FOTO CAPA

DAVA PRA TER VENCIDO

Publicado às 21h35 deste sábado, 15 de agosto de 2015.
O Peixe teve tudo para conquistar sua primeira vitória fora de casa. Pouco correu riscos, teve pênalti a favor, bola na trave, mas ainda não foi dessa vez que o alvinegro voltou com três pontos na bagagem para o litoral paulista. Na Arena da Baixada, em Curitiba, o Atlético Paranaense e o Santos ficaram no 0 a 0. 

Novamente, o alvinegro começou com a sua marcação pressão precisa, característica e marca da equipe, após a chegada de Dorival Junior. E deu certo, ganhou o meio-campo, entretanto, sentiu a falta de Renato, que contundido não viajou, pois Paulo Ricardo marcava bem, mas não tinha a mesma qualidade no passe. Ainda assim, Geuvânio cruzou e a bola bateu no braço do zagueiro Kadu. O árbitro marcou pênalti. Ricardo Oliveira bateu no mesmo canto que tinha batido e perdido na quarta-feira, diante do Vasco, à direita do goleiro e Weverton, goleiro do clube paranaense - também pegou.

No segundo tempo, o Glorioso voltou a ter nova oportunidade real e dentro da pequena área, três metros da linha do gol, Ricardo Oliveira novamente, chutou no travessão. O Atlético-PR também teve algumas chances, em quantidade menor que o Santos, mas também não conseguiu marcar o gol.
"De novo perdi um pênalti e em uma bola fácil para fazer o gol, acertei a trave. Isso vai mudar." garantiu o artilheiro do Peixe no ano ao final da partida - Ricardo Oliveira.
Sendo assim, a primeira vitória fora da Vila contra times da elite do futebol brasileiro, em 2015, fica pra Arena de Itaquera, diante do rival SCCP, dia 26, na partida de volta pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Antes, porém, no estádio da Vila Belmiro, contra o mesmo SCCP, tem o jogo de ida pra decidir qual dos alvinegros vai as quartas de final da competição nacional. O volante Renato, ausente diante do rubro-negro da região Sul deve ser a novidade.

Fica o otimismo que o time melhorou muito e o Peixe não perde há seis jogos. Vitórias contra Sport, Joinville, Coritiba e Vasco, além dos empates contra o Flamengo e Atlético-PR, ambos fora do caldeirão da Vila. Pelo Brasileiro, o alvinegro só volta a campo no fim de semana seguinte, na primeira rodada do returno, diante do Avaí-SC, também no estádio Urbano Caldeira.

Weverton defendeu o pênalti cobrado por Ricardo Oliveira.
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 0 x 0 SANTOS
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Árbitro: Bruno Arleu (RJ)
Cartões amarelos: Alan Ruschel e Daniel Hernández (CAP); Victor Ferraz (SAN)
Cartão vermelho: Alan Ruschel (CAP)
Público e renda: 19.849 pagantes (21.829 presentes) / R$ 534.590,00
ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Vilches, Kadu e Alan Ruschel; Deivid (Jadson, aos 26/2ºT), Otávio, Barrientos (Walter, intervalo), Marcos Guilherme e Hernández; Crysan (Douglas Coutinho, aos 9/2ºT)). Técnico: Milton Mendes
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo, Thiago Maia e Lucas Lima (Leandro, aos 36/2ºT); Geuvânio (Neto Berola, aos 26/2ºT), Ricardo Oliveira e Gabriel (Marquinhos Gabriel, aos 20/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

NOTAS DOS JOGADORES SANTOS
Vanderlei: Pegou uma bola de mão trocada em cabeçada de Douglas Coutinho, extremamente difícil. - 6,5
Victor Ferraz: Não conseguiu apoiar tanto como nos últimos jogos. Não deu espaços na marcação. - 6,0
Gustavo Henrique: Perfeito no jogo aéreo. O dono da posição. - 7,0
David Braz: Levou um drible da vaca no primeiro tempo. Depois, se recuperou. Liderou a retaguarda. - 6,0
Zeca: Teve dificuldades na marcação, já que os dois estrangeiros do Atlético-PR caiam pelo seu setor e não tinha cobertura. No segundo tempo, conseguiu apoiar algumas poucas vezes. - 6,0
Paulo Ricardo: É jovem, pode melhorar o passe, sua principal dificuldade. Foi bem na marcação. - 5,5
Thiago Maia: Não apareceu na entrada de área, como de costume, entretanto a sua marcação foi eficiente. - 6,0
Lucas Lima: Qualquer semelhança é mera coincidência, creio eu, mas após ser convocado para a Seleção Brasileira fez uma apresentação bem abaixo da sua capacidade. - 5,5
(Leandro): Visivelmente sem ritmo de jogo. Precisa entrar em forma. Não joga há muito tempo. Jogou 10 minutos apenas - SEM NOTA
Geuvânio: O melhor do Santos, ao lado de Gustavo Henrique. Driblou, conseguiu um pênalti, mas ainda peca por "correr errado" em alguns momentos. - 7,0
(Neto Berola): Jogou vinte minutos. Pouco apareceu na partida. Discreto. - 5,0
Ricardo Oliveira: Voltou a perder pênalti, perdeu outro gol na pequena área. Eu, particularmente, acredito na capacidade do jogador e tenho convicção que ele vai "brocar" quarta-feira. Foi o personagem da partida. Podia ter dado a primeira vitória fora. Entretanto, é o artilheiro do campeonato. Tem crédito. Sorte de Vasco e Atlético Paranaense, azar do SCCP. - 4,5
Gabriel: Não reeditou os últimos bons jogos. Bem marcado. - 5,0
(Marquinhos Gabriel): Entrou para ser o armador, mas não conseguiu dar velocidade aos atacantes de lado. - 5,5
Técnico: Dorival Júnior: Organizou bem o time taticamente, mas poderia ousar um pouco mais nas substituições. É muito melhor arriscar pra ganhar dois pontos a mais, mesmo que perdesse o único ponto que trouxe na bagagem. - 6,0

Apoio: 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by