FOTO CAPA

FICOU BARATO

Publicado às 22h24 deste domingo, 31 de Março de 2019.
O Santos não largou bem nas semifinais do Campeonato Paulista. Na partida de ida por uma vaga na decisão, o alvinegro perdeu para o SCCP por 2 a 1, em Itaquera. Com o resultado, o Peixe precisa vencer por dois gols de diferença o jogo da volta, no Pacaembu, dia 8 de Abril, para sair classificado ou uma vitória simples para levar a decisão para as penalidades máximas.

Sem Gustavo Henrique e Sasha com lesões musculares e a volta dos três estrangeiros que não atuaram nas quartas de finais, Sampaoli optou por Cueva na vaga de Rodrygo e Luís Felipe na de Gustavo Henrique. O treinador pensou em escalar Lucas Veríssimo na defesa, mas o fato do jogador ainda estar sem ritmo, fez com que recuasse e optasse pelo camisa 2.

Como já era de esperar, o SCCP dava a bola e o Santos propunha o jogo. E com oito minutos, em duas falhas o placar já apontava 1 a 1. A zaga do Peixe assistiu Manoel cabeçar após cobrança de falta de Sornoza e Cássio falhou em seguida, após escanteio cobrado por Jean Mota e cabeçada de Dérlis.

O jogo permanecia equilibrado, entretanto, após um lançamento despretensioso, Luiz Felipe cabeceou duas vezes para o lado e a bola sobrou para Clayson que passou por Victor Ferraz e desempatou a partida novamente. 

Em seguida, Felipe Aguilar se chocou com Avelar e foi parar no hospital. O Colombiano chegou a ficar desacordado e foi para o Sirio Libanês de ambulância. O defensor realizou alguns exames e amanhã deve ser liberado. Foi dessa forma que terminou a primeira etapa.

No segundo tempo, Sampaoli alterou o time. Já tinha queimado uma alteração com Veríssimo na vaga de Aguilar e voltou com Rodrygo na vaga de Cueva. Esperava-se que o alvinegro seria mais agressivo, daria um 'calor' no rival. Doce ilusão. O time de Sampaoli conseguiu se apresentar pior do que na primeira etapa.

O Argentino tentou mais uma vez. Retirou Sánchez que deixou o gramado para a entrada de Soteldo. Mas o venezuelano foi presa fácil tanto no meio de campo congestionado pelo time mandante e mais ainda, quando se aventurou espetado com baixa estatura entre os defensores do rival.

É duro escrever isso, mas o SCCP que teve seus méritos pela vitória, não precisou de muito para ficar com os três pontos. O Peixe simplesmente não compareceu para jogar. 
"Eles jogaram como quiseram e nos neutralizaram" disse Sampaoli em entrevista coletiva.
Pelo segundo tempo horrível e a falta de futebol com o goleiro Cássio como mero espectador, ficou a barato a derrota pelo placar mínimo.

Mais do que a mudança de peças, caso Sampaoli deseje mudar o time e vai precisar mudar, necessita-se de uma mudança de postura, se quiser obter a vaga na grande final. Além disso, o treinador é ótimo mas a falta de variações táticas torno em muitos momento, o time previsível. 

Muito mais do que a derrota, a apresentação pífia deixam o torcedor preocupado,

FICHA TÉCNICA
SCCP 2 X 1 SANTOS
Arena em Itaquera, zona leste de São Paulo (SP)
Público/Renda: 39.919 pagantes/ R$ 2.467.185,50
Árbitro: Vinicius Araujo (SP)
Cartões amarelos: Sornoza (SCCP); Vanderlei, Alison (SFC)
GOLS: Manoel (1-0, 3’/1ºT), Derlis González (1-1, 7’/1ºT) e Clayson (2-1, 31’/1ºT)
SCCP: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso, Sornoza (Richard, 39’/2ºT) e Clayson (Mateus Vital, 41’/2ºT); Vagner Love (Pedrinho, 30’/2ºT) e Gustagol. Técnico: Fábio Carille.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Aguilar (Lucas Veríssimo, 49’/1ºT), Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Soteldo, 27’/2ºT), Jean Mota e Cueva (Rodrygo, intervalo); Derlis González. Técnico: Jorge Sampaoli.

O zagueiro Aguilar ficou desacordado após choque de cabeça com o lateral corintiano Aguilar.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa nos dois gols. Entretanto, um goleiro da sua envergadura não pode dar rebote na bicicleta despretensiosa de Clayson. - 5,0
Victor Ferraz: Não conseguiu apoiar com eficácia e no lance do segundo gol do rival, não conseguiu bloquear o chute de Clayson. - 5,0
Aguilar: Era um dos poucos lúcidos do time na primeira etapa. Após um choque de cabeça com Avelar deixou o gramado de ambulância direto para o hospital. - 6,0
(Lucas Veríssimo): Visivelmente sem ritmo. Se virou como pode. - 5,0
Luiz Felipe: Não foi feliz na tomada de decisão que propiciou o segundo gol. Teve uma chance de empatar na segunda etapa. Tem mais futebol do que o apresentado nesta tarde. - 4,0
Felipe Jonatan: Bem na marcação, mas ainda tímido no apoio. - 5,5
Alison: Era o homem que ficava na cobertura de Clayson. Levou amarelo. Muita dificuldade na primeira bola. - 5,0
Pituca: Os volantes do Santos tiveram todos atuações discretas. Apesar do canhoto meio-campista ter sido um dos melhores jogadores no campeonato, neste clássico não conseguiu chegar a frente e no um contra um foi vencido algumas vezes. - 5,0
Sánchez: O veterano uruguaio não tem arranque para jogar como extremo aberto pela direita, eu, particularmente, não gosto. Com a entrada de Rodrygo, voltou para o meio. Discreto. - 5,0
(Soteldo): Jogou quase 20 minutos e pouco apareceu. Rende melhor pelos lados. - 5,0
Jean Mota: Fez o cruzamento que Cássio se atrapalhou no único gol do Peixe na partida. Começou bem o clássico, distribuindo o jogo, porém foi neutralizado posteriormente como todo o time. O artilheiro do campeonato, em razão de posturas táticas tem pisado pouca na área e tem finalizado menos. Foi isolado como falso 9 num determinado período da partida. - 5,5
Cueva: Ainda não fez uma grande partida com a camisa do Santos. Ficou sem função. Era o responsável de ligar o meio-campo ao ataque, que quase não finalizou. Bem substituído. - 4,5
(Rodrygo): O jovem revelado na base santista funciona melhor do lado esquerdo. Entrou pela direita. Foi pouco acionado. - 5,0
Derlis González: Além de Aguilar, o paraguaio fez um bom primeiro tempo. Deu dó dele que ficou isolado o tempo todo no comando do ataque. O único que ainda incomodou a defesa do SCCP. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: O grande responsável por belas jornadas na fase de classificação, não tem sido feliz nas escalações contra o SCCP. Voltou a se equivocar. Tirou a profundidade do time ao sacar Rodrygo e colocar Cueva no time. Devia ter retirado Alison e não Sánchez na entrada de Soteldo, já que precisava empatar o jogo e o uruguaio chuta bem de fora da área. Colocou o venezuelano e enfiou Jean Mota de falso 9. O artilheiro do Paulista ficou isolado. Sente falta de um centroavante cascudo. Até Sasha fez muita falta na tarde de hoje, já que faz bem o pivô. O 'amor por él balón' é ótimo disso ninguém dúvida, mas precisa ter mais variações táticas para quando neutralizado ter artifícios para mudar o panorama da partida. - 4,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by