FOTO CAPA

EMBALOU

Publicado às 07h49 desta quinta-feira, 16 de junho de 2016.
O Santos conquistou mais uma vitória no Brasileiro 2016. Foi a terceira consecutiva e sem ter a defesa vazada em nenhum dos três jogos. Em uma partida onde o time perdeu uma enxurrada de gols na primeira etapa, o Peixe bateu o Sport por 2 a 0, com gols de Gabriel e Vitor Bueno.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO disse na véspera do confronto, apesar de Lucas Lima e Gabriel terem retornado da seleção brasileira e treinado como titulares, o treinador santista tinha dúvidas se ambos começariam o duelo. Pois bem, quando a escalação oficial foi divulgada, ao contrário do que a maioria imaginou, apenas o atacante iniciou o jogo. O meia ficou como opção entre os suplentes e Cittadini foi mantido de titular. O comandante técnico santista explicou o por que dessa escolha:
"Ambos voltaram de uma viagem desgastante. Se eu começasse com os dois, fatalmente eu perderia um deles no intervalo e teria de fazer uma subsituição. Achei por bem colocar o Lucas apenas no segundo tempo."
Na primeira etapa, o Santos perdeu sem exagero, 9 gols. Só o centroavante Joel desperdiçou três grandes oportunidades. Era para ter liquidado a partida nos primeiros 45 minutos. 

Na volta do intervalo, Dorival mexeu e retirou a referência no ataque. Sacou Joel e colocou Lucas Lima. A defesa do Sport se adiantou e o alvinegro parou de pressionar. Ao perceber que precisava de um atacante espetado novamente, o treinador colocou Paulinho aberto e trouxe Gabriel pra dentro da grande área para ter novamente um homem próximo do gol, que ele havia retirado. Foi a senha para a vitória. Lucas Lima foi a linha de fundo e cruzou para Gabigol abrir o placar.

No fim da partida, o Leão do Norte se mandou para a frente e chegou por poucos minutos, "amassar" o Santos no campo de defesa, principalmente pelo lado-esquerdo da defesa. O jovem Yuri, em quem eu, particularmente, deposito muita esperança, fez sua estréia improvisado de lateral canhoto na vaga de Caju e acabou com a festa pelo local. Praticamente no apagar das luzes, Vitor Bueno marcou o segundo gol em um contra-ataque e o Peixe pulou para o G-4, pelo menos até esta quinta-feira (16), onde vai torcer muito para o Fluminense vencer o rival SCCP. Se isso acontecer, o alvinegro termina a rodada na zona de classificação da Libertadores.

Qual o destino do Santos no Campeonato? É precoce dizer. Ficou evidente que com Lucas Lima e Gabriel, o time fica bem mais encorpado e objetivo. Se ambos permanecerem e não deixarem o clube durante a janela de transferência, mais a volta de Ricardo Oliveira, além dos contratados e apostas internacionais Copete e Vecchio à disposição depois do dia 20, o Peixe vai brigar na parte de cima. Se vender alguém no meio do ano, essa possibilidade cai bastante.

Para não dizer que não falei das flores, a nota triste foi a péssima presença do público. A equipe brigando para entrar no G-4 e não tivemos 5 mil torcedores pagantes em Urbano Caldeira. Lamentável, sob todos os aspectos e por mais que possam responder, nada, absolutamente nada, explica a ausência do torcedor da baixada.

Nas próximas duas rodadas, o Santos vai jogar como visitante. Primeiro no sábado (18), o alvinegro enfrenta o Atlético Paranaense, às 18h30, na Arena da Baixada, sem o zagueiro Gustavo Henrique que recebeu o terceiro cartão amarelo, entretanto, terá a volta de Zeca que cumpriu suspensão automática. Na próxima quarta-feira (22), o time praiano joga em Cariacica-ES, diante do Fluminense-RJ.

Gabriel retornou da seleção e abriu o marcador na Vila.
FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 X 0 SPORT-PE
Vila Belmiro
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS-FIFA)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique (SAN). Luiz Antônio, Edmílson e Oswaldo (SPORT).
Renda: R$ 123.620,00
Público: 4.937 pagantes
GOLS: SANTOS: Gabriel, aos 20, e Vitor Bueno, aos 42 minutos do 2T.
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju (Yuri); Renato, Thiago Maia, Léo Cittadini (Paulinho) e Vitor Bueno; Gabriel e Joel (Lucas Lima). Técnico: Dorival Júnior.
SPORT: Magrão, Samuel Xavier, Oswaldo, Durval e Renê; Rithely, Luiz Antônio (Rodrigo Mancha), Gabriel Xavier (Cleyton), Everton Felipe e Diego Souza; Edmilson (Lenis).. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Fez duas grandes defesas, apesar de ter trabalhado pouco. - 6,5
Victor Ferraz: Voltou a aparecer esporadicamente no meio, em razão da sua qualidade no passe. Não apoiou tanto como costumeiramente faz em jogos principalmente na Vila. - 6,0
Luiz Felipe: Seguro. Joga para o mato, quando a partida exige. - 6,5
Gustavo Henrique: Fez sua centésima primeira partida com o manto. Só teve trabalho em um lance que foi chutar com força a bola, explodiu no adversário e teve que matar a jogada com falta e recebeu o terceiro amarelo. Novamente, bem posicionado e aos poucos retoma a confiança em que levou-o a barrar Durval de titular, em 2013, sob o comando de Claudinei Oliveira. - 6,5
Caju: Muito bem no apoio e foi bastante participativo. Deu inicio a jogada do primeiro gol de Gabriel. Entretanto, ainda carece de melhorar a sua marcação. Levou uma canseira de Ewerton Felipe no segundo tempo. Foi substituído com câimbras. - 7,0
(Yuri): Apesar de ter jogado pouco tempo em sua estréia com a camisa alvinegra, acabou com a festa do lado esquerdo da defesa, onde o Sport se lançou para tentar o empate. - 6,5
Renato: Dessa vez a classe do volante não apareceu tanto. Quase abriu o marcador no primeiro tempo, porém, Magrão fez ótima defesa. - 6,0
Thiago Maia: Como de costume correu demais. Um show de desarmes. - 6,5
Léo Cittadini: Fez bom cruzamento para Joel no começo do jogo, mas o camaronês desperdiçou. Na vaga de Lucas Lima esperava-se que ele fosse o homem da coordenação de jogadas, entretanto, limitou-se a passes laterais. - 6,0
(Paulinho): Taticamente participativo. Entrou pelo lado direito do ataque. Pouco produziu. - 5,5
Vitor Bueno: O artilheiro do Santos no Brasileiro marcou mais um gol, o quarto na competição. Foi meia e virou atacante pelo lado esquerdo, quando o time perdeu a referência. - 7,0
Gabriel: Faltou sorte em sua primeira finalização que tirou tinta do poste. Ainda no primeiro tempo, perdeu um gol que costumeiramente não desperdiça. Na segunda etapa, como centroavante, abriu o placar e ainda deu a assistência para Vitor Bueno. Fisicamente, muito bem. Tá voando. Muito participativo. - 7,5
Joel: Não anda bem tecnicamente. Ainda assim, não devia ter sido substituído, pois, além de ser a referência, prendia os zagueiros do Sport próximos ao gol. Perdeu três chances claras em 45 minutos. - 4,5
(Lucas Lima): É o dono do time. Apesar de não ter sido brilhante como em outras ocasiões, foi decisivo para a conquista dos três pontos. Fez a jogada do gol que abriu o caminho para a vitória. - 7,0
Técnico: Dorival Júnior: Errou ao sacar Joel no intervalo e tirado a referência. Enxergou que precisava de alguém dentro da área e pouco mais de 10 minutos da primeira substituição, colocou Gabriel espetado entre os zagueiros. Na primeira jogada foi premiado com o gol de abertura do placar. Conseguiu remontar o time em meio aos inúmeros desfalques nas ausências dos selecionáveis e contundidos nessas três vitórias seguidas. - 7,0

RÁDIO SANTOS FC

Na partida entre Santos e Sport fui o convidado para comentar o duelo pela rádio Santos FC. Ao final do embate, recebi o convite para integrar a equipe em todas as transmissões dos jogos do clube e aceitei. 

As jornadas são transmitidas pela Web (http://www.santosfc.com.br/radio/)  ou se preferir para ouvir, baixe pelo aplicativo radios.com.br e na rádios.net (procurar Rádio Santos FC). 




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by