FOTO CAPA

OPORTUNIDADE DE ENTRAR NO G-6 DESPERDIÇADA

Publicado às 22h43 deste sábado, 3 de novembro de 2018.
O Santos teve a oportunidade de entrar definitivamente no G-6, mas deixou escapar. Com muitos erros individuais, o Peixe foi pro vestiário perdendo por dois gols, chegou a empatar a partida, mas acabou derrotado por 3 a 2 para o Palmeiras, na noite deste sábado (3), no Allianz Parque. Os gols do Peixe foram de Copete e Dodô.

O Atlético-MG, sexto colocado também saiu derrotado ao jogar horas antes e perder em casa para o Grêmio por 1 a 0. Os mineiros colecionam cinco jogos sem vitórias. Se o Peixe conseguisse ao menos um empate, assumiria a posição do Galo e entraria pela primeira vez na zona da Pré-Libertadores.

Apesar de muitos gols, eu não vi o clássico deste fim de semana, apesar dos gols, como uma grande partida de futebol. Santistas e Palmeirenses exageraram nos erros e deram condições de as defesas serem vazadas em grande quantidade. 

Cuca resolveu sacar Bruno Henrique e começou a partida com Derlis no ataque pelo lado direito, com isso, Rodrygo voltou para a esquerda, mas os primeiros 45 minutos do alvinegro foram sofríveis. 

O primeiro gol dos donos da casa começou com a saída do goleiro Weverton que passou a bola ao ala Jean e o palmeirense entrou como quis, sem nenhum meio-campista sequer fazer sombra. Ele achou Borja que finalizou e Vanderlei espalmou para o lado, após um leve desvio de Luiz Felipe, e no rebote, sem nenhum acompanhamento Dudu abriu o marcador.

Logo em seguida, escanteio e Edu Dracena que ainda não havia marcado com a camisa alviverde se desvincilhou com facilidade de Dodô e ampliou o marcador. A vantagem que o líder do campeonato foi para o intervalo era bem significativa.

Cuca resolveu mexer por atacado e não pecar por omissão. Sacou Alison e Rodrygo para as entradas de Bryan Ruiz e Copete. O time da Vila ganhou na estatura aérea. Com essas alterações, o técnico recuou Pituca para a cabeça de área e ficou com um meio-campo menos pegador, porém, mais criativo. A tática foi meio kamikaze? Foi, entretanto, o comandante técnico foi premiado pela ousadia e o Santos igualou o placar com uma atuação que mudou da 'água para o vinho'. Primeiro com Copete que ficou com uma bola espirrada e diminuiu para os visitantes. Em seguida, Dodo ficou com novo rebote da defesa do time paulistano e empatou a partida aos 19 minutos da etapa final.

Quando a igualdade parecia ser o mais provável destino do resultado do clássico, uma falta de longa distância e o goleiro Vanderlei, acabou tendo uma infelicidade e ao tentar espalmar para a frente, viu a mesma entrar no fundo da rede que defendia. O Palmeiras novamente estava na frente 3 a 2.

Quando ainda faltavam 10 minutos para o fim, o ótimo Luiz Felipe ficou sem condições de jogo com uma contusão muscular. Cuca já havia feito as três alterações e quase que no mesmo instante, Pituca foi expulso. Sendo assim, Dodô foi recuado para a quarta-zaga e o destino da partida ficou definido já que o time da baixada estava com dois jogadores a menos.

O Peixe enfrentará na próxima rodada, a Chapecoense, no Pacaembu, na segunda-feira (12). Para o duelo, Victor Ferraz e Gabriel Barbosa que receberam o terceiro cartão amarelo desfalcam a equipe. Pituca também cumprirá suspensão pela expulsão, Com isso, os três não enfrentam os catarinenses. 

Ficou a frustração de uma maior concentração para sair do Allianz Parque com um melhor resultado. Foi apenas a segunda derrota do time de Cuca em 14 partidas. O resultado também representou a quebra de um tabu de não perder para o rival pelo Brasileiro, nos últimos três anos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 2 SANTOS
Allianz Parque - São Paulo (SP)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)  
Público e Renda: 38.938 pagantes/R$ 2.723.126,00
Cartões Amarelos: Edu Dracena (PAL); Luiz Felipe. Gabriel e Derlis González (SFC)
Cartões Vermelhos: Diego Pituca (SFC)
Gols: Dudu, aos 13’/1ºT; Edu Dracena, aos 39'/1ºT; Copete, aos 9’/2ºT; Dodô, aos 19'/2ºT e Victor Luis, aos 25'/2ºT; 
PALMEIRAS: Weverton; Jean (Guerra, aos 28'/2ºT), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Lima (Felipe Melo, aos 21'/2ºT); Gustavo Scarpa, Borja (Deyverson, aos 42'/2ºT), Gustavo Scarpa, aos 30'/2ºT) e Dudu. Técnico: L.Felipe Scolari.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruiz/ Intervalo), Pituca e Sanchez; Rodrygo (Copete/ Intervalo), Gabriel Barbosa e Derlis (Bruno Henrique, aos 31'/2ºT ) Técnico: Cuca 

Derlis começou o clássico como titular na vaga de Bruno Henrique
NOTAS DOS JOGADORES SANTOS
Vanderlei: Teve a atuação prejudicada em razão de ter falhado no terceiro gol. Um goleiro da sua envergadura, da sua representatividade, não pode deixar a bola entrar num chute despretensioso como aconteceu, entretanto, acontece com todos que executam a profissão, porém, o erro foi determinante para a derrota. - 4,0
Victor Ferraz: No gol de Dudu, não acompanhou o atacante palmeirense. Não apoiou e errou passes em demasia, algo incomum. - 5,0
Luiz Felipe: Jogador de grande qualidade na saída de bola, porém, tem sofrido com algumas lesões que acabam atrapalhando sua carreira. Quando o final da partida se aproximava, ficou sem condições de jogo com uma lesão muscular. - 5,0
Gustavo Henrique: Não começou bem o clássico, mas se recuperou. Teve dificuldades no um contra um, quando enfrentava jogadores rápidos do adversário. - 5,0
Dodô: Falhou na marcação do segundo gol palmeirense. Se redimiu ao empatar o jogo. Além do gol, fez um segundo tempo positivo. - 6,0
Alison: Errou muitos passes e ficou isolado na marcação. Bem substituído. - 4,5
(Bryan Ruiz): Não teve uma grande atuação individual, mas sua presença tornou o meio-campo com uma postura mais qualitativa. Participou do segundo gol marcado por Dodô. Ainda segue devendo pelo investimento feito pelo clube. - 5,5 
Pituca: Foi envolvido no primeiro tempo e recebeu um cartão amarelo que o deixou pendurado para a segunda etapa. Melhorou um pouco no segundo tempo, mas teve uma atuação abaixo da média que vinha tendo. Foi expulso há 10 minutos do fim. - 4,5
Sanchez: Era o único que tentava conduzir o time a frente, entretanto ficou isolado e pouco podia fazer no primeiro tempo. Cresceu com o time na segunda etapa, mas ainda assim, abaixo de suas apresentações com a camisa santista. - 5,5
Rodrygo: Longe do jogador de grande qualidade que os santistas e o futebol brasileiro conheceu. A oscilação do único jovem de 17 anos a ser titular em um clube da série A e marcar 10 gols na temporada, com direito a um hat-trick é normal. Aconteceu com Robinho e Neymar também. Todos sabemos que é dono de uma capacidade técnica acima da média e em breve vai voltar a brilhar. Foi substituído no intervalo. - 4,5
(Copete): Participou dos dois gols do Santos. Um empurrando a bola pro fundo da rede e na outra, ao dar a assistência a Dodô. Foi o melhor do Santos no clássico. - 6,5 
Gabriel Barbosa: Levou um cartão amarelo bobo ao agir com ironia com a arbitragem. Recuou para ajudar a levar o time a frente, mas não é a sua especialidade. Teve uma única chance no segundo tempo, mas não conseguiu concluir. - 5,0
Derlis: Se chocou com o zagueiro Edu Dracena no segundo gol e foi a única participação do paraguaio. Desperdiçou uma grande oportunidade de ganhar a vaga de titular em definitivo. Não criou perigo contra a meta palmeirense. - 4,5
(Bruno Henrique): Entrou nos 15 minutos finais. Não conseguiu criar nenhuma jogada incisiva. Foi prejudicado pelo fato ficar com dois homens a menos. - SEM NOTA.
Técnico: Cuca: Arrumou e muito o time no intervalo. Foi ousado e não teve medo de ser penalizado com um time com uma postura bem agressiva. Foi prejudicado com algumas peças que renderam bem abaixo do que podem e o fato do time numericamente ficar com jogadores a menos. - 6,5

strutura.com.br 

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by