FOTO CAPA

QUE VENHA O SCCP NOVAMENTE

Publicado às 22h55 deste sábado, 22 de agosto de 2015.
O Santos venceu mais uma no Brasilerião. Com o time completo, sem poupar absolutamente ninguém, o Peixe atropelou o Avaí-SC, por 5 a 2, no estádio da Vila Belmiro. Os gols do alvinegro foram de Gabriel, Thiago Maia, Ricardo Oliveira, Nilson e Lucas Lima. 

Neste sábado (22), o time da casa encontrou algumas dificuldades no começo de partida. Com Lucas Lima, reconhecido pelo seu talento, apesar da insistência de alguns poucos em não se convencerem disso, bastante marcado, coube aos volantes do Peixe aparecerem como elementos surpresa. Quando o time entendeu que isso era necessário, virou questão de tempo a supremacia do time santista. 

Um gol de bola parada, aos 13 minutos, convertido por Gabriel, ajudou a derrubar a retranca catarinense. Antes do intervalo, Thiago Maia, volante moderno que sabe marcar e sair pro jogo, fez seu primeiro gol como profissional. Merecido, para quem tem jogado muita bola nas últimas partidas. O Avaí ainda diminuiu com o Ibrahimovic "fake" - Léo Gamalho, que ainda marcaria mais um nos 45 minutos finais.

No segundo tempo, logo aos dois minutos Ricardo Oliveira cumpriu o que tinha prometido. Disse-me em entrevista que voltaria para a etapa complementar e marcaria o gol que não saiu nas quatro últimas vezes que esteve em campo e o estava o incomodando. E o artilheiro do Brasileiro, agora com 11, cumpriu e ampliou para 3 a 1. Ainda deu tempo do camisa 9 ser substituído por Nílson, que fez o quarto e Lucas Lima, em um pênalti que não existiu, fechar a conta em 5 a 2.

A organização santista após a chegada de Dorival Junior dá condições de empolgar o torcedor santista, sonhar com a classificação na Copa do Brasil e inclusive melhorar a posição do clube no Brasileiro. 

Os números são irrefutáveis. Sob o comando do treinador campeão paulista e da Copa do Brasil em 2010, foram sete vitórias em Vila Belmiro, dois empates fora e apenas uma derrota. Com exceção dos primeiros 45 minutos no Maracanã, diante do Flamengo, o alvinegro se comportou bem em todos os jogos. E detalhe, não tem mais Robinho que foi para a China.

A vitória contra o Avaí-SC marcou a estreia do terceiro uniforme e novamente, o time de Dorival Junior dá uma pausa no Brasileiro e na quarta-feira (26), volta a campo para buscar a classificação, às quartas de final, contra o SCCP, na Copa do Brasil. Uma derrota por um gol de diferença dá a classificação ao clube da baixada. Se marcar um gol, o adversário tem que necessariamente marcar três de diferença.

Que venham "eles" que ainda não venceram o Peixe em 2015 (duas derrotas e um empate). O Santos não perde há oito partidas. 

Escrevo como cronista e torcedor. Sinto que a primeira vitória fora de casa, contra um time da série A, algo que não aconteceu em 2015, nunca esteve tão perto. Será maravilhoso se for em Itaquera.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Santos só volta a campo no fim de semana que vem. Geuvânio que recebeu o terceiro cartão amarelo é desfalque certo contra os mineiros do Cruzeiro. 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 5 x 2 AVAÍ
Local: Vila Belmiro
Árbitro: Leandro Vuaden (FIFA/RS)
Público/renda: 12.036 pagantes / R$ 289.880,00
Cartões amarelos: Geuvânio, Lucas Lima (SAN); Jéci, Romário e Adriano (AVA)
GOLS: Gabriel, 10'/1ºT (1-0); Thiago Maia, 13'/1ºT (2-0); Léo Gamalho, 28'/1ºT (2-1); Ricardo Oliveira, 2'/2ºT (3-1); Nilson, 35'/2ºT (4-1); Léo Gamalho, 37'/2ºT (4-2) e Lucas Lima, 46'/2ºT (5-2)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel (Leandro, 34'/2ºT), Geuvânio (Marquinhos Gabriel, 13'/2ºT) e Ricardo Oliveira (Nilson, 23'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.
AVAÍ: Diego; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Jéci e Marrone (Romário, 42'/1ºT); Adriano, Pablo, Tinga (Roberto, 21'/2ºT) e Camacho; Rômulo (Conrado, 29'/2ºT) e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina

Ricardo Oliveira, artilheiro do Brasileiro se reencontrou com as redes.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa nos gols. Mas o que foi, entrou. - 5,5
Victor Ferraz: Quando o jogo apertava no meio, era nele que o time desafogava. Vive bom momento. - 6,5
Gustavo Henrique: Nenhuma falha gritante, mas não reeditou o ótimo posicionamento das últimas partidas - 5,5
David Braz: No primeiro gol não conseguiu bloquear o atacante Léo Gamalho. Tem crédito, mas ... - 5,5
Zeca: Sem ter a quem marcar, se mandou para o ataque, mas não repetiu as eficientes jornadas com assistências a gols. - 6,0
Thiago Maia: Desarma, poucas faltas faz e ainda aparece como elemento surpresa no ataque. Coroado com o primeiro gol como profissional , após 15 partidas. - 8,0
Renato: O segundo gol dos catarinenses poderia ter evitado. Apareceu como elemento surpresa em alguns momentos no ataque, principalmente na primeira etapa. - 6,0
Lucas Lima: Fez o cruzamento para o gol de Gabriel, sofreu um pênalti (mandrake) que cobrou e converteu. Mesmo bem marcado, deu trabalho. - 7,0
Gabriel: Deu duas ótimas assistências que Ricardo Oliveira não aproveitou. Abriu o marcador. É o jogador que mais cresceu tecnicamente com a chegada de Dorival Junior. - 7,5
(Leandro): Quase marcou um gol, seria o sexto do Peixe e ainda teve participação no quarto, marcado por Nilson. Sente a falta de ritmo de jogo. - 6,5
Geuvânio: Ótimas assistência nos gols de Ricardo Oliveira e nos seus pés teve início o gol de Thiago Maia - 7,0
(Marquinhos Gabriel): Além de numericamente o Santos ficar com mais jogadores no meio de campo, quando entrou, o camisa 31 aumentou a velocidade para a bola chegar aos atacantes, apesar de não ter participado de nenhuma assistência de gol. - 6,5
Ricardo Oliveira: Teve duas oportunidades no primeiro tempo. A primeira a bola escapou e a segunda o goleiro foi feliz. Disse que faria o gol na volta do intervalo e com dois minutos cumpriu a promessa. Tem muita qualidade. - 7,0
(Nilson): Longe de ter a mesma capacidade técnica do titular Oliveira, mas teve estrela e bom posicionamento para marcar seu primeiro gol com a camisa do Santos. - 6,5
Técnico: Dorival Júnior: Não faz gols, não defende, mas é o grande responsável pelo bom momento que o time atravessa. Conseguiu organizar a equipe, sem reforços em pouco tempo. Amadureceu demais como treinador e aos poucos consegue fazer com que o DNA ofensivo da primeira passagem, também seja uma marca neste retorno. -7,5

Apoio:

http://www.strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by