FOTO CAPA

ESPETÁCULO POBRE

Postado às 00h42 desta sexta-feira, 9 de Maio de 2014.
Sem medo de errar. Santos e Princesa do Solimões fizeram a pior partida que eu assisti na temporada de 2014. O Peixe venceu o time da casa na Arena Amazônia, por 2 a 1, porém, não evitou o jogo da volta, marcado para a próxima quinta-feira (15), no estádio da Vila Belmiro. Os gols do Peixe foram de Gabriel e Alan Santos. O vencedor deste confronto enfrenta o Londrina-PR na terceira fase da Copa do Brasil.

A vitória santista foi mentirosa. O time foi mal técnica e taticamente. Os comandandos de Oswaldo de Oliveira fizeram 2 a 0 com nove minutos de jogo e pararam de jogar. Daí em diante, o que se viu foi uma caricatura mal feita de um time de futebol contra uma equipe semi-amadora do interior da Amazônia.

Mas o que já estava ruim, ficou pior. Depois do intervalo, o time alvinegro parecia que tinha comido uma feijoada ou um leitão a pururuca e voltou com uma letargia intolerável. E o Princesa do Solimões marcou um gol, em um vacilo incrível de toda defesa alvinegra, o que obriga o jogo da volta. 

Como o Peixe não eliminou o segundo jogo, deixou de arrecadar 60% da renda líquida de R$ 568.270,00, pois na Copa do Brasil, o mandante é o dono da renda, exceto nas partidas em que o adversário elimina a segunda a partida.

Palmeiras e São Paulo perderam para times medíocres na mesma competição, mas nada disso justifica a vergonhosa e péssima apresentação santista. Aliás, os times do estado de São Paulo estão se acostumando a dar vexame nos últimos anos. Foi uma apresentação pavorosa do alvinegro praiano.

O Santos pagou por ter relaxado e como punição vai enfrentar a medíocre equipe amazonense na próxima semana. No próximo domingo (11), o Peixe volta a campo, desta vez pelo Campeonato Brasileiro contra o Figueirense (SC), no estádio do Café em Londrina (PR).  

Os últimos jogos do Santos me transmitem a sensação de que tudo que se fazia crer nesse time, acabou - simples assim.

FICHA TÉCNICA:
PRINCESA DO SOLIMÕES-AM 1 X 2 SANTOS
Estádio: Arena da Amazônia, Manaus (AM)
Data/hora: 8/5/2014 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Público pagante/renda: 19.475 pagantes/R$ 568.270,00
Cartões amarelos: He-Man, Amaral, Rondinelly e Derick (PDS); Jubal e Alan Santos (SAN)
GOLS: Gabriel (04'/1ºT, 0-1), Alan Santos (09'/1ºT, 0-2), Branco (02'/2ºT, 1-2)
PRINCESA DO SOLIMÕES: Rascifran; Derick, Lídio, He-Man e Alberto (Edinho/intervalo); Rondinelly, Amaral, Fininho e Michel; Nando (Marinelson/intervalo) e Branco (Dilcinei 39'/2ºT). Técnico: Marcos Píter.
SANTOS: Aranha; Bruno Peres, Bruno Uvini (Diego Cardoso 31'/2ºT), Jubal, Emerson; Alison, Alan Santos (Serginho 35'/2ºT), Lucas Lima; Gabriel, Leandro Damião e Geuvânio (Leandrinho/25'2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

Aranha: Se atrapalhou com Alison no gol do time da casa - 5,0
Bruno Peres: Deu espaços na marcação - 4,5 
Bruno Uvini: Apesar de ter sido um dos melhor jogadores santista na partida, não fez nada excepcional. Jogou sério, mas sentiu a falta de ritmo. Saiu com caimbras - 6,0
(Diego Cardoso): Não recebeu nenhuma bola para poder finalizar - 5,5
Jubal: Não repetiu ainda as boas performances nas oportunidade que teve em 2013 - 5,0
Emerson: Desta vez apareceu no apoio, principalmente no primeiro tempo. Na etapa complementar teve dificuldades na marcação - 5,5
Alison: Não reeditou suas ótimas performances na marcação - 5,0
Alan Santos: Marcou seu primeiro gol. A exemplo de Alison deu espaços na marcação - 5,5
(Serginho): Entrou faltando 9 minutos para o fim - sem nota
Lucas Lima: Bem a vontade no inicio do jogo, distribuindo assistências. Quando o time parou, ele sumiu. Ainda assim, apesar de retornar pro banco (Oswaldo garantiu que voltam os cinco poupados contra o Figueirense) merece a titularidade - 6,0 
Gabriel: Começou bem, marcou gol homenageando Jair Rodrigues. Depois caiu de produção junto com o time. Artilheiro do time na temporada com 11 gols - 6,0
Leandro Damião: Muita vontade, pouca produtividade. Ansioso em voltar a marcar gols, algo que não acontece há seis jogos - 4,0
Geuvânio: Começou de forma razoável. Fez um segundo tempo muito discreto - 5,5 
(Leandrinho): Voltou depois de muito tempo. A exemplo de Bruno Uvni, sem ritmo de jogo - 5,5
Técnico: Oswaldo de Oliveira: Quase saiu no tapa com o quarto árbitro. Não conseguiu encaixar o time após a queda de rendimento depois das finais do estadual de péssima lembrança pro torcedor alvinegro - 4,5

                                         


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by