FOTO CAPA

VITÓRIA NOS ACRÉSCIMOS

Publicado às 21h25 deste domingo, 30 de setembro de 2018.
O Santos voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro. Com um pênalti marcado aos 50 minutos do segundo tempo, o alvinegro retomou o oitavo lugar da competição com 36 pontos ao vencer o Atlético-PR por 1 a 0. O gol do Peixe foi de Carlos Sanchez, o primeiro do uruguaio pelo alvinegro.

Apesar de Derlis estar recuperado das dores no pé, o treinador Cuca manteve Bruno Henrique no ataque. A novidade foi Sasha na vaga de Gabriel Barbosa.

No começo da partida, Cuca escalou Rodrygo recuado na armação com Sanchez aberto pela direita, Bruno Henrique na esquerda e Sasha espetado como centroavante entre os zagueiros. Ainda na primeira etapa, o treinador santista trouxe o jovem que vai para o Real Madrid para a extrema direita e Sanchez na coordenação, mas também não foi o suficiente para o ataque funcionar. 

O primeiro tempo foi de poucas emoções e os paranaenses bem aplicados taticamente, conseguiram conter o ímpeto santista que pouco ameaçou.

Veio a segunda etapa e com ela as alterações. O Peixe tinha perdido Bambu que saiu lesionado na primeira etapa e deu vaga a Luiz Felipe. Com pouco mais de 20 minutos, Derlis entrou primeiro pela esquerda com Bruno Henrique de falso 9 e Rodrygo aberto pela direita. Em seguida, o paraguaio foi para o lado que mais gosta de atuar - a direita, mas o Peixe não conseguia furar a retranca do Atlético. Bruno Henrique deixou o gramado com a mão na vista direita, a mesma que o deixou parte da temporada de fora e deu vaga para a estréia do menino Kaio Jorge, de apenas 16 anos. 

Porém, a partida foi decidida num lance polêmico. Dodô se antecipou ao defensor atleticano, existiu uma disputa de jogo e o árbitro (na minha opinião ele errou) marcou penalidade máxima. O uruguaio Sanchez bateu com personalidade no ângulo superior direito e estufou a rede para o delírio dos pouco mais de 7 mil pagantes na Vila Belmiro.

O Santos não fez uma apresentação satisfatória, teve muitos problemas na construção de jogadas e pouco finalizou, mas a vitória veio depois de um período ausente e dará uma animada após esse período de insucessos.

O alvinegro volta a campo, na sexta-feira (5), às 21h30, em Salvador, diante do Vitória-BA. A partida não acontecerá no domingo, em razão das eleições que acontecem em todo o Brasil.

Bruno Henrique deixou o gramado com a mão na vista direita.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 ATLÉTICO-PR
Estádio da Vila Belmiro - Santos
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Público e renda: 7.802 pagantes / R$ 141.227,00
Cartões amarelos: Carlos Sánchez e Gustavo Henrique (SFC), Marcelo Cirino, Márcio Azevedo, Léo Pereira, Nikão, Lucho González e Paulo André (APR)
GOL: Carlos Sánchez (51'/2ºT) (1-0)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu (Luiz Felipe, aos 26'/2ºT), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Sánchez e Pituca; Rodrygo, Bruno Henrique (Kaio Jorge, aos 36'/2ºT) e Sasha (Derlis, aos 22'/2ºT). Técnico: Cuca.
ATLÉTICO-PR: Santos; Diego, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Lucho González (Bruno Guimarães, aos 9'/2ºT); Nikão (Márcio Azevedo, aos 41'/2ºT), Raphael Veiga e Marcinho (Rony, aos 22'/2ºT); Marcelo Cirino. Técnico: Tiago Nunes.

NOTAS DOS JOGADORES SANTOS
Vanderlei: Duas boas defesas, uma em cada tempo. O Atlético só se preocupou em contra-golpear. - 6,5
Victor Ferraz: Foi o melhor jogador santista no primeiro tempo. No segundo trocou boas bolas com Rodrygo pela direita. - 7,0
Robson Bambu: Não comprometia. Saiu lesionado ainda no primeiro tempo. - 6,0
(Luiz Felipe): Entrou bem. Tem qualidade na saída de jogo. - 6,0
Gustavo Henrique: Bem posicionado e seguro no jogo aéreo. - 6,0
Dodô: Deixou espaços na marcação e não estava bem no apoio. Entretanto foi com o ala, o lance polêmico do pênalti que garantiu a vitória. - 6,0
Alison: Mesmo sozinho para marcar o camisa 7 Raphael Veiga, o melhor jogador adversário, deu conta do recado. - 6,0
Sánchez: Não é craque, mas é muito inteligente e era a principal saída na transição santista. Muita calma, personalidade e técnica na batida de pênalti. - 7,0
Pituca: Não reeditou as últimas boas apresentações. Deixou alguns espaços na colaboração da marcação com Alison. Melhorou na segunda etapa. - 5,5
Rodrygo: Ainda não é o jogador diferenciado que chamou a atenção do Real Madrid, mas foi quem mais apanhou e puxou o time a frente pelos lados. Boas tabelas com Victor Ferraz. - 6,5
Bruno Henrique: Algumas tomadas de decisões erradas. Deixou a torcida preocupada ao colocar a mão na vista para ser substituído. - 5,5
(Kaio Jorge): Jogou apenas quinze minutos com os acréscimos. Valeu pela estréia. Não é qualquer menino de 16 anos que joga com a camisa gigante do Santos. Que seja o primeiro de muitos jogos. Acompanho o menino na base e sei das suas qualidades. - SEM NOTA
Sasha: Rende melhor pelos lados, mas foi para o sacrífico e jogou de costas como pivô. Pouco apareceu. - 5,5
(Derlis): Entrou com a responsabilidade de dar velocidade pelos lados. Não conseguiu. Funciona mais no contra-ataque com espaço para correr. - 5,5
Técnico: Cuca: Tentou de todas as formas mudar o time com as peças que tinha, mas não obtinha êxito. Vai ter trabalho para montar o time para 2019. - 6,0


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by