FOTO CAPA

O PERIGO VEM PELO ALTO

Publicado às 22h36 deste sábado, 18 de junho de 2016.
O Santos teve interrompida a sequência de três vitórias no Campeonato Brasileiro, ao ser derrotado pelo Atlético-PR, no começo da noite deste sábado (18), em Curitiba, por 1 a 0. Pela quarta vez, o time de Dorival Junior perde pontos importantes nos minutos finais de jogo. Foi assim diante do Figueirense-SC, Internacional-RS, SCCP, além do gol sofrido hoje. Desses gols, a grande maioria de bola aérea ou bola parada.

Sem zagueiros de ofício entre os relacionados (dois contundidos e um suspenso) Dorival improvisou o "curinga" Yuri no setor. O camisa 25 ficou mais tempo de defensor, mas alternou trocas com o volante Renato que quando não fazia a cobertura da ala-direita, nos momentos em que Victor Ferraz ia para o meio, recompunha o sistema defensivo, quando o jovem recém-chegado do Audax avançava. O Peixe teve quase 67% de posse de bola durante a partida, mas isso não ganha jogo, necessariamente. Faltava objetividade e profundidade. 

Ainda assim, o time alvinegro colocou duas bolas na trave de Weverton. Uma com Vitor Bueno e outra com Gabriel. A ida dos times para o intervalo com a igualdade sem gols, era uma injustiça pelo domínio e as chances desperdiçadas pelo alvinegro.

Como no futebol não tem justiça e sim, como diria o saudoso locutor Ênio Rodrigues, com quem tive a honra de trabalhar por alguns anos - "o que vale é bola na rede", o panorama da partida mudou na etapa complementar. 

Mesmo com um time de qualidade técnica bem baixa, o técnico Paulo Autuori retirou um atacante e povoou o meio de campo da sua equipe. Até por questão numérica, ganhou o setor e na base da vontade, se aproveitava do fator torcida e campo. Foi assim que o time da casa foi melhor e atacou mais nos 45 minutos finais. 

Dorival Junior demorou para fazer a primeira substituição e quando o fez retirou Cittadini para entrada de Paulinho, que entrou mal no jogo. Não bastasse isso, por si só, foi o camisa 26 santista que aos 40 minutos do segundo tempo não subiu com o zagueiro Paulo André que marcou de cabeça, o único gol da partida.

Foi o típico jogo que se o time santista fosse feliz na finalização e tivesse um pouco mais de coragem, voltava com os três pontos para a Baixada. Sem medo de errar, o time paranaense não vai lutar por algo significativo no Campeonato. Um ponto não era o ideal, mas não seria de todo ruim. A derrota foi catastrófica para as pretensões santistas na competição. 

A sequência é ingrata para o Peixe que volta a campo na quarta-feira (22), no Espírito Santo, diante do Fluminense. No próximo domingo (26) tem o clássico contra o São Paulo, no Pacaembu e no meio de semana seguinte, o Grêmio-RS, fora de casa. 

Para a partida diante do tricolor carioca, o zagueiro Gustavo Henrique que cumpriu suspensão automática, fica à disposição.   

FICHA TÉCNICA 
ATLÉTICO-PR 1 X 0 SANTOS
Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Árbitro: Anderson Daronco (RS) 
Público/Renda:  15.369 pagantes/ R$ 395.520,00.
Cartões amarelos: Giovanny e Sidcley (Atlético); Renato (Santos)
GOL: Paulo André 43'2ºT (1-0)
ATLÉTICO-PR: Weverton; Deivid, Otávio, Sidcley, Paulo André e Walter (Vinícius 13'2ºT); Giovany (Anderson Lopes 19'2ºT), Léo, Thiago Heleno, Ewandro (Pablo 29'2ºT); André Lima Técnico: Paulo Autuori
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Yuri e Zeca; Thiago Maia (Alison 39'2ºT), Renato, Vitor Bueno e Léo Cittadini (Paulinho 28'2ºT); Gabriel e Joel (Diogo Vitor 31'2ºT).Técnico: Dorival Júnior.

O goleiro Vanderlei foi alvo de cusparadas da torcida do Atlético-PR.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa no gol sofrido. Havia feito uma bela intervenção um pouco antes. Não é badalado, mas um goleiro que transmite segurança a defesa- 6,5
Victor Ferraz: Voltou a aparecer no meio-campo em alguns momentos do jogo. Bem na defesa, não mostrou sua eficiência costumeira no apoio. - 6,0
Luiz Felipe: O arroz com feijão. Bem na saída de bola. - 6,0
Yuri: Errou apenas um passe no jogo todo. Não dá um chutão. Joga em todas as posições de volante para trás (exceção ao gol, lógico). - 7,0
Zeca: A exemplo de Ferraz foi eficiente apenas na defesa. Não conseguiu apoiar. - 6,0
Thiago Maia: Muita técnica e disposição. Foi substituído no fim do jogo. - 6,5
(Alison): Entrou nos seis minutos finais. - SEM NOTA
Renato: Errou passes e principalmente lançamentos, algo incomum. Bom senso de colocação nas coberturas de Yuri na zaga e Victor Ferraz na lateral.- 5,5
Vitor Bueno: Um belo chute na trave no primeiro tempo. Tentou ser um falso atacante pelo lado esquerdo, mas não tem a mesma velocidade de alguém do setor. - 6,0
Léo Cittadini: Não conseguiu dar assistências aos atacantes. Saiu cansado. - 5,0
(Paulinho): Não conseguiu dar a velocidade pretendida pelo técnico Dorival do lado direito. Era o responsável por marcar Paulo André no lance do gol. - 4,0
Gabriel: Sobra no aspecto físico. Movimenta-se constantemente e quase marcou um golaço. A bola caprichosamente bateu no travessão - 6,5
Joel: Quase não pegou na bola. Apagado. Foi substituído. - 4,5
(Diogo Vitor): Apesar de pouco tempo, não justificou a sua entrada. Não conseguiu produzir. - 5,0
Técnico: Dorival Júnior: Conseguiu fazer com que o Santos tivesse o controle do jogo na primeira etapa. O Peixe teve quase 70% da posse da bola, nos primeiros 45 minutos. Demorou para fazer a primeira substituição, quando o Atlético ganhou o meio-campo. Não conseguiu fazer com que o time tivesse profundidade. Teoricamente, até porque não estreou, tinha um meia coordenador de jogadas no banco - Jean Mota e não colocou. - 5,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by