FOTO CAPA

QUATRO JOGOS SEM VENCER E TRÊS SEM MARCAR GOL

Publicado ás 18h51 deste domingo, 27 de Maio de 2018.
O Santos perdeu seu 12o. jogo na temporada. Para pouco mais de 8 mil pagantes e 10 mil presentes, o Cruzeiro bateu o Peixe por 1 a 0, no Pacaembu, em partida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. São quatro jogos sem vitória. 

Nesse jejum de três pontos foram três derrotas - Luverdense, São Paulo e Cruzeiro e um empate - Real Garcilaso-PER. Há três partidas não balança as redes adversárias. O última vez que o alvinegro foi a rede foi em Lucas do Rio Verde. E o gol foi contra.

Jair Ventura manteve Pituca na vaga de Alison lesionado e Bruno Henrique, recuperado de lesão muscular ficou na reserva. O camisa 11 entrou apenas na segunda etapa. 

O primeiro tempo do time da Vila, em relação aos últimos jogos, não foi de todo ruim. Mesmo longe do ideal e a velha dificuldade de propor jogo, teve duas boas chances de gols e diante de um dos melhores times do país na atualidade, pouco sofreu.

Veio o segundo tempo e como mandante, precisa ir em busca do resultado. Jair decidiu abrir o meio-campo, sacou Pituca que já tinha amarelo e promoveu o retorno de Bruno Henrique. Ficou apenas com Renato na marcação e Jean Mota no setor. Após bela jogada de Raniel, com direito a lençol em David Braz e maravilhosa defesa de Vanderlei após chute de Robson, na sequência do lance, após cobrança de escanteio Bruno Silva livre de marcação marcou o único gol do jogo.

Em 30 jogos na temporada, o time tem exatamente 12 vitórias, 12 derrotas e outros seis empates. O time não demonstra poder de reação e a aproximação da zona do rebaixamento é um fato. 

Antes da pausa do Brasileiro, tem mais cinco jogos: Atlético-PR na próxima quinta-feira (31), Vitória, SCCP, Internacional e Fluminense.

Sem os resultados, a pressão para todos e de todos só aumenta. Um time sem reforços e sem padrão. E não pensem que a situação não pode piorar, porque pode sim. Do jeito que está não pode ficar.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 x 1 CRUZEIRO
Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
​​Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Público e renda: 8.504 pagantes (10.670 presentes) R$ 349.730,00
Cartões amarelos: Henrique, Egídio, Robinho (CRU); Diego Pituca (SFC)
Gol: Bruno Silva, aos 30'/2ºT (0-1)
SANTOS: Vanderlei, Daniel Guedes, Gustavo Henrique, David Braz e Dodô; Renato (Cittadini - 31'/2ºT), Pituca (Bruno Henrique - 23'/2ºT) e Jean Mota; Rodrygo, Sasha (Yuri Alberto - 40'/2ºT) e Gabriel Barbosa. Técnico: Jair Ventura.
CRUZEIRO: Fábio, Edilson (Lucas Romero - 24'/2ºT), Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves (Raniel - 18'/2ºT) e Robinho; Rafael Sobis e Sassá (Bruno Silva - 27'/2ºT). Técnico: Mano Menezes.


Bruno Henrique retornou após quatro rodadas do Brasileiro ausente.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Fez uma maravilhosa defesa antes de tomar o único gol do jogo. - 6,5
Daniel Guedes: Tentou auxiliar no ataque, já que nenhum jogador do Cruzeiro ficava no seu setor. - 5,0
Gustavo Henrique: Entrou no lugar de Veríssimo que sentou desconforto muscular. Não comprometeu. - 5,0
David Braz: Não vive bom momento. No lance que originou o escanteio que na sequência resultou o gol, foi batido por Raniel. - 4,5
Dodô: Errou muitos passes e tava mal colocado no lance do gol cruzeirense. - 4,5
Renato: Limitou-se ao primeiro passe do meio-campo e postou-se a frente dos defensores. - 5,0
(Cittadini): Jogou apenas 10 minutos, incluindo os acréscimos. - SEM NOTA
Pituca: Fazia boa partida. Levou um amarelo e creio que deve ter influenciado na decisão do técnico para a sua saída. - 6,0
(Bruno Henrique): Em seu primeiro lance teve uma oportunidade de empatar o jogo. Depois não recebeu nenhuma bola que pudesse proporcionar algo. Fez sua segunda apresentação no Brasileiro. - 5,5
Jean Mota: Muitas dificuldades na armação do time. - 5,0
Rodrygo: Quando foi para o meio, esteve melhor. Deu linda assistência a Gabriel que foi travado pelo zagueiro Dedé. No segundo tempo foi discreto. - 5,5
Sasha: Foi o maior prejudicado no esquema que Jair colocou Gabriel aberto pelo lado direito. Não teve nenhuma chance. Com o meio pouco criativo, pouco podia fazer. - 5,0
(Yuri Alberto): Jogou apenas sete minutos, já com os acréscimos. - SEM NOTA
Gabriel Barbosa: Perdeu um gol após bela assistência do Rodrygo. No segundo tempo não fez nenhuma jogada. Outro que não vive bom momento. Tem culpa, mas não é exclusiva, já que o setor de criação do Santos o municia pouco. - 4,5
Técnico: Jair Ventura: Os números dele são baixos. Já são 12 derrotas na temporada, mesmo número de vitórias e outros seis empates. Além disso, não consegue impor um padrão de jogo. - 4,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by