FOTO CAPA

POUCAS EMOÇÕES NO CLÁSSICO DA VILA

Publicado às 20h deste domingo, 16 de setembro de 2018.
Em sua recuperação no Campeonato Brasileiro, o Santos apenas empatou em 0 a 0, diante do novamente líder São Paulo, na tarde deste domingo (16), na Vila Belmiro. Agora, o time de Cuca coleciona nove jogos de invencibilidade e oito sem tomar gol. Foi o primeiro clássico-regional que o Santos realizou em 2018, no estádio Urbano Caldeira. No estadual, diante de SCCP e Palmeiras, a direção optou pelo Pacaembu.

O técnica Cuca não promoveu nenhuma mudança significativa no time titular. Sánchez retornou e começou a partida no meio-campo. Os primeiros 15 minutos foram os donos da casa, em cima do adversário que não deu um chute na meta de Vanderlei durante todo o primeiro tempo. Do segundo terço da primeira etapa em diante, o novo líder do campeonato (pelo menos até esta segunda-feira quando jogam Chapecoense x Internacional) conseguiu controlar o Santos que dominava, mas não finalizava.

A segunda etapa foi bem parecida com o final da primeira. O São Paulo só tentava explorar o contra-ataque, mas não tinha exito, principalmente após perder Evérton e substituir Rojas e o Peixe com dificuldade de penetrar na defesa adversária. Porém, o time da Vila teve a oportunidade para liquidar a fatura. Rodrygo roubou bem a bola de Arboleda, porém, na saída de Sidão, na marca do pênalti, o atacante chutou a esquerda do camisa 12 do tricolor paulista e a bola tirou tinta da trave.

A partida também marcou a estréia do atacante Felipe Cardoso recém contratado da Ponte Preta. Ele entrou na segunda metade do tempo final, mas não conseguiu receber uma bola em condição de finalizar.

Que a mudança é da água para o vinho desde a chegada de Cuca no Santos é fato. Com treinador, é um alvinegro diferente e que foi superior no clássico de poucas emoções. Com o antecessor não dava, não tinha trabalho. 

Também, não é menos verdade que quando o Santos enfrentou os adversários do G-6, não conseguiu vencer. Foi assim diante do Galo, em Minas Gerais, os reservas do Grêmio, no Pacaembu há dez dias e agora, diante do São Paulo, no alçapão da Vila.

No próximo fim de semana, o Santos volta a Belo Horizonte para enfrentar os reservas do Cruzeiro (os titulares devem ser poupados para o jogo de volta das semifinais da Copa do Brasil). Lucas Veríssimo pode ser a principal novidade no time. Ele não atua há quatro jogos. Em compensação, Derlis Gonzáles e Gustavo Henrique que receberam o terceiro amarelo serão desfalques.

Cuca comanda o invicto Santos há nove jogos.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 x 0 SÃO PAULO
Estádio da Vila Belmiro em Santos (SP)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Cartões amarelos: Robson Alves, Derlis González, Diego Pituca, Alison, Bruno Henrique, Gustavo Henrique e Victor Ferraz (SFC), Arboleda, Hudson, Anderson Martins, Bruno Alves e Rojas (SPFC)
Público e renda: 13.488 / R$ 276.596, 00
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Pituca e Sánchez (Bruno Henrique, aos 33'/2T); Rodrygo (Arthur, aos 43'/2T), Derlis González (Felippe Cardoso, aos 24'/2T) e Gabriel Barbosa. Técnico: Cuca
SÃO PAULO: Sidão; Anderson Martins, Arboleda e Bruno Alves; Reinaldo, Hudson, Jucilei, Nenê e Everton (Liziero, no intervalo); Rojas (Everton Felipe, aos 39'/2T) e Diego Souza (Tréllez, aos 31'/2T) . Técnico: Diego Aguirre.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:
Vanderlei:  Nenhuma grande defesa. O adversário também não exigiu. - 6,0
Victor Ferraz: Tentou ajudar no apoio. Sentiu a falta de Rodrygo por aquele setor, onde os dois já conseguiram um entrosamento razoável. - 6,0
Robson Bambu: Rebatedor. Demonstra estar confiante e vem dando conta do recado. - 6,5
Gustavo Henrique: Realizava um grande clássico até o último minuto. Entretanto, cometeu uma falta na entrada da área que poderia comprometer a sua atuação. Soberano no jogo aéreo e antecipações. - 6,0
Dodô: Seu apoio não trouxe nem um lance perigoso. Tomou duas bolas nas costas que poderiam proporcionar perigo a defesa. - 5,5
Alison: Um Leão na marcação. Voltou a jogar bem. - 6,5
Pituca: Como o São Paulo não atacou necessitava mais do segundo volante no auxilio da armação e isso o jovem não fez. No segundo tempo, apareceu um pouco mais. - 6,0
Sánchez: Bem marcado, não apareceu tanto como nas outras vezes. - 6,0
(Bruno Henrique): Jogou 15 minutos apenas- SEM NOTA
Rodrygo: O melhor do time. Rabiscou a defesa adversária nos primeiros minutos e amarelou Bruno Alves, logo de cara. Roubou a bola de Arboleda, mas pecou na finalização. Poderia ter driblado Sidão que foi até a marca do pênalti. - 6,5
(Arthur): Entrou há cinco minutos do fim.- SEM NOTA
Derlis González: Voluntarioso. Não conseguiu reeditar suas boas atuações. Foi substituído. - 5,0 
(Felippe Cardoso): Jogou pouco mais de 20 minutos. Para quem é especialista dentro da área, saiu muito dela, na tentativa de tabelar. Valeu pela estréia. - 5,5
Gabriel Barbosa: Procurou jogo, mas a bola não chegou no artilheiro do Brasileiro. - 6,0
Técnico: Cuca: O time é outro em suas mãos. Conseguiu blindar o grupo dos problemas políticos. Propôs o jogo e apesar da igualdade viu seu time ser melhor no clássico. Tentou substituições ousadas, mas pararam na retranca adversária. - 6,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by