FOTO CAPA

FIM DA INVENCIBILIDADE

Postado às 22h10 deste domingo, 16 de fevereiro de 2014.
O Santos perdeu uma invencibilidade de 10 jogos (sete em 2014 e três o ano passado) ao ser goleado pelo Penapolense, em Penápolis, por 4 a 1 em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Paulista. A última derrota santista tinha sido em 17 de novembro de 2013, ao perder para o Vitória-BA, em Salvador.

A noite parecia que não seria das melhores para o alvinegro já no inicio do duelo, quando aos nove minutos, Leandro Damião cometeu um pênalti infantil convertido por Guaru. Ainda no final do primeiro tempo, Cícero, que estava apagado até então, marcou de cabeça após cobrança de falta de Geuvânio. 

O Peixe voltou um pouco mais interessado em vencer no segundo tempo, mas logo aos seis minutos, Douglas Tanque recebeu de Guaru e colocou o time da casa na frente do placar, novamente.

Para não perder a invencibilidade, Oswaldo mandou o seu time para o ataque. Mas, aos 22, Gustavo Henrique fez nova falta no meio-campo, levou o segundo amarelo e acabou expulso.

Com um jogador a menos, os santistas se transformaram em presa fácil para o bom time comandado por Narciso. Aos 39, Petros fez o terceiro e dois minutos depois, um novo contra-ataque e Alexsandro Créu deu números finais a partida - 4x1.

Apesar da derrota acachapante, o resultado foi pior para o São Paulo. Com os três pontos, o time de Penápolis pulou para 15 e ultrapassou a equipe do Morumbi na liderança do Grupo A. O Santos permanece líder do grupo C com 19 pontos.

Entendo a revolta do torcedor santista, principalmente pelo placar dilatado, mas particularmente penso da seguinte forma, o time alvinegro estava superestimado pelo torcedor e pela mídia, principalmente o sistema defensivo. Nem tudo ao céu, nem tudo ao mar. Quando goleou, não era motivo pra tanta empolgação, assim como mesmo nesta goleada sofrida, não é razão para desespero.

Quinta-feira (20), o time comandado por Oswaldo de Oliveira volta a campo para enfrentar o Atlético de Sorocaba, no estádio da Vila Belmiro. Gustavo Henrique que levou cartão vermelho e Alan Santos que recebeu o terceiro cartão amarelo são desfalques certos no alvinegro que busca reabilitação.  

FICHA TÉCNICA
PENAPOLENSE 4X1 SANTOS
Estádio: Tenente Carriço, Penápolis (SP)
Data/hora: 16/2/2014 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: José Claudio Rocha Filho
Renda/público: R$ 219.125,00 / 6.353 pagantes
Cartões amarelos: Alan Santos e Mena (SAN)
Cartões vermelhos: Gustavo Henrique, 23'/2ºT (SAN); Petrus, 43'/2ºT (PEN)
GOLS: Guaru, 9'/1ºT (1-0); Cícero, 44'/1ºT (1-1); Douglas Tanque, 10'/2ºT (2-1); Petrus, 39'/2ºT (3-1); Alexandro, 41'/2ºT (4-1)
PENAPOLENSE: Samuel Pires; Rodnei, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel, Washington, Guaru (Fio, 40'/2ºT) e Petros; Douglas Tanque (Neto, 24'/2ºT) e Alexandro (Lucas, 45'/2ºT). Técnico: Narciso.
SANTOS: Aranha; Cicinho, Neto, Gustavo Henrique e Eugenio Mena; Arouca, Alan Santos e Cícero; Geuvânio (Rildo, 25'/2ºT), Leandro Damião (Stéfano Yuri, 38'/2ºT) e Thiago Ribeiro (Gabriel, 36'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 

Aranha: Não teve culpa em nenhum dos quatro gols. Falhou em uma saída em que devolveu a bola no pé do atacante da Penapolense, que não conseguiu acertar o gol - 5,0
Cicinho: Errou todos os cruzamentos e não conseguiu marcar - 4,0
Neto: Quando sai da área comete faltas em excesso. Não conseguiu impedir as finalizações do adversário pelo seu setor - 4,5
Gustavo Henrique: Abusou nas faltas e merecidamente foi expulso - 4,0
Mena: Contratação que até o momento não funcionou. Não apoia e deixou muito espaço - 4,0
Arouca: Não conseguiu evitar os contra-ataques e não apareceu como elemento surpresa como costuma fazer - 4,5
Alan Santos: Errou alguns passes que proporcionaram contra-ataques. Virou zagueiro após a expulsão de Gustavo - 4,0
Cícero: Estava apagado até o gol de cabeça. Sumiu na etapa complementar - 4,5
Geuvânio: Não reeditou as boas performances que encantaram o torcedor. Ainda assim deu a assistência para o único gol santista - 4,5
(Rildo): Entrou e sequer foi notado - 4,5 
Leandro Damião: Cometeu um pênalti desnecessário e não conseguiu concluir a gol - 4,0
(Stéfano Yuri): Jogou 10 minutos com os acréscimos - sem nota 
Thiago Ribeiro: Não conseguiu produzir pela esquerda - 4,0 
(Gabriel): 10 minutos não dava para fazer nada - sem nota 
Técnico: Oswaldo de Oliveira: Demorou para fazer as alterações e creio que falhou ao não colocar um zagueiro de ofício na vaga do expulso Gustavo. Apesar da derrota faz bom trabalho no comando técnico do clube - 4,0


Felicidade 

Meus parabéns em especial ao gerente de futebol do Penapolense - Paulo de Carvalho, que fez belo trabalho quando diretor das categorias de base do Santos em 2010 e repete o sucesso no futebol profissional do CAP. 

Na última semana, eu mantive contato com o gerente e até recebi um convite do amigo e conterrâneo (Paulo também é de Cubatão, assim como eu) e sei o quanto ele desejava esta vitória, mais do que contra qualquer outro time.  
 

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by