FOTO CAPA

SEM EMOÇÕES

Postado às 21h19 deste domingo, 24 de março de 2013

Parecia que o público sabia que Palmeiras e Santos não realizariam um grande espetáculo, tanto que apenas 12 mil pagantes compareceram ao estádio do Pacaembu, na tarde deste domingo (24). Com seis desfalques do Peixe e sete do rival, o resultado não poderia ser outro, a não ser um 0 a 0. Pela terceira vez consecutiva, um clássico paulista termina empatado sem gols. 

O técnico Muricy explicou no microfone da Super Rádio TUPI/SP (1150 AM) porque escolheu Neílton como titular e o Peixe começou o clássico com três atacantes: 

“O Botafogo/SP usou três zagueiros e o Palmeiras ganhou o meio campo na quarta-feira (passada). Coloquei os meninos (Giva e Neílton) nas costas dos laterais para impedir que eles apoiem, já que a velocidade desses jogadores é o forte deles” revelou.

E taticamente, com as peças que o treinador tinha à disposição, ele acertou. Porém, o Santos sem entrosamento, limitava-se ao contra-ataque e a igualdade nos primeiros 45 minutos ficou de ótimo tamanho para o time da Vila Belmiro, tamanha a superioridade do adversário que, em contrapartida, não conseguia finalizar a meta do goleiro Rafael.

Após o intervalo, Muricy retirou Neílton para a entrada de Alan Santos. Com isso, o Santos igualou o número de jogadores no meio-campo (quatro) que tinha o adversário e voltou melhor na etapa complementar, mas as defesas superaram aos ataques, que pouco produziram.

Com o resultado, o Santos perdeu a vice-liderança do Campeonato para a Ponte Preta que venceu. Na próxima quinta-feira (28), o alvinegro praiano enfrenta o Mogi-Mirim, às 19h30, no estádio da Vila Belmiro. Neymar que volta da Seleção Brasileira; Montillo que também retorna da Seleção Argentina, Patito e Felipe Anderson que cumpriram suspensão automática ficam a disposição de Muricy Ramalho. 


FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 X 0 SANTOS

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 24/3/2013 – 16h
Árbitro: Marcelo A. Ribeiro de Souza (SP)
Renda/Público: R$ 384.920,00/11.912 pagantes
Cartões Amarelos: André Luiz (PAL); Renê Júnior (SAN)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Weldinho, Maurício Ramos, André Luiz e Juninho (Marcelo Oliveira, 35’/2ºT); Charles (Rondinelly, 12’/2ºT), Léo Gago, Márcio Araújo e Wesley; Leandro e Caio (Vinícius,21’/2ºT). Técnico: Gilson Kleina
SANTOS: Rafael, Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Renê Júnior e Cícero; Giva (Victor Andrade, 39’/2ºT), Neílton (Alan Santos, Intervalo) e André (Miralles, 20’/2ºT) . Técnico: Muricy Ramalho

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 
Rafael: Bela defesa em chute de Leandro -  6,0
Bruno Peres: Precisa aprender a marcar urgentemente– 5,0
Edu Dracena: Deu uma aula de como um zagueiro tem de se posicionar – 7,0 
Durval: Errou algumas passes, mas em nenhum momento foi inseguro- 6,5 
Léo: O de sempre, apenas marcou bem e só – 5,5 
Arouca: Deu um pouco de trabalho a defesa alviverde quando avançou pela direita- 6,0 
Renê Júnior: Bem na marcação, mas voltou a errar passes  fáceis– 5,5 
Cícero: Por ser o mais experiente do meio campo, devia chamar a responsabilidade. Pelo contrário, esteve perdido, principalmente no primeiro tempo - 4,5 
Giva: Está ganhando confiança. Bons momentos no inicio da segunda etapa- 6,0 
(Victor Andrade): Apenas 8 mintos, contando os acréscimos – sem nota 
Neílton: Mais acompanhou o lateral do que agrediu. Me espanta a personalidade do menino em apenas dois jogos no profissional. Foi substituído no intervalo – 5,5 
(Alan Santos): Arrumou o meio-campo. Foi bem – 6,0 
André: Perdeu a grande oportunidade santista – 4,5 
(Miralles): Nada acrescentou nos 25 minutos em campo – 5,0 
Técnico: Muricy Ramalho: Acertou ao escalar dois jovens para acompanhar os velozes laterais do adversário. Acertou também ao colocar Alan Santos no intervalo. O time segue sem padrão – 6,0


"O titular sou eu"

O lateral Léo deixou o gramado garantindo que é o titular da camisa 3 santista: 
“O titular sou eu. Não adianta muita propaganda porque o futebol é rendimento" - afirmou o jogador.
Na entrevista coletiva, perguntei ao técnico Muricy Ramalho, se Léo é mesmo o titular da posição. O treinador respondeu da seguinte forma: 
“Pelo que está jogando, é o titular mesmo. Apesar da idade, é ele. O Emerson tem um problema muito serio, um nível de contusões muito alto e não é só na profissional, mas sim desde a base. É complicado dar sequência num jogador com esses problemas - garantiu Muricy.


40 milhões – número emblemático

O blog teve acesso aos números do balanço financeiro de 2012 que serão apresentados e devem esquentar o clima na Sala do Conselho Deliberativo nesta segunda-feira (29).

Existem algumas aberrações, como o pagamento de direitos econômicos de jogadores que nem no Santos FC estão mais, mas em síntese, os números apresentados são considerados de razoáveis para bom. 

O faturamento do ano passado é o maior da história, e vai apresentar queda de R$ 40 milhões na dívida do clube. Curiosamente, o mesmo número é o cobrado pelos oposicionistas, pois este montante foi prometido durante a época de campanha pela atual administração para contratações. 

Pelos números do balanço financeiro que o blog teve acesso, a dívida do Santos FC em 2009 era de R$ 222,1 milhões e chegou a R$ 300,7 milhões no fim de 2011. Com o superávit de R$ 14,59 milhões em 2012, os números caíram para R$ 259,7 milhões (queda de 20,87%, ou seja R$ 43,1 milhões). 

Pelo que apuramos, os valores diminuíram não só em razão do superávit, mas também pela liquidação de empréstimos e direitos de imagem.

Além disso, as receitas totais cresceram 4,6% enquanto as despesas totais também subiram, mas em menor proporção (0,8%). 




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by