FOTO CAPA

NOVA DERROTA NA VILA

Publicado às 22h45 deste domingo, 28 de Maio de 2017.
A exemplo do ano passado, o Peixe não larga bem nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro. Novamente, o alvinegro sentiu a ausência de Lucas Lima, que com lesão muscular, desfalcou o time e a equipe perdeu para o Cruzeiro, na tarde deste domingo (28), na Vila Belmiro, por 1 a 0. Foi a segunda derrota da equipe em três jogos da competição e a quarta derrota em Urbano Caldeira, em 2017. As outras foram pelo estadual diante do São Paulo, Palmeiras e Ferroviária.

Sem seu camisa 10 e selecionável Lucas Lima (que foi desconvocado em razão da lesão), Dorival manteve Hernandez no meio campo e Bruno Henrique foi a única novidade, na vaga de Copete, após cumprir suspensão pela Libertadores.

Nos primeiros 45 minutos, o Cruzeiro parecia jogar no Mineirão. O time de Mano Menezes com um jogador a mais no meio campo (4), tomou conta, apesar de finalizar pouco e o alvinegro teve apenas uma grande chance em uma arrancada de Bruno Henrique que parou nas mãos do goleiro Fábio.

No segundo tempo, o Santos, mesmo com a permanência da falta de armação nas jogadas, conseguiu se impor um pouco mais. O colombiano Hernandez caiu mais pelo lado do campo, onde rende mais e o Peixe, mesmo sem exigir tanto de Fábio, começou a chegar e pela primeira vez ter as ações do jogo durante algum tempo. A melhor chance foi uma finalização de Bruno Henrique de cabeça com Caicedo salvando em cima da linha, mas o assistente já tinha marcado impedimento.

Vieram as substituições. Zeca com dores na perna esquerda deixou o gramado no começo da etapa complementar. O camisa 37 deu lugar a Copete, novamente improvisado. O ala campeão Olímpico com o Brasil, o ano passado, vai realizar exames nesta segunda-feira (29) para saber a gravidade da lesão. Outra alteração foi a entrada de Jean Mota entrou para ser o armador. A alteração pode ter sido a certa, porém, o camisa 39 não conseguiu criar. Já Mano Menezes, colocou Thiago Neves na vaga de De Arrascaeta e a mais ousada foi a entrada do argentino Abila no lugar do volante Hudson e elas surtiram efeito e foram fundamentais para a vitória. 

Quando tudo levava a crer que o 0 a 0 seria o resultado definitivo do jogo, os mineiros tiveram duas chances, ambas com Thiago Neves. Na primeira, o camisa 30 parou nas mãos de Vanderlei, que vive ótima fase  e pouco mais de um minuto, Abila ganhou de Lucas Veríssimo que tentou dar o carrinho, mas não alcançou a bola e o jogador revelado no futebol carioca desta vez não perdoou e fez o único gol do jogo - 0 a 1.

Com o resultado, o Santos permanece na parte da tabela e ocupa a incômoda 15a. colocação com apenas 3 pontos. No próximo sábado (3), enfrenta o SCCP, em Itaquera. Novamente Lucas Lima será desfalque. O alvinegro precisa se reinventar e não pode ser dependente do seu camisa 10. Neste fim de semana, a transição do meio para o ataque não existiu.

E por fim, apenas 7 mil presentes na Vila famosa. É necessário realizar mais jogos na capital e interior do Estado. O clube precisa ir onde seu público está e era tragédia anunciada uma quantidade pequena de pagantes no jogo de hoje, até porque, entre outras coisas, a Baixada não tem interessados suficientes para levar uma grande concentração de pessoas em  três jogos seguidos, em apenas 9 dias. 

Na outra semana, o Santos vai mandar seu jogo diante do Botafogo-RJ, no Pacaembu. Não sou favorável a transferência de todas as partidas do alvinegro para a capital, mas uma melhor divisão entre os jogos em Santos e outras praças.

Bruno Henrique era o atacante mais perigoso do ataque santista no primeiro tempo. Na segunda etapa foi discreto.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 0 X 1 CRUZEIRO
Vila Belmiro
Árbitro: Eduardo Tomas de Aquino Valadão (GO).
Público e renda: 7.025 pagantes/R$ 198.775,00.
GOL - Thiago Neves, aos 37 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos- Copete e Victor Ferraz(SFC); Henrique, Léo e Hudson (CRU).
SANTOS:Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca (Copete); Renato (Kayke), Thiago Maia e Vladimir Hernández (Jean Mota); Vitor Bueno, Ricardo Oliveira e Bruno Henrique. Técnico Dorival Junior/Lucas Silvestre
CRUZEIRO:Fábio; Lucas Romero, Dedé (Luís Caicedo), Léo e Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral, Hudson (Ábila), Arrascaeta (Thiago Neves) e Alisson; Rafael Marques. Técnico: Mano Menezes.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:
Vanderlei: Vive ótimo momento. Salvou o time um minuto antes de levar o gol. - 7,0
Victor Ferraz: Um dos poucos que ainda tentou levar o time a frente para construir algo em que os atacantes finalizassem. Não foi o suficiente. - 6,0
Lucas Veríssimo: Melhorou muito desde que começou a ter oportunidades no time titular. Hoje é bem mais seguro. Deu um carrinho em Abila dentro da área, que não impediu que o argentino cruzasse para Thiago Neves definisse o jogo, e isso retirou a condição de ter feito boa partida até ali. - 4,5
David Braz: Bem na defesa, tanto no alto como por baixo, mas com dificuldades na saída de bola. - 5,0
Zeca: Ainda sente a falta de ritmo de jogo após a intervenção cirúrgica. Estava bem na marcação e não estava apoiando como de costume até sair lesionado. - 5,5 
(Copete): É atacante e tem colaborado como lateral improvisado e mostra-se homem de grupo. Porém, no lance do gol, não estava bem posicionado, mesmo com a jogada sendo dos homens do miolo de área. - 5,0
Renato: Limitou-se ao primeiro passe e a saída de bola. Em alguns momentos, fez a cobertura de Victor Ferraz na direita. - 5,0
(Kayke): Entrou no final. - SEM NOTA
Thiago Maia: Tem capacidade para render muito mais. No primeiro tempo foi envolvido pois era o único que dava bote no meio-campo. No segundo, foi um pouco melhor com passes mais precisos e bem na cobertura. - 5,0
Hernández: Dá mostras suficientes que tem dificuldade em armar pelo meio. Rendeu um pouco mais, quando caiu pelo lado direito, no segundo tempo. - 4,5
(Jean Mota): Começou a carreira como lateral na Lusa. No Fortaleza tornou-se meia. Não entrou bem e foi dele o passe errado que iniciou o contra-ataque cruzeirense que definiu a partida. Cobrou dois escanteios curtos que deu nos nervos.- 4,5
Vitor Bueno: Não pegou uma bola boa para encarar o lateral Diogo Barbosa. Se movimentou pouco. - 5,0
Ricardo Oliveira: Saiu da área, mas ninguém fez tabelas com o camisa 9. Em uma das raras finalizações, mandou a bola na torcida. - 5,0
Bruno Henrique: Deu trabalho para a defesa cruzeirense no primeiro tempo. Inexplicavelmente, com exceção a uma cabeçada, desapareceu no segundo. - 5,5
Téc. Dorival Junior/Lucas Silvestre - Dorival foi expulso diante do Coritiba e não pode ficar no banco, orientando o time neste domingo. Seu filho e auxiliar Lucas, quem fez a função. O Cruzeiro alugou o meio-campo no 1o. tempo. Nas mexidas dos suplentes na segunda etapa, Mano Menezes foi mais feliz, até pela maior qualidade que tem a disposição em algumas posições. Em nenhum momento, o alvinegro se impôs como mandante. A dupla podia ter trocado o armador mais cedo. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by