O outro foi em amistoso.

NOTAS DOS JOGADORES DO S
ANTOS
Vanderlei: Melhora a saída com os pés e abafou o atacante na finalização mais perigosa do time da casa. - 6,5
Victor Ferraz: Não apoiou por dentro tanto como faz costumeiramente e teve dificuldade quando tinha que ir para o enfrentamento na velocidade com os atacantes do time uruguaio. - 5,5
Gustavo Henrique: Seguro como de costume. Desta vez não tentou ajudar na frente. - 6,5
Aguilar: O colombiano fez sua melhor partida com a camisa do Peixe até o momento. Bem na antecipação durante toda a segunda etapa. Ainda peca e precisa melhorar o passe na saída de bola.- 6,5
Orinho: Errou passes e ainda foi expulso. Sua saída mudou o panorama da partida. Perdeu nova chance de se firmar na posição. - 4,0
Alison: Começou bem, inclusive indo a frente e dando opção na colaboração a criação de jogadas. Depois, limitou-se a parte defensiva. - 6,5
Sánchez: O melhor do time. No segundo tempo deu velocidade na bola, inclusive com inversões de jogada e ditou o ritmo do meio-campo. - 7,0
Pituca: Bem nos passes com a canhota, perdeu um gol incrível quase dentro da pequena área. Tem evoluído. - 6,5
(Yuri): Entrou nos minutos finais para aumentar a estatura do time e melhorar a marcação. - SEM NOTA
Jean Mota: Com as linhas distantes, o artilheiro do time na temporada teve dificuldade na criação. Foi substituído na etapa final. O meio-campista é um dos atletas que mais aproveita a oportunidade de trabalhar com um técnico da grife de Sampaoli e melhora sua capacidade. - 5,5
(Matheus Ribeiro): Um pouco nervoso em razão do volume do time da casa que queria explorar o setor, porém, a farra pelo lado esquerdo da defesa santista acabou. - 6,0
Dérlis: Quem mais sofreu, principalmente no primeiro tempo pela falta de compactação das linhas santista. No primeiro tempo não recebeu uma bola para ir no um contra um. Na segunda etapa conseguiu alguns poucos lances que ofereceram perigo. - 6,5
Copete: Marcou um gol mal anulado. Apesar de ser conhecido como um bom realizador de funções táticas teve dificuldade para entender quando devia ser a referência na área ou cair pelo lado como opção. Deixou o gramado substituído. - 5,5
(Soteldo): Melhorou a capacidade de quebrar a linha adversária do time. Foi prejudicado com a expulsão de Orinho pois teve que colaborar na ajuda ao meio-campo na marcação. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Arrumou o time no intervalo, mas não o suficiente para conseguir a vitória. Sente falta de alguém capaz de tomadas de decisão corretas na grande área e prejudicado com a expulsão de Orinho. - 6,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by