FOTO CAPA

O FUTEBOL NÃO TOLERA DESAFORO

Publicado às 10h40 desta quinta-feira, 3 de dezembro de 2015.
O Santos está fora da Libertadores do ano que vem. O Peixe perdeu no tempo normal e nos pênaltis para o Palmeiras e ficou apenas com o vice-campeonato da Copa do Brasil - 2 (4)x 1 (3). Foi uma noite bem abaixo da capacidade produtiva do alvinegro praiano.

O time da Vila não conseguiu segurar a bola e com exceção dos últimos 15 minutos finais do primeiro tempo, não teve pinta de campeão e não deixou o adversário de qualidade técnica limitada, em desespero.

Nos últimos treze anos com exceções dos títulos paulistas de 2006 (pontos corridos) e a decisão do ano seguinte contra o São Caetano, o Glorioso jamais deu a volta olímpica como campeão, sem a presença de um dos "raios" - Neymar ou Robinho.

Foi visível na noite desta quarta-feira (2) que faltou um jogador que chamasse a responsabilidade, parasse a bola, porque algumas peças que brilharam durante a temporada, não renderam.

Não bastasse isso, ouvi há dois anos de um ex-treinador santista em um bate-papo informal, que quando você tem jogador ruim no elenco, é duro porque uma hora ele tem de jogar. Aconteceu nessa decisão em três oportunidades e em todas, falhas individuais e nenhum deles se superaram e vieram a falhar. Ou alguém aqui tem dúvida, que o gol perdido na semana passada fez falta e os dois gols do Verdão não tiveram falhas individuais?

Em uma semana, o Santos conseguiu ressuscitar os rivais Palmeiras e São Paulo. O time de Parque Antártica não tinha bola suficiente para despachar o Peixe na Copa do Brasil e o fez. E o São Paulo, mesmo levando de seis do SCCP, há alguns dias, tem tudo para ir a Libertadores porque o Santos colocou o seu fraco time reserva nas duas últimas partidas e deu de bandeja o quarto lugar do Brasileirão ao time do Morumbi, priorizando a perdida Copa do Brasil.

O torcedor alvinegro vai ter de ficar no sofá ao ver os adversários, todos eles, na maior competição continental e pelo quarto ano seguido, o Santos não vai disputar.

Não serei incoerente e culparei o treinador. Já disse que o Santos tem um bom time titular, mas o elenco deixa a desejar. O técnico fez o que podia. A capacidade de um comandante em poder alterar um quadro dentro de campo vai até um certo ponto em uma decisão.  

Agora, dentro dessa coerência, condenei e torno a fazer o fato de ter poupado jogadores diante do Coritiba, Os pontos perdidos nessa partida fazem com que o clube não tenha chance na última rodada do Campeonato Brasileiro. Poderiam ser poupados os veteranos Ricardo Oliveira e Renato. Os demais são novos e poderiam ser utilizados. Mas os próprios jogadores, segundo Dorival, pediram para não atuar.

Jogadores como Chiquinho, Werley, Marquinhos Gabriel, Leandro, Marquinhos e Nílson devem deixar o Clube pois tem contrato se encerrando e não devem permanecer em 2016.

O ano foi ruim? Não, por tudo que se falou e das perspectivas negativas com o time rondando a zona de rebaixamento em algumas rodadas, o saldo não foi de toda ruim. Mas para quem tinha a vaga na Libertadores na mão, em duas competições, termina de forma trágica.

E para não dizer que não falei das flores, parabéns a quem pediu adiamento das partidas diante do Palmeiras nas finais da Copa do Brasil. Não creio que isso tenha sido fundamental, mas recuperou jogadores como Arouca no rival, enquanto o Santos, vinha bem embalado naquele momento e teria chance de se recuperar no nacional se o pior acontecesse, como efetivamente ocorreu.


Apesar de ter feito excelentes partidas diante de SCCP e São Paulo, o Peixe sucumbiu na decisão.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 (4) X (3) 1 SANTOS
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Renda/Público: R$ 5.336.631,25 / 39.660
Cartões amarelos: Matheus Sales e João Pedro (PAL); Gabriel (SAN)
Cartões vermelhos: 
GOLS: Dudu, 11'/1ºT (1-0); Dudu, 39'/2ºT (2-0); Ricardo Oliveira, 41'/2ºT (2-1)
PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro (Lucas Taylor, 26'/2ºT), Vitor Hugo, Jackson e Zé Roberto; Matheus Sales, Arouca e Robinho; Gabriel Jesus (Rafael Marques, 40'/1ºT), Dudu e Lucas Barrios (Cristaldo, 26'/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz (Werley, 28'/1ºT), Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia (Paulo Ricardo, 35'/2ºT) e Lucas Lima; Gabriel (Geuvânio, 18'/2ºT), Marquinhos Gabriel e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Pegou uma bola com menos de um minuto de jogo. Pegou um pênalti. Terceiro vice-campeonato da Copa do Brasil. - 7,0
Victor Ferraz: Colocou uma bola na trave no primeiro tempo. Depois travou um duelo com Zé Roberto. - 6,5 
David Braz: Foi substituído contundido. Jogador que cresce em decisão. - 6,0
(Werley): Errou saídas fáceis de bola. Tomou o giro de Barrios no lance do primeiro gol de Dudu. Se redimiu com uma bola com um toque de calcanhar no gol de Ricardo Oliveira que levou o duelo para os penais. - 5,5
Gustavo Henrique: Soberano no alto, teve momentos que jogou "sozinho". Levaria melhor nota, entretanto, perdeu um dos pênaltis. -6,0
Zeca: No primeiro tempo foi a frente e era uma das válvulas de escape. No segundo tempo teve que virar na marcação. Em alguns momentos, dobraram dois jogadores em cima do ala pela esquerda. 6,0
Renato: Limitou-se a ficar a frente da zaga. - 5,5
Thiago Maia: Esforçado. No segundo tempo, não levou a melhor sobre Arouca. - 6,0
(Paulo Ricardo): Falhou na bola aérea do segundo gol palmeirense. - 5,0
Lucas Lima: Bem marcado, não chamou a responsabilidade. -5,0
Gabriel: A exemplo de Lucas Lima, apagado. Levou amarelo e foi substituído.- 5,0
(Geuvânio): Entrou bem. Marcava a saída de bola, tinha o drible e quando foi para a direita, deitou em cima de Zé Roberto. - 6,5
Marquinhos Gabriel: Começou bem nas costas de João Pedro. Assustadoramente caiu muito de produção. Perdeu a primeira penalidade máxima. - 5,0
Ricardo Oliveira: A única bola que chegou, guardou. - 6,5
Técnico: Dorival Júnior: Fez o que pode com o material humano que tem no banco. Não conseguiu contagiar o time para que voltasse melhor. - 5,5



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by