FOTO CAPA

TIME GANHA JOGOS, ELENCO CONQUISTA CAMPEONATOS

Publicado às 19h25 deste sábado, 25 de Março de 2017.
O Santos garantiu matematicamente a sua classificação a fase de mata-mata do Paulistão 2017. Finalista dos últimos oito estaduais, o alvinegro bateu o Santo André, no ABC paulista por 1 a 0 e tem tudo para ficar na primeira colocação do grupo D. O gol santista foi de Copete, que entrou na segunda etapa. O time da Vila foi beneficiado pelo empate entre Novorizontino 0x0 Mirassol.

O time de Dorival Junior começou o duelo com três novidades. Jean Mota foi confirmado na ala esquerda na vaga de Zeca poupado, Ricardo Oliveira retornou ao comando de ataque e apesar de o Blog do ADEMIR QUINTINO ter bancado Vladimir de titular, Vanderlei foi quem começou a partida. O camisa 1 retornou após intervenção cirúrgica em um dos dedos da mão esquerda. Nos últimos cinco anos, foi a primeira vez que esse espaço não deu corretamente os 11 jogadores que iniciaram uma partida com a camisa do Peixe. A última vez que isso aconteceu foi em 2012, quando pelo Campeonato Brasileiro, banquei João Pedro em um jogo (sinceramente. não me recordo qual) e o técnico Muricy Ramalho, escalou outro jogador.

Na primeira etapa, o time Andreense não levava perigo, entretanto, conseguiu encaixar a marcação em Lucas Lima e o Santos pouco ofereceu perigo a meta de goleiro Zé Carlos.  Veio a etapa complementar e o treinador Dorival Junior que não tem por hábito mexer no intervalo (a última que me recordo foi Rafael Longuine na vaga de Vecchio, diante do Fluminense, na Vila Belmiro, em outubro de 2016), voltou com Vladimir Hernandez na vaga de Vitor Bueno. Passados 20 minutos, Copete foi para o jogo no lugar de Bruno Henrique. 

E o único gol do jogo nasceu assim. Jean Mota começou a jogada e a bola chegou em Lucas Lima, que tocou para Hernandez. O colombiano devolveu a Lucas Lima que encontrou Copete no segundo pau e o camisa 36 empurrou para o fundo do barbante. 

O Santos não fez uma apresentação tão boa como fez diante do The Strongest-BOL e até mesmo na derrota diante do Palmeiras, fim de semana passado; mas foi o suficiente para conseguir os três pontos.

Até na contramão do que a grande maioria afirma, repito o que escrevi no começo do ano. Nesta temporada, o Santos tem elenco e peças de reposição a altura para muitas posições, o que fez muita falta em 2015 e 2016. Na tarde deste sábado (25), no ABC, os suplentes foram fundamentais para que o objetivo fosse alcançado. Mesmo com o dissabor de ter perdido os três clássicos, dois no alçapão da Vila, durante a fase de classificação, o time praiano vai para o mata-mata e não se surpreenda se for finalista mais uma vez. Deixaram chegar, agora é ver quem tem mais "garrafas vazias para vender".

Na próxima quarta-feira (29), o Santos encerra a sua participação na fase de classificação, na Vila Belmiro, diante do Novorizontino, na Vila Belmiro. Toda a rodada do campeonato será no mesmo dia, às 21h45. 

FICHA TÉCNICA
SANTO ANDRÉ 0 X 1 SANTOS
Estádio Bruno José Daniel - Santo André.
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo
Público/ Renda: 9.286 presentes/ R$ 273.780
Cartão vermelho: Tiago Ulisses (STA)
GOL: Copete, aos 30'/2T (0-1) 
SANTO ANDRÉ: Zé Carlos; Cicinho, Reniê (Diogo Borges), Leonardo e Aelson (Paulinho); Renato, Tiago Ulisses, Garré e Serginho (Deivid); Claudinho e Henan. Técnico: Sérgio Soares.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz (Cléber - 33'/2T) e Jean Mota; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Vitor Bueno (Vladimir Hernández - intervalo), Ricardo Oliveira e Bruno Henrique (Copete, aos 20'/2T). Técnico: Dorival Júnior.

Thiago Maia faz uma temporada excelente. O jovem de 20 anos parece cada vez mais maduro.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Retornou após quase dois meses de ausência. Pouco trabalhou, não foi exigido. - 6,0
Victor Ferraz: Foi duas vezes a linha de fundo realizar cruzamentos. Um deles, no final do primeiro tempo, quase resultou em gol de Ricardo Oliveira. -  6,5
Lucas Veríssimo: Fazia uma partida tranquila, porém, nos acréscimos, quase se atrapalha. - 5,5
David Braz: Fazia um partida segura até deixar o gramado lesionado. - 6,5
(Cléber): Jogou pouco. Não comprometeu. - SEM NOTA
Jean Mota: No único gol, a jogada começou dos seus pés. Pouco apoiou, mas cumpriu seu papel no setor defensivo. Ficou sem cobertura no primeiro tempo. - 6,5
Thiago Maia: É o jogador mais regular da equipe em 2017. Amadureceu e tem bola para ir a Seleção principal em breve. - 7,5
Renato: Limitou-se a saída de jogo com a classe que todos conhecem. No primeiro tempo ainda foi um pouco mais a frente, com direito a chapéu no adversário em um lance. - 6,0 
Lucas Lima: Não conseguiu sair da marcação na primeira etapa. Só apareceu com a qualidade que todos conhecem, após Hernández entrar em campo. - 7,5
Vitor Bueno: Participou de poucas jogadas perigosas nos 45 minutos iniciais. Foi substituído no intervalo. - 5,0
(Vladimir Hernández): Deu mais velocidade ao meio e ataque do Santos. O colombiano fez Lucas Lima crescer no jogo após sua entrada. Deu o penúltimo passe até o gol da vitória. - 7,0
Ricardo Oliveira: Finalizou muito e perdeu gols que poucos vezes vi acontecer em sua carreira vitoriosa. Guardou o estoque para a fase final. Sempre bem colocado. - 6,0
Bruno Henrique: Não conseguiu usar a velocidade, sua maior qualidade. - 5,5
(Copete): Melhorou a cobertura de Jean Mota e foi coroado com o gol da vitória.- 7,5
Técnico: Dorival Júnior: Mexeu e bem. As entradas dos jogadores que estavam no banco foram fundamentais para a vitória. - 7,5


16 MIL NO INSTAGRAM

O meu perfil no instagram (@ademirquintino) atingiu mais um número significativo neste fim de semana. Agora, são 16 mil seguidores nesta rede. 

Já são 5 mil amigos (número máximo permitido) e 18 mil seguidores no facebook (só tenho um perfil e não pretendo criar outro), 32,2 mil na fanpage e 32,5 mil no twitter.

Muito obrigado pela confiança no meu trabalho. 



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by