FOTO CAPA

PONTE BARRA SEQUÊNCIA DE VITÓRIAS DO PEIXE

Publicado às 09h36  deste domingo, 18 de junho de 2017.
Atualizado às 18h30 deste domingo, 18 de junho de 2017.
O Santos perdeu a oportunidade de encaixar a 21a. vitória seguida no Pacaembu e o quarto triunfo consecutivo no Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado (17), o time de Levir Culpi, apenas empatou sem gols diante da Ponte Preta - 0 a 0. 

O alvinegro foi a campo com a mesma formação que venceu o clássico na Vila, diante do Palmeiras e os primeiros minutos deram a impressão que o time conseguiria atingir seu objetivo de vencer. O Peixe teve duas chances claras nos primeiros quinze minutos. Uma com Bruno Henrique e outra, um pouco mais tarde com Jean Mota - ambas com belas defesas do ex-santista Aranha, mas como sempre digo - "O futebol não tolera desaforo". O jogo ficou equilibrado e a Macaca ainda teve um gol anulado no primeiro tempo, após David Braz cabecear contra o gol de Vanderlei, porém, o assistente deu impedimento do ponte-pretano Elton. 

Veio o segundo tempo, e a tônica permaneceu. O Santos tinha a bola, mas não sufocava o adversário, em razão da ótima marcação do time do interior, característica de times treinadas por Gilson Kleina. E o pior é que o contra-golpe do time de Campinas, muitas vezes, era bem mais perigoso e exigia defesas do melhor goleiro em atividade no país - Vanderlei.

Quando o jogo caminhava para a parte final, Kayke finalizou, a bola bateu no defensor da Macaca e explodiu na trave esquerda de Aranha, para a agonia dos 19.984 presentes na noite de sábado, no Pacaembu. Ainda teve uma falta cobrada por Lucas Lima que tirou tinta do poste, tocou na rede, entretanto, pelo lado de fora.

Na próxima quarta-feira (21), o Santos vai a Salvador enfrentar o Vitória-BA. Thiago Maia recebeu o terceiro cartão amarelo e cumpre suspensão. Leandro Donizete e Alison disputam quem herda a posição. Como não venceu, o Peixe perdeu a chance de ser o terceiro lugar ao término da rodada. Com a derrota da Chapecoense em casa para o Botafogo, o alvinegro está na quarta colocação. 

Segundo Levir Culpi em entrevista coletiva no final da partida, Zeca e Ricardo Oliveira que seguem no departamento médico, ainda não devem estar à disposição para o duelo na primeira capital do Brasil, no nordeste brasileiro, no meio de semana. O treinador apenas confirmou que ambos voltam a treinar no campo com os companheiros.

Para não dizer que não falei das flores, a defesa completou o quarto jogo sem sofrer gols. O último foi em Itaquera, na derrota para o SCCP.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 0 PONTE PRETA
Pacaembu
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG) 
Público e renda: 17.488 pagantes (19.984 presentes)/R$ 513.190,00
Cartões amarelos: David Braz, Thiago Maia e Bruno Henrique (SFC), Jeferson, Rodrigo, Marllon e Luan (PP)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Lucas Verissimo e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Copete (Hernández, aos 26'/2ºT), Bruno Henrique e Kayke. Técnico: Levir Culpi
PONTE PRETA: Aranha; Jeferson, Marllon, Rodrigo e João Lucas (Luan Peres, aos 23'/2ºT); Fernando Bob, Elton e Renato Cajá (Wendel, aos 39'/2ºT); Claudinho (Lins, aos 19'/2ºT), Emerson Sheik e Lucca. Técnico: Gilson Kleina.

Levir Culpi só fez uma das três alterações que tinha direito.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Duas grandes defesas. O melhor goleiro do país na atualidade. - 7,0
Victor Ferraz: Senti falta das tabelas do ala com Lucas Lima e Bruno Henrique. Bem na parte defensiva. - 6,0
David Braz: Cabeceou contra o gol de Vanderlei, porém, teve sorte porque o gol foi anulado. - 5,5
Lucas Veríssimo: Cresce cada vez mais. Foi o melhor da defesa nesta partida. Ainda peca na saída de bola. - 6,5
Jean Mota: O arroz com feijão. Não inventou. Deu um belo chute no primeiro tempo, mas Aranha defendeu. - 6,5
Renato: Com o Santos necessitando do gol foi mais a frente do que de costume na segunda etapa. Sofreu a falta que quase resultou no gol de Lucas Lima. Fez sua melhor partida entre as últimas. - 6,5
Thiago Maia: Correu bastante, como de hábito, mas como a Macaca não dava espaços, não pode ser o elemento surpresa como aconteceu em Curitiba, semana passada. - 6,0
Lucas Lima: Ainda sente a falta de ritmo de jogo em razão das três semanas parado. Deu uma assistência sensacional para Bruno Henrique no começo do jogo, que o camisa 27 não conseguiu tirar de Aranha. Bateu uma falta que tirou tinta da trave. - 6,5
Copete: Estava sem função na segunda etapa. Foi substituído. Não levou perigo a defesa da Macaca. - 5,0
(Hernández): Discreto. - 5,0
Bruno Henrique: O melhor do Santos no jogo. Gilson Kleina trocou até o seu marcador, de tanto que sofreu com o rápido atacante santista. Desperdiçou uma oportunidade no começo do jogo. Ainda peca em algumas tomadas de decisão e na finalização. - 7,0 
Kayke: Não jogou enfiado entre os homenzarrões ponte-pretanos. Chutou uma bola que desviou e foi na trave e outra nas mãos de Aranha. - 6,0
Técnico: Levir Culpi: Poderia ter mexido no time e usado as três substituições. Preferiu fazer apenas uma e somente aos 26 minutos. Justificou na entrevista coletiva que não sentiu necessidade e que "ainda estou me apoiando muito no Elano, que tem conhecimento do elenco". Na quarta-feira passada, afirmou que estava preocupado com o aspecto físico, portanto, poderia ter colocado mais dois jogadores inteiros durante o jogo. - 5,5

SANTOS TERÁ PELO MENOS R$ 30 MILHÕES DE THIAGO MAIA

O volante Thiago Maia que desfalcará o Santos no meio de semana, deve ser mesmo um dos atletas que devam deixar a Vila Belmiro, na janela do meio do ano. Apesar disso, o Santos nega taxativamente que tenha chegado até o momento, uma proposta da Inter de Milão no valor de 14 milhões de euros (R$ 51 milhões), mínimo exigido pelo clube, divulgado na última reunião do Conselho Fiscal que apresentou um contrato onde esse valor base é estipulado para uma negociação.

O nome do possível interessado, a Inter de Milão, pode ter sido especulado pela imprensa que acompanha o clube, por ter o Giuliano Bertolucci, com ótimo transito no time italiano e o responsável pela negociação do atacante Gabriel com os mesmos, elevando inclusive a proposta original de 18 para 29,5 milhões de euros? 

O Santos cedeu os direitos de exclusividade das vendas de Thiago Maia e Vitor Bueno ao empresário Giuliano Bertolucci. Se algum dos dois for vendido até o meio do ano, o Peixe se compromete em repassar ao agente, que já representa os dois atletas, 8% de comissão em cima do valor líquido e não bruto das negociações em troca de um empréstimo que aconteceu em Março deste ano. Os valores foram usados para quitar a dívida com o Junior Barranquila, na contração de Hernandez.  

O alvinegro garante que o valor da comissão na venda do jogador é uma só e que se tiver mais empresários, eles que entrem em acordo com a divisão. Além disso, o clube afirma que não pagará comissão total da venda, já que 30% dos direitos econômicos são do jogador. 

Sendo assim, se Thiago Maia for vendido pelo valor mínimo exigido - R$ 51 milhões, o clube fica, no mínimo, com R$ 30 milhões do montante.


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by