FOTO CAPA

ANGUSTIANTE

Publicado às 23h05 desta quarta-feira, 8 de agosto de 2018.
O Santos escapou de levar uma sonora goleada na noite desta quarta-feira (8), em Fortaleza. A equipe sofreu muito e se não fosse o goleiro Vanderlei, nem o empate em 1 a 1 contra o Ceará, teria acontecido. Jean Mota de peito marcou o gol do alvinegro.

Cuca confirmou as mudanças esperadas na escalação. Pituca e Yuri Alberto entraram nas vagas de Renato e Gabriel Barbosa, mas o futebol do Peixe permaneceu desaparecido.

O primeiro tempo do Santos foi medonho. Sem criatividade, velocidade, sem absolutamente nada. Ah, sem trabalho também deixado pelo antecessor de Cuca, o alvinegro da Vila não conseguiu jogar. Somente o atacante Artur, sozinho, finalizou mais do que o Peixe nos primeiros 45 minutos com seis tentativas. O Peixe não acertou o gol com três chutes apenas. 

Na segunda etapa, o técnico santista mexeu por atacado no intervalo. Sacou Pituca e Yuri Alberto e promoveu a estréia de Bryan Ruiz e o retorno de Gabriel Barbosa no comando do ataque com Carlos Sánchez recuado para segundo volante.

E de tanto tentar, Vanderlei defender e a trave salvar, o Ceará marcou seu gol com Arthur, após um chutão da defesa e o centroavante que defenderá o Palmeiras em 2019, abrir o marcador.

Quando tudo caminhava para uma derrota, a sorte parece ter retornado. Cruzamento improvável de Alison, o goleiro do time da casa Everson escorregou e Jean Mota de peito, no melhor estilo futevôlei, injustamente, empatava o jogo em 1 a 1.

O cenário é pavoroso. Os inteligentes que acusavam os temerosos na possibilidade de rebaixamento de não serem santistas, desapareceram. O time involui, não dá sinais de reação, deixando o torcedor mais do que preocupado. 

No domingo (12), dia dos Pais, o Santos vai a Belo Horizonte e enfrenta o Atlético Mineiro, às 11h da manhã. o ala-esquerdo Dodô, que cumpriu suspensão nesta rodada, retorna ao time.

Agora são nove jogos sem vencer. Dois amistosos, um jogo pela Copa do Brasil e seis partidas pelo Brasileiro. Nesse período apenas três gols. o Santos não vence desde 13 de junho, quando ganhou do Fluminense no Maracanã.


Jean Mota empatou o jogo aos 42 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 1 X 1 SANTOS
Estádio: Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Cartões amarelos: Ricardinho, Leandro Carvalho e Edinho (CEA); Victor Ferraz e Jean Mota (SFC)
Gols: Arthur (33'/2ºT) (1-0) e Jean Mota (41'/2ºT) (1-1)

CEARÁ: Everson; Fabinho, Tiago Alves, Luiz Otávio e João Lucas; Edinho, Richardson e Juninho Quixadá (Ricardinho, aos 20'/2ºT); Felipe Azevedo (Leandro Carvalho, aos 13'/2ºT), Calyson (Luidy, aos 43'/2ºT) e Arthur. Técnico: Lisca.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jean Mota; Alison, Carlos Sánchez (Calabres, aos 26'/2ºT) e Pituca (Bryan Ruíz - intervalo); Rodrygo, Bruno Henrique e Yuri Alberto (Gabriel Barbosa). Técnico: Cuca.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Graças ao melhor goleiro em atividade do país e a trave, o empate veio. Poderia ser pior. - 7,0
Victor Ferraz: Não conseguiu trocar passes com Rodrygo como em alguns jogos. Deixou espaços na defesa. - 5,0
Luiz Felipe: O melhor da defesa. Sofreu no jogo aéreo no duelo contra Arthur. -5,5
Gustavo Henrique: Bem no alto, não teve boa saída de bola e em alguns lances teve dificuldade diante de Arthur. - 5,0
Jean Mota: Fazia tempo que não atuava como ala. Fazia partida discreta, mas foi rápido na tomada de decisão ao estufar o peito e empatar o jogo. - 6,0
Alison: Não conseguiu parar os meias cearenses, porém, deu uma assistência maravilhosa para o empate ao realizar cruzamento da direita. - 6,0
Carlos Sánchez: Um maravilhoso lançamento a Bruno Henrique. Lutou bastante. Assim que se adaptar e entrosar pode ajudar bastante na luta contra o rebaixamento. - 6,0
(Calabres): Cuca deu a oportunidade que Jair não deu ao jovem. No lance do gol, não estava bem posicionado. Precisa de ritmo para ser melhor avaliado. - 5,0
Pituca: Limitou-se a passes laterais. Foi substituído. - 5,0
(Bryan Ruíz): Sem ritmo e demonstrou lentidão em alguns momentos. Não conseguiu armar. - 4,5
Rodrygo: Apagado. Marcação do lado direito do ataque do Peixe tava bem encaixado e o jovem talentoso não conseguiu criar nada. - 5,0
Bruno Henrique: Longe de ser a referência do ataque que o caracterizou como um dos melhores do país, o ano passado. Após a lesão na vista, ainda não brilhou. - 4,0
Yuri Alberto: Lutou, brigou, fez muitas faltas, mas não recebeu uma bola em condições de finalizar. É garoto, apenas 17 anos, precisamos ter um pouco mais de paciência. - 5,0
(Gabriel Barbosa): Amargou o banco e quando entrou participou apenas de um lance. Não justificou a entrada. - 4,0
Técnico: Cuca: Acertou ao sacar Gabriel Barbosa e apostar no menino Yuri. Ganhou a referência, mesmo não sendo o melhor momento para o garoto assumir essa responsabilidade. Tentou com um armador ao promover a estréia de Ruiz, mas o costa-riquenho está bem abaixo. Ainda não venceu em três jogos. Ainda assim com os dois empates , os resultados foram melhores que o desempenho. - 5,0


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by