FOTO CAPA

ARANHA: "NÃO ME QUERIAM MAIS E MANDARAM EU PROCURAR OS MEUS DIREITOS"

Publicado às 22h45 desta quinta-feira, 4 de Junho de 2020.
O goleiro Aranha após cinco anos que deixou o Santos finalmente rompeu o silêncio e revelou os motivos de sua saída do clube. Em live conosco realizada na noite desta quinta-feira (4), o titular da camisa 1 nos anos de 2013 e 2014, disse que não queria sair do clube e que o Peixe não o desejava mais, pois o técnico Enderson Moreira tinha pedido outro goleiro. Além disso com salários por receber, a direção recém empossada no alvinegro não resolvia a sua situação.

Além dos fatos citados acima, o jogador que disse que tinha cinco salários e seis imagens atrasadas, pediu para renovar seu contrato por mais um ano. Além da então gestão não ter atendido seu pedido, o atleta afirma não deram alternativas para que recebesse os vencimentos em atraso.
"Meu contrato venceria no fim de 2015. Eu procurei a direção e fiz o seguinte questionamento. Vamos renovar por mais um ano? Pois, eu teria a segurança de que a situação melhorando, eu receberia os atrasados e eu poderia brigar pela posição, caso chegasse um novo goleiro que o treinador havia pedido. Falavam no Jefferson e no Ochoa. Por questões financeiras, acabaram não fechando. Eu pensei, o Santos não quer ficar comigo. Eu entendi que o meu ciclo tinha acabando." revelou Aranha.
O goleiro garante que não foram os atrasos de pagamento, a maior razão para deixar a Vila Belmiro e sim um desentendimento com o Diretor de Futebol santista - Dagoberto Santos:
"Eu tive uma última reunião e eu disse, da maneira que estavam me tratando eu ia procurar meus direitos e o Dagoberto disse, você pode procurar seus direitos. Ficou claro, não me queriam mais. Tinha outro jogador comigo que participou do encontro. Ele tem muita moral no Santos, mas não vou citar quem é, porque não sei se ele me autoriza a falar e eu disse a este colega, você viu como o cara foi agressivo comigo, gritou, falou em tom alto?" afirmou Aranha.
O goleiro disse que mesmo após o clube ter sido notificado pela Justiça do Trabalho, procurou a direção alvinegra para tentar uma solução amigável para o caso, porém novamente não foi feliz: 
"Mesmo após eu entrar na justiça, eu voltei ao CT e falei com a direção. Vamos reaver isso, eu vou agora e retiro a ação? E ele, Dagoberto (Santos), disse assim. Não, pois eu quero ganhar na justiça para você ficar aqui correndo em volta do campo. E eu falei, tomara a Deus que isso dê certo. Eu só quero uma solução." revelou o goleiro vice-campeão Paulista de 2014 pelo Peixe.
O goleiro foi alvo racismo em 2014 no Sul do país.
O arqueiro que se aposentou há dois anos, após ter subido com o Avaí de Santa Catarina para a série A do futebol brasileiro faz questão de ratificar e repetiu na entrevista que não foram os salários que o levaram a deixar o clube.
"O motivo de eu ter saído não foi salário atrasado. Eu estava há quatro anos no clube e quase com cinco meses de salário atrasados e a imagem com um mês a mais em relação a carteira. Joguei mais de 100 jogos pelo Santos. Nunca tomei uma vaia e nunca fui xingado. O técnico Enderson (Moreira) queria outro goleiro. Ele mesmo me confirmou." revelou.
Perguntado se tinha mágoa de alguém do clube, Aranha deu mais detalhes do imbróglio:
"Fiz umas três, quatro reuniões se iam renovar, se iam pagar os atrasados e só tive respostas negativas do Dagoberto Santos e falei com o presidente (Modesto Roma) uma vez. Não saí brigado. Imagina você nessa situação e a chefia fala que vai contratar outro em seu lugar? O que agravou mais é que meu contrato de moradia estava vencendo e eu precisava dar uma resposta se renova com a imobiliária", afirmou. 
Perguntamos ao ex-goleiro se a direção tentou parcelar os atrasos para fazer o destrato. O mesmo garante que nunca houve esse tipo de tentativa.
"Não teve nada (de acordo) nenhuma conversa para resolver. Fiquei desamparado só vendo as notícias pela Televisão. Eu vim para Minas Gerais, pois eu estava desempregado. Depois de um tempo que apareceu o Palmeiras, quando entrei na justiça e saiu nos sites.", contou Aranha.
O jogador fez juras de amor ao clube e a cidade e garante que esperava encerrar a carreira pelo clube de Vila Belmiro.
"Em momento algum eu queria sair do Santos. Tava sossegado na cidade. Minha vontade era aposentar no Santos. Eu estava feliz, meus filhos também e eu não tinha problema com ninguém. Ali era minha vida, minha casa. " revelou.
Por fim, perguntamos por que não se pronunciou antes. Aranha disse que não queria falar mal da instituição. 
"Eu não quis me pronunciar sobre o assunto porque o carinho que eu tenho pelo Santos é muito grande. Eu não queria falar mal de alguém do Santos. E quando fui ao Palmeiras que colocou o pão dentro de casa, eu não me senti no direito por tudo que vivi no Santos, falar uma vírgula contra o Santos ou mesmo a diretoria e preferi assumir a culpa." garantiu.
Insistimos no assunto e relembramos o jogador das vezes que tentamos ouvir sua versão. Ele revelou que mesmo de saída, sonhava em voltar ao Peixe um dia.
"Até passou a vontade de falar, mas o sentimento que eu tinha pelo clube  não permitiu. Não sei se era fantasia da minha cabeça ou sonho, mas eu não queria falar nada contra o Santos, pois eu tinha esperança de voltar ou mesmo assistir um jogo na Vila. Não vejo culpa de alguém, mas sim a maneira que foi conduzido." revelou.
Sobre o acordo que fez com o Santos na justiça trabalhista, o goleiro não fala em valores mas garante que foi 1/3 do que ele tinha para receber.
"Fiz acordo. Mas dando um exemplo. Eu tinha direito a receber 3 mil e recebi 1 mil em 28 vezes." finalizou.
strutura.com.br   
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by