FOTO CAPA

VOLTOU A FAZER GOL. PRECISA VOLTAR A VENCER.

Publicado às 9h desta sexta-feira, 8 de outubro de 2021.

Na volta do público ao estádio, em seu primeiro clássico, sendo que o Morumbi palco do duelo da noite desta quinta-feira (8) e todos estádios no estado só podem receber 30% de sua capacidade, que aumentará para 50% a partir do dia 16 e 100%, a partir de 1º de novembro, o São Paulino compareceu de forma tímida, apenas com 5.529 torcedores e no clássico diante do Santos, viu seu time ficar na igualdade em 1 a 1. Os dois rivais seguem na zona da confusão, próximo do perigo do rebaixamento. Pior para o time da baixada que segue em posição periclitante na tabela.

O duelo foi válido pela pela 24ª rodada do Brasileirão. Carlos Sánchez fez um golaço no começo da partida e encerrou a seca de mais de um mês sem gols do alvinegro da Vila. Eram mais de quatro jogos. Foi a primeira balançada de rede na Era Carille.

O resultado não alivia a pressão do Peixe na classificação. O Santos, agora tem 25 pontos, e segue, por enquanto, como  o primeiro time fora do grupo do descenso. Está a dois pontos do Grêmio, seu próximo adversário, que abre a zona de rebaixamento com 23.

No começo do jogo, o tricolor foi para cima, mas também deu espaço para o melhor jogador do Santos abrir o placar na única vez em que o time treinado por Carille chegou ao ataque, no primeiro tempo, aos 5 minutos de partida. 

Após o gol, os donos casa tomaram o controle do jogo, empataram e ficaram perto da virada. O gol de empate surgiu em uma cobrança de pênalti. Na jogada, Rodrigo Nestor finalizou de longe, a bola desviou no braço de Vinícius Balieiro, e o árbitro Raphael Claus assinalou a marca da cal após rever o lance no monitor do VAR.

Durante a segunda etapa, Carille abriu mão de Wagner Palha e o esquema com três defensores e colocou o atacante Lucas Braga em seu lugar. O time teve maior presença ofensiva e melhorou, mas não a ponto de balançar as redes novamente.

Nos acréscimos, o Santos viveu seu melhor momento na partida e teve a possibilidade de conquistar a vitória no contra-ataque, mas não o fez. Volpi, muito criticado pela torcida tricolor, salvou o São Paulo em chute de Felipe Jonatan, aos 46 minutos. 

O alvinegro completou seu 11o. jogo sem vitória, sendo nove pelo Campeonato Brasileiro. No domingo (10), enfrenta o Grêmio-RS, na Vila Belmiro. Todos os ingressos colocados a venda, apenas 4.644, foram comercializados.


FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 1 SANTOS

Estádio do  Morumbi - São Paulo (SP)

Árbitro: Raphael Claus (Fifa/SP)

GOLS: Carlos Sánchez, aos 6, e Calleri (pênalti), aos 34min do 1ºtempo

Cartões amarelos: Vinícius Balieiro, Marinho, Danilo Boza, Marcos Guilherme (SFC)

Renda: R$ 393.437

Público: 5.529 pagantes 

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Gomes, Miranda, Léo e Welington; Luan (Gabriel Neves), Rodrigo Nestor (Liziero), Luciano; Wellington (Gabriel Sara), Rigoni e Calleri (Benítez). Técnico: Hernán Crespo

SANTOS: João Paulo; Vinícius Balieiro, Emiliano Velázquez e Wagner Leonardo (Lucas Braga); Marcos Guilherme, Camacho (Danilo Boza), Vinícius Zanocelo, Carlos Sánchez (Gabriel Pirani) e Felipe Jonatan; Marinho e Léo Baptistão (Diego Tardelli). Técnico: Fábio Carille

O Santos volta a campo diante do Grêmio, no domingo, na Vila.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

João Paulo: Fez duas boas defesas. O grande nome da equipe na atualidade. - 6,0

Balieiro: Infelizmente, teve a atuação comprometida, pois participou do lance do pênalti polêmico, ao abrir levemente o braço. Como zagueiro teve dificuldades para cobrir Marcos Guilherme, e no meio foi bem na marcação como de costume. Tem tudo para virar o 'cão de guarda1 de Carille no 4-1-4-1 que o comandante gosta de adotar. - 5,5

Velázquez: Errou saídas de bola e deu alguns botes errados que me assustaram. - 5,0

Wagner Palha: Melhorou na segunda etapa. No primeiro tempo passes errados e espaços na marcação. Tem condições de jogar melhor. - 5,0

(Lucas Braga): Não pode ser reserva neste time. Entrou e colocou uma fumaça no lado esquerdo do ataque. - 6,0

Marcos Guilherme: No apoio foi razoável. Não tem cacoete para a marcação. - 5,5

Camacho: Não foi eficiente na marcação no primeiro tempo e nem as bolas longas, sua marca, conseguiu realizar. - 5,0

(Boza): No primeiro lance após entrar no jogo, levou amarelo. Depois não comprometeu mais e foi seguro no jogo aéreo. - 5,5

Zanocelo: Discretíssimo na primeira etapa e um pouco mais participativo nos 45 minutos finais, na marcação. Sigo aguardando a sua estreia. - 5,0

Sánchez: No primeiro tempo estava mais adiantado do que Marinho. Belo gol de fora da área. Ainda falta melhorar o desarme. - 6,0

(Pirani): O time ficou mais leve e com mais presença na frente após a sua entrada. - 6,0

Felipe Jonatan: Com os três zagueiros e se transformando em ala, rende um pouco mais. Sentiu a falta de um companheiro pela esquerda, que só veio após a entrada de Lucas Braga. Com uma referência pelo lado canhoto, conseguiu subir e finalizar no fim da partida. Poderia ser o gol da vitória. - 6,0

Marinho: Com a marcação dobrada, não conseguiu finalizar. Teve boa doação durante os 90 minutos. No primeiro tempo chegou, equivocadamente no meu entender, ser assistente do ala Marcos Guilherme, voltando constantemente. - 5,5

Léo Baptistão: A bola não chegou e teve que sair muito fora da área. Não finalizou ao gol. - 5,0

(Tardelli): Prefiro-o de coordenador de jogadas, como nos tempos de Atlético-MG e no jogo diante do Juventude, na rodada passada. Mas mesmo de referência no ataque foi mais participativo que Baptistão. - 5,5

Técnico: Fábio Carille: O time esteve atento na marcação, o tempo todo, mas o comandante podia ter aproveitado melhor o espaço e a improvisação do lado direito da defesa do São Paulo. Lucas Braga, demorou muito para ir a campo. No primeiro tempo, se limitou a marcar e não conseguiu contra golpear. Nem parece que tinha tido tempo para treinos durante 10 dias. - 5.5


SUB-20 CLASSIFICADO NO PAULISTA

No CT Rei Pelé, em partida válida pela última rodada da fase de classificação, o Santos venceu o Santo André pelo Paulista sub-20 e garantiu presença na próxima fase da competição. Os gols da vitória santista por 3 a 0 foram de João Vitor, Nycollas e Andrey Quintino.

Com o resultado, o Peixe terminou a primeira fase na vice colocação do grupo 9 com 15 pontos e segue na disputa do campeonato. 

Agora, na segunda fase, serão 32 times divididos em oito grupos com quatro equipes, sendo que os dois primeiros colocados avançam para a terceira fase.

O alvinegro estará no grupo 13 ao lado de Amparo, Taubaté e Guarani.

No ano passado, o time foi semifinalista da competição, algo que não acontecia há quase 10 anos.

Os comandados de Thiago Lima voltam a campo no feriado desta terça-feira (12) e cumprem tabela diante do Vasco-RJ, pelo Brasileiro da categoria. Nesta competição, o alvinegro não reúne chances de classificação.

No confronto diante do Ramalhão, os 'Meninos da Vila' comandandos por Thiago Lima jogaram com Edú Araújo; Andrey Quintino, Gustavo Moreira (Yalle), Jair Paula e João Pistelli (Diogo Correia); Cadu, Matheus Nunes e Lucas Barbosa (Gabriel Santana); Kaio Henrique (Nycollas Lopo), João Victor (Rafael Moreira) e Victor Michell (Brayan Krüger).


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by