FOTO CAPA

CUIDADO NO JOGO AÉREO

Publicado às 21h23 desta segunda-feira, 30 de abril de 2018.
Nesta terça-feira (1), o Santos realiza sua penúltima apresentação na primeira fase da Copa Libertadores da América. A equipe enfrenta o Nacional-URU, no estádio Parque Central, em Montevidéu, às 21h30 (horário de Brasília).

E por falar em Santos e Nacional, não tem como não lembrar daquele que era maior do que o gol e o melhor goleiro que vi em toda a minha vida, debaixo dos três paus - Me refiro a Rodolfo Rodriguez, campeão paulista em 1984 e que jogou nos dois times. Pelo adversário do Peixe ele foi campeão mundial em 1980.

Curiosamente, quando eu deixava o Esporte Interativo na tarde desta segunda-feira (30), pouco depois das 17h, recebo uma mensagem em meu celular. E era justamente do maior camisa 1 que eu vi com a camisa do Peixe.

Rodolfo Rodriguez estava preocupado. Ele está fora do Uruguai e não poderá assistir no Estádio, o confronto entre os times. Mas um de seus filhos (ele tem três - Rodolfo Francisco, Sérgio e uma moça chamada Sofia),  e segundo ele, um dos seus descendentes é santista "doente". Ele quer (e vai) conhecer o atual elenco e em seguida acompanhar "in loco" a partida. O rapaz vai com a delegação alvinegra para o jogo.
"Cheguei a Madrid hoje. Estive em algumas cidades da Islândia e também em Copenhague, locais que nunca estive antes. Como não estou no Uruguai, te liguei para você ajudar meu filho a sentir o que é o Santos por dentro. Eu graças a DEUS já sei" disse o goleiro que atuou por 255 vezes com o manto alvinegro entre 1984 a 1988.
Rodolfo Rodriguez em ação pelo Peixe em 1984.
Entre um papo e outro, perguntei ao eterno camisa 1 santista qual era o palpite dele para o duelo entre as equipes e Rodolfo:
"O Nacional vem empolgado porque está a um jogo de ser campeão da primeira fase (torneio apertura) no Uruguai. Não tem sofrido muitos gols e é muito forte por cima (jogo aéreo). O Santos tem que tirar a bola deles e jogar no contra-ataque. A pressão no estádio será muito forte, lembra muito a Vila, por ser pequeno. O empate serve para os dois" falou aquele que era maior que o gol, dono da mais bela sequência de defesas em 1984, na Vila Belmiro, diante do América-SP.
Se acontecer o que Rodolfo disse acima, o empate o Peixe, garante matematicamente a classificação a próxima fase. Uma vitória garante a liderança do grupo, mesmo se um revés acontecer, na última rodada, diante do Real Garcilaso-PER. O Peixe lidera o grupo com nove pontos até aqui. 

Para este compromisso, o treinador Jair Ventura não contará com o futebol de Lucas Veríssimo (suspenso), Sasha (contundido) e Bruno Henrique (lesão muscular). O camisa 11 que retornou diante do Bahia, também cumpre seu último jogo de suspensão da punição imposta pela Conmebol após dar uma cusparada em um jogador do Barcelona de Guayaquil-EQU, pelas quartas de finais da Libertadores do ano passado.

O Santos deve começar a partida com Vanderlei; Daniel Guedes, Luís Felipe, David Braz e Dodô; Alison, Cittadini e Jean Mota; Copete, Gabriel Barbosa e Rodrygo.

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by