FOTO CAPA

O REI DOS EMPATES

Postado às 22h26 desta quinta-feira, 22 de Maio de 2014.
O Santos perdeu uma excelente oportunidade de conquistar três pontos e sair de sua rotina "amarga" de empates no Campeonato Brasileiro. O time de Oswaldo de Oliveira foi bem melhor que o adversário, principalmente no primeiro tempo. Ao lado do Coritiba, o alvinegro da Vila é a equipe que mais empatou até aqui. Em seis rodadas, já são quatro igualdades. Resultado: 2 a 2 com o Goiás. Os gols do Peixe foram marcados por Geuvânio e Cícero.

Com Renato como estreante, o Santos teve um meio-campo com mais qualidade no passe e o veterano que jogava bem (até entregar a paçoca no segundo gol dos esmeraldinos) parece que vai dar uma cara diferente ao time. Os quatro jogadores que formaram o setor (Arouca, Renato, Cícero e Lucas Lima) tem bom passe e o time de Oswaldo surpreendeu e ditava o ritmo da partida. Porém, após abrir o marcador, levou um gol de bola parada (mais uma vez), mas teve poder de reação e foi para o intervalo com a vantagem parcial de 2 a 1.

A nota triste na etapa inicial foi mais uma contusão muscular, a quinta com jogadores do Santos e estamos apenas no mês de Maio, ou seja, não chegou nem no meio da temporada. Gabriel foi substituído após problemas no posterior da coxa direita e deve ficar afastado das próximas rodadas. Arouca, Neto, Emerson e Alan Santos também desfalcaram o Peixe em 2014, por conta de problemas musculares.

No segundo tempo, o técnico Ricardo Drubscky colocou jovens na equipe esmeraldina e surtiu o efeito desejado. Além do melhor futebol do time da casa, o desempenho físico do time alvinegro caiu no último terço da partida e após falha de Renato, que entregou a bola nos pés do menino Assuério, o Goiás chegou ao empate e o Peixe levou gol de contra-ataque, quando vencia o jogo na casa do adversário, o que é inadmissível.
"Eu mesmo acabei errando o passe que acabou no gol do Goiás" - admitiu o camisa 35 do Santos, após a partida.
O Santos vacilou e apesar ter sido melhor, deixou de levar mais dois pontos na bagagem para São Paulo. Domingo (25) às 16 hs, no Estádio do Morumbi, o alvinegro, que permanece como pior paulista da competição, tenta vencer a primeira partida como mandante e enfrenta o Flamengo (RJ).

FICHA TÉCNICA: 

GOIÁS 2 X 2 SANTOS 

Data e horário: 22/5/2014, às 19h30
Local: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Cartões amarelos: Thiago Mendes e David (GOI); David Braz (SAN)
Gols: Geuvânio, aos 8'/1ºT (0-1); Alex Alves, aos 25'/1ºT (1-1); Cícero, aos 38'/1ºT (1-2); Erik, aos 23'/2ºT (2-2)
GOIÁS: Renan; Thiago Mendes, Alex Alves, Jackson e Juliano (Lima, Intervalo); Amaral, David, Ramon, Tiago Real (Assuério, aos 21'/2ºT) e Esquerdinha (Erik, aos 12'/2ºT); Danilo. Técnico: Ricardo Drubscky
SANTOS: Aranha; Cicinho, Jubal, David Braz, Zé Carlos; Arouca, Renato (Leandrinho, aos 37'/2ºT), Cícero, Lucas Lima; Gabriel (Stéfano Yuri, aos 46'/1ºT) e Geuvânio (Victor Andrade, aos 21'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira,

NOTAS DOS JOGADORES SANTOS
Aranha: Sem culpa nos gols - 6,0
Cicinho: Bem no apoio. Fez o cruzamento do primeiro gol - 6,5
Jubal: Não comprometeu - 6,0
David Braz: Sofreu o pênalti convertido por Cícero. Quando não se mete a querer ser um "Luis Pereira", não é nenhuma oitava maravilha do mundo, mas dá conta do recado - 6,5
Zé Carlos: Se aventurou pouco ao ataque. Normal para o jovem que foi titular do profissional pela primeira vez - 6,0
Arouca: Eficiente na marcação, não pode se aventurar no ataque para dar liberdade a Renato - 6,5
Renato: Fazia boa partida, mas falhou nos dois gols do Goiás. No primeiro deixou o zagueiro arrematar e no segundo, armou o contra-ataque dos esmeraldinos. Ainda assim, arrisco-me a dizer que vai dar uma nova cara ao meio santista - 5,5
(Leandrinho): Poucos minutos em campo - sem nota
Cícero: Fez bom primeiro tempo e ainda marcou gol de pênalti. Porém, desapareceu no segundo tempo, talvez por cansaço - 6,0
Lucas Lima: Não é nenhum jogador diferenciado, mas dá o ritmo na meia cancha alvinegra. Alternou bons e desaparecidos momentos durante o jogo - 5,5
Gabriel: Jogava bem. Colocou bola no travessão no gol de Geuvânio. Foi substituído após problemas musculares - 6,5
(Stéfano Yuri): Teve que substituir o homem da velocidade no ataque santista. Não é a dele - 5,0
Geuvânio: No lugar certo ao balançar as redes na primeira etapa. Cansou na etapa complementar - 6,5
(Victor Andrade): Muita disposição, ganhou algumas jogadas no corpo. Deixou David Bráz na cara do gol, mas o zagueiro desperdiçou - 6,5
Técnico: Oswaldo de Oliveira: Errou ao substituir Gabriel,  contundido, jogador de velocidade, por um jogador de área - Stéfano Yuri. Arrumou o meio de campo com a entrada de Renato, porém não foi bafejado pela sorte, pois o veterano falhou no gol de empate do adversário - 5,5

                                            

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by