FOTO CAPA

BROCHANTE

Publicado às 14h06 deste domingo 31/05/2015

Por: Felipe Takashi

Hoje em excepcional, o titular do blog, nosso amigo Ademir Quintino, não pôde relatar o empate entre Santos e Sport na Vila Belmiro, pelo placar de 2 a 2, por que, no mesmo horário, estava na cidade de Jundiaí, acompanhando a vitória do time de seu filho Andrey, a Ponte Preta, por 3 a 0 sobre os donos da casa, o Paulista, em partida válida pelo Campeonato Paulista sub-13.

Isto posto, peço que não me xinguem, como certamente farão com o próximo substituto de Robinho, que se ausentará das próximas sete partidas do Peixe no Brasileirão, em razão da disputa da Copa América.

Sem nenhuma novidade, o grande personagem desta manhã de domingo no Estádio Urbano Caldeira que recebeu grande público (13.481 torcedores e renda de R$ 321.055,00.) era o camisa 7 alvinegro.

Ele não decepcionou. Logo de cara, aos 8 minutos, fez grande jogada individual, deixou o ex-santista Durval no chão, mas finalizou mal. Na sequência, antes do fim do primeiro tempo, Daniel Guedes (Titular, como o amigo Ademir Quintino informou com exclusividade) foi na linha de fundo, bola na testa de Robinho, defesa do goleiro, rebote de Ricardo Oliveira, bola na trave! E ele, Robinho, pegou de voleio, na veia, estufando as redes do time nordestino. Um a zero.

Na etapa complementar, o Sport, muito bem comandado pelo técnico Eduardo Baptista, saiu para o jogo. Deu certo!
Com marcação adiantada, bola recuperada em passe displicente de Lucas Lima e gol de Joelinton. Prêmio para um time com muito menos recursos, mas com formato de jogo e treinamento mais atualizados que o do Santos.

Mas, Lucas Lima que havia falhado grosseiramente no gol adversário, redimiu-se. Foi dele a cobrança de escanteio que encontrou o zagueiro Werley na pequena área. Dois a um!

Na sequência, Robinho reapareceu, puxou contra ataque em altíssima velocidade para servir Lucas Lima que rolou para Gabriel... Mas, o jovem atacante, sem goleiro, sem ninguém, desequilibrou-se e perdeu a chance de liquidar a fatura.

E assim, como bem diz o amigo Ademir Quintino, futebol não tolera desaforo! Aos 47 do segundo tempo, Renato que até então tinha 100% de aproveitamento dos passes no jogo, errou, deu nos pés de Diego Souza que armou a jogada até a finalização do lateral Samuel Xavier. Dois a dois!

E quando já era início de tarde na Vila, vaias para o time que desperdiçou, assim como na primeira rodada, mais dois pontos.

Ficha Técnica:

SANTOS 2 X 2 SPORT
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 31/5/15 - 11h

Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (SC) e Leonardo Mendonça 

Público/renda: 13.481 pagantes / R$ 321.055
Gols: Robinho, 42'/1ºT (1-0); Joeliton, 5'2ºT (1-1), Werley, 24/2'ºT (2-1) e Samuel Xavier, 47'/2ºT (2-2)

SANTOS: Vladimir; Daniel Guedes (Chiquinho, 12'/2ºT), Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabigol, 20'/2ºT), Robinho e Ricardo Oliveira (Rafael Longuine, 28'/2ºT). Técnico: Serginho Chulapa.

SPORT: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Neto e Regis (Diego Souza, intervalo); Maikon Leite (Élber, intervalo) e Joelinton (Mike, 14'/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista.

Notas dos jogadores do Santos:

Vladimir: Uma no cravo, outra na ferradura. Fez defesa extraordinário em cabeçada de Diego Souza, mas, inegavelmente, falhou no segundo gol pernambucano. Nota: 5,5

Daniel Guedes: Titular, como o amigo Ademir Quintino informou com exclusividade, fez a jogada do primeiro gol, atuou com grande personalidade, merece mais oportunidades. Nota: 7,0

(Chiquinho): Entrou no lugar de Daniel Guedes, deslocando Victor Ferraz para a direita. Pé frio, foi no seu setor que o Sport empatou o jogo. Nota: 5,0

David Braz: Nada pôde fazer nos gols do oponente, foi bem na medida do possível. Nota: 6,5

Werley: Marcou o segundo gol. Mas, compromete o sistema defensivo quase sempre. Para um zagueiro que não é tão alto como ele, é necessário melhor posicionamento e mais recurso técnico. Nota: 5,5

Victor Ferraz: No lado esquerdo, invariavelmente, atua melhor. Nesta manhã não foi diferente. Seguro na defesa. Nota: 6,0

Renato: Fazia grande partida até o momento fatídico. Errou passe bobô nos acréscimos do segundo tempo. Imperdoável. Nota: 5,0

Lucas Otávio: Tem potencial e recurso técnico. Porém, carece de orientações melhores para posicionar-se, quase sempre desprotege a entrada da área por "correr errado", como se diz na gíria do futebol. Nota: 5,0

Lucas Lima: Longe das atuações que nos acostumamos a ver. Errou muitos passes por displicência. Assim como seu xará Otávio, carece de um treinador mais atento e moderno. Pela qualidade que tem, não deveria ter dificuldade em resolver a jogada com um tapa só. As vezes, corre mais com a bola que o necessário. Nota: 5,0

Geuvânio: Tem velocidade, boa finalização, excelente drible, mas, seguindo a linha de Lucas Lima, tem dificuldade em resolver a jogada com toque simples, ou posicionar-se para tabelar com seus companheiros de ataque. Tem potencial para jogar em altíssimo nível, não foi o caso hoje. Nota: 5,0

(Gabriel): Não entrou mal, inclusive, entrou melhor que seu antecessor Geuvânio, mas perdeu um gol que não se pode perder. Nota: 5,0

Robinho: Esse foge a regra. De novo, foi o jogador em campo mais lúcido. Inteligentíssimo e participativo. O único pecado é a finalização. Fará muita falta para o Santos. Hoje, de longe, foi o melhor do time. Nota: 7,5

Ricardo Oliveira: Tenho a impressão que sofre com problemas físicos. Não é sombra do que foi no início da temporada. Não se movimenta corretamente, não participa do jogo e quase sempre é flagrado em posição de impedimento. Nota: 4,5

(Rafael Longuine): Entrou no lugar do centroavante, mas atuou ao lado de Lucas Lima na criação. Teve grande chance para marcar, mas desperdiçou. Nota: 5,5

Serginho Chulapa: Acertou ao tirar Ricardo Oliveira, mas errou ao mexer nas laterais que iam bem. Foi penalizado. Nota: 5,0.

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by