FOTO CAPA

DECEPÇÃO

Publicado às 23h16 deste sábado, 3 de junho de 2017.
Pela terceira vez em quatro jogos, o Santos sai derrotado no Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado (3), na Arena de Itaquera, o Peixe perdeu por 2 a 0 para o SCCP. Os gols foram de Romero e Jô. O alvinegro praiano segue sem vencer um clássico em 2017.

Confesso que há muito tempo, não me irritava tanto, como eu fiquei alterado ao assistir o segundo tempo santista. 

De forma até surpreendente, em razão do ótimo momento do rival , o Santos mandou na primeira etapa. Desperdiçou no mínimo três reais oportunidades - uma com Bruno Henrique após falha de Pablo, outra com Vitor Bueno que dividiu com Cássio e quase antecipa ao camisa 1 mosqueteiro e a última, num chute de Victor Ferraz que passou a direita do gol, contra apenas uma dos donos da casa, em finalização de Rodriguinho.

Como o "futebol não tolera desaforo", após as chances criadas e não convertidas, assustadoramente e de forma decepcionante, o Santos fez um segundo tempo irreconhecível. A equipe de Dorival Junior não fez uma finalização descente contra a meta adversária nos 45 minutos finais. Assistiu passivamente o rival jogar e foi presa fácil. Além dos dois gols, outros dois foram anulados pela arbitragem, pois a tragédia poderia ter sido ainda pior.
"Se nós produzimos muito no primeiro tempo e não tivemos a competência para finalizar a jogada, eles tiveram no segundo. O momento não é bom, reconheço, mas não é nada que não seja contornável." – garantiu Dorival Junior, em entrevista coletiva.
Apesar de classificado às quartas de finais da Copa do Brasil e as oitavas da Libertadores, o começo de Brasileirão do time da Vila é mais do que preocupante. Foram 12 pontos disputados e apenas 3 conquistados, graças a um pênalti defendido aos 47 minutos do segundo tempo, diante do Coritiba, na segunda rodada.

Como não existe nada de ruim que não possa piorar, O atacante Bruno Henrique foi expulso novamente. Para o árbitro Anderson Daronco, o camisa 27 santista deu uma cotovelado em Romero. Na zona mista do estádio, aos repórteres, o jogador afirmou que não teve intenção e que não agrediu o oponente:
"Se tivesse dado a cotovelada, eu teria machucado o Romero. Não fiz nada."
Na próxima quarta-feira (8), o Santos tenta recolher os cacos e encara o bom time do Botafogo-RJ dirigido por Jair Ventura, às 21h, no Pacaembu. Além de Bruno Henrique, suspenso, Lucas Lima no departamento médico também é desfalque certo. 

Em quatro clássicos no ano, o time perdeu em todos. Dois foram disputados na Vila Belmiro diante de São Paulo e Palmeiras e outros dois na Arena de Itaquera, ambos para o SCCP. Foi a oitava derrota na temporada.

FICHA TÉCNICA
SCCP 2 X 0 SANTOS
Arena de Itaquera - São Paulo (SP)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Público e renda: 40.169 pagantes / R$ 2.110.601,50
Cartão amarelo: Vitor Bueno (SAN)
Cartão vermelho: Bruno Henrique (SAN)
GOLS: Romero, aos 24'/2ºT (1-0); Jô, aos 29'/2ºT (2-0)
SCCP: Cássio, Fagner, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon (Camacho - 4'/2ºT); Jadson (Clayson - 31'/2ºT), Rodriguinho (Fellipe Bastos - 39'/2ºT) e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille.
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz (Yuri - 29'/2ºT) e Copete; Renato, Thiago Maia e Vladimir Hernández (Rafael Longuine - 18'/2ºT); Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Rodrigão - 29'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.


O Santos fez bom primeiro tempo, mas o segundo....

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: É o melhor do país na posição, porém, falhou feio no lance do gol anulado de Pedro Henrique. Se o assistente não levanta a bandeira, ficaria marcado pelo equívoco. - 4,5
Victor Ferraz: Não alcançou a bola de cabeça, num lançamento de Fagner no primeiro tempo e desperdiçou uma chance de abrir o marcador em finalização após cruzamento de Copete. - 4,5
Lucas Veríssimo: Melhorou muito em relação ao começo de carreira, fez bom primeiro tempo, mas falhou no segundo gol de Jô, quando o atacante mosqueteiro ganhou no corpo e girou. Teve dificuldades na saída de bola na primeira etapa quando o SCCP marcou pressão. - 4,0
David Braz: Não conseguiu chegar a tempo e bloquear Romero no gol que abriu o placar. - 4,5
(Yuri): Assim que entrou, antes mesmo de tocar na bola, saiu o segundo gol que definiu o placar. - SEM NOTA 
Copete: Corajoso em ser homem de grupo, colaborar com o treinador e jogar improvisado no setor, entretanto, errou alguns passes que proporcionaram contra-ataques. - 4,5
Renato: Joga entre os zagueiros e responsável pela saída de bola. No segundo tempo, sucumbiu junto com o time que foi "amassado" pelo adversário. - 4,5
Thiago Maia: Muita vontade. Também errou muitos passes e não conseguiu conter o bom volume de jogo do time da casa no segundo tempo. - 4,5
Hernández: Pelas suas características não é o mais indicado para realizar a armação. Muito bom jogando pelo lado, não como meia. Foi substituído aos 18 min. do segundo tempo. Não conseguiu coordenar as jogadas e abastecer o ataque. - 4,0
(Rafael Longuine): Errou o passe que proporcionou o contra-ataque do segundo gol. A exemplo de Hernandez, também não rendeu na função. - 4,0
Vitor Bueno: Apesar de não viver um bom momento, foi o único que ainda tentou algo. Fez bom primeiro tempo e apagou junto com o time, no segundo. - 5,0
Bruno Henrique: O atacante mais perigoso do time na temporada, desperdiçou uma chance clara após Pablo permitir que a bola passasse por um de seus pés. Deveria ter batido de primeiro. Fez bom primeiro tempo, esteve apagado no segundo e novamente foi expulso, a exemplo do que aconteceu na Bolívia, pela Libertadores. É rápido, mas peca na finalização. - 4,0
Ricardo Oliveira: Sem Lucas Lima, o camisa 9 ficou orfão na frente. Teve apenas uma chance de finalizar e pegou mal na bola. Discreto. - 4,0
(Rodrigão): Entrou junto com Yuri. Mal pegou na bola. - SEM NOTA
Técnico: Dorival Júnior: Conseguiu fazer com que o Santos fosse melhor na primeira etapa. Erra ao insistir com Hernandez como armador, na ausência do lesionado Lucas Lima. Foi para o desespero, quando viu o rival abrir o marcador e fez duas substituições de uma única vez. Menos de 30 segundos depois, levou o gol que sepultou as pretensões de se recuperar no jogo. Com o time em má fase, podia testar alguns outros jogadores do banco como o menino Arthur, por exemplo. Como o sub-20 santista também passa por reformulação, não tem "meninos da Vila" prontos na base, para poder socorrê-lo. - 4,0 



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by