FOTO CAPA

PRA GANHAR CONFIANÇA

Postado às 22h40 deste domingo, 7 de Julho de 2013
Sem se importar com o fator campo e torcida e com uma equipe que preencheu bem os espaços, e fez um segundo tempo na parte tática, próximo da perfeição, o Santos venceu o clássico contra o São Paulo dentro do Morumbi por 2 a 0. Os gols foram marcados por Giva e Cícero.

O inicio da partida começou com o Peixe mandando e perdeu uma oportunidade com Leandrinho. Aos poucos, o time da casa retomou o controle do jogo e se não fosse o goleiro Aranha e a estupenda partida do jovem Gustavo Henrique, o alvinegro poderia descer as escadarias do vestiário de visitante do Morumbi no intervalo, com desvantagem no placar.

Mas, o melhor ainda estava por vir. Claudinei Oliveira arrumou os espaços deixados pelo meio de campo santista e ainda fez mais. O treinador fez sua primeira alteração aos 11 minutos da etapa complementar e colocou Giva (que tem muito mais predicados e se desloca bastante) na vaga do voluntarioso, mas pouco talentoso William José. Era a senha necessária para a vitória. Um minuto após entrar em campo, o jovem Giva que “fede a gol”, provou que merece a alcunha, e abriu o placar.

Daí em diante, o que se viu foi uma equipe que mesmo no contra-ataque, deu uma aula tática com o carimbo dos “meninos da vila”, aliada a algumas apresentações individuais que há pouco tempo eram inimagináveis. Os 45 minutos finais de Montillo durante o clássico, foram de abrir um sorriso de orelha a orelha, provando que o problema nas apresentações pífias do argentino até aqui, eram principalmente da sua má colocação em campo. 

Arouca também fez um ótimo clássico e demonstra a cada dia, que como primeiro volante, não tem a mesma pegada na marcação de alguns brucutus, mas tem sido fundamental neste processo de reestruturação da equipe. 

Neílton acabou com a defesa são paulina e se melhorar a finalização (que ainda é bem deficitária) tem tudo para ser um grande jogador.

E para finalizar, Emerson Palmieri (outro jovem talentoso), milimetricamente mandou a bola na cabeça de Cícero, após bela roubada de bola de Montillo, e Cícero definiu a partida.

Mais que o resultado que tirou o time praiano da zona de rebaixamento e o levou à décima colocação, com oito pontos (um ponto do G-4 com três jogos em casa), a vitória em um clássico dá a confiança necessária para que esse grupo busque voos mais significativos neste ano. Exemplo, voltar a Libertadores através de uma possível nova conquista da Copa do Brasil. 

Na próxima rodada o Peixe recebe a Portuguesa, no Estádio da Vila Belmiro, sábado (13), às 18h30. Antes, no entanto, a equipe recebe o Crac-GO, também no Estádio Urbano Caldeira, quarta-feira (10), às 21h50, pela Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 X 2 SANTOS

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Rodrigo Caio, Lúcio, Rodolfo e Juan (Ademilson); Wellington, Denílson (Maicon), Paulo Henrique Ganso (Aloísio) e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Milton Cruz (interino).

SANTOS - Aranha;, Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Léo (Emerson); Arouca, Leandrinho, Cícero e Montillo; Neilton (Pedro Castro) e Willian José (Giva). Técnico: Claudinei Oliveira.

GOLS - Giva, aos 12, e Cícero, 36 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO - Raphael Claus (SP).
CARTÕES AMARELOS - Denilson , Wellington(São Paulo); Arouca (Santos).
RENDA - R$ 345.930,00.
PÚBLICO - 11.819 pagantes.
LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Aranha: Mesmo sem jogar desde o ano passado (como ele mesmo disse durante a entrevista no intervalo a Super Rádio TUPI/SP) fez duas grandes defesas no primeiro tempo – 7,5 
Galhardo: Deixou espaços na marcação e errou muitos passes, principalmente no primeiro tempo- 4,5 
Gustavo Henrique: Já tinha parado Ronaldinho Gaúcho contra o Atlético/MG. Dessa vez anulou Luís Fabiano. Joga sério – 8,0  
Durval: O arroz com feijão, bem temperado de sempre – 6.5 
Léo: Limitou-se a marcar e conseguiu não sofrer tanto, mesmo marcando o veloz Osvaldo, que surpreendentemente caiu no seu setor – 6,0 
(Emerson): Entrou bem e ainda fez o cruzamento perfeito para o gol de Cícero – 7,0 
Arouca: O Monstro voltou. Eficiente na saída dos contra-ataques. Fundamental na reconstrução da equipe – 7,5 
Leandrinho: Não fez bom primeiro tempo. Melhorou um pouco no segundo. Tem futebol pra jogar muito mais – 5,5 
Cícero: Não brilhava, mas novamente deixou o seu gol – 6,5 
Montillo: Segundo tempo fantástico na sua real posição, entre o meio e o ataque. Só deu mostras que estava mal posicionado – 8,0 
Neilton: Infernizou a defesa adversária com dribles curtos e velocidade. Ainda sobrou tempo para roubar algumas bolas. Precisa melhorar a finalização – 7,5 
(Pedro Castro):Jogou pouco. Entrou e manteve o bom passe na meia cancha – 6,0
Willian José: Com pouca movimentação, era presa fácil para a marcação. Quase mandou duas bolas na lua em finalizações no primeiro tempo – 4,0
(Giva): Além de bom jogador é predestinado. “Fede a gol” – 8,0
Técnico: Claudinei Oliveira: Deu padrão tático a equipe. Fez Arouca e Montillo jogar nas suas respectivas e verdadeiras posições. Além disso, colocou Giva para abrir o placar e Emerson para dar a assistência do segundo – 8,5

Mais um capítulo do retorno de Robinho, "a missão"

Em entrevista a Super Rádio TUPI/SP – 1150 AM, antes do inicio do clássico, ainda nos saguões do Estádio do Morumbi, o vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues Filho, disse textualmente que o Santos não paga 8 milhões de euros para repatriar Robinho. Ainda assim, o dirigente afirma que a negociação está evoluindo e pode ter um final feliz até o dia 15.
Por esse valor que você disse (8 milhões de euros), não realizaremos essa contratação. É uma operação difícil pelos números que envolvem. Por valores menores e de forma parcelada, pode ser sim” garantiu.
O blog apurou que se o Milan-ITA abaixar por valores próximos a 6 milhões de euros (parcelados), e se o atleta reduzir sensivelmente os números que ele deseja receber mensualmente (R$ 1 milhão livre de impostos em um contrato de três anos, ou seja, sem as luvas, são R$ 36 milhões em 36 meses), o “rei das pedaladas” pode desembarcar na Vila Belmiro e jogar com o manto alvinegro pela terceira vez.

Segundo o jornal  Gazzetta dello Sport da Itália, Robinho foi dispensado da reapresentação do Milan-ITA que acontecerá nesta segunda-feira (8) e está autorizado a negociar os salários com o Peixe.

Pacaembu contra o Náutico?

Ainda durante a entrevista, o vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues, disse que vai tentar transferir Santos e Náutico para o Pacaembu. Se isso não acontecer, o Peixe vai fazer quatro jogos consecutivos na Vila Belmiro, sendo três pelo Brasileirão. Crac-GO na quarta (10) pela Copa do Brasil; além de Lusa (dia 13), Náutico (17) e Coritiba (21).

O dirigente muito provavelmente não deve ter lembrado que na mesma data, quarta-feira (17), tem a final da Recopa entre SCCP x São Paulo, mas nada impede que o jogo seja transferido para o dia seguinte, quinta (18).




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by