FOTO CAPA

SEM CONSISTÊNCIA OFENSIVA

Publicado às 06h19 desta segunda-feira, 20 de julho de 2015.
Pela sétima vez em 14 jogos, o Santos saiu derrotado neste Campeonato Brasileiro. Em oito jogos fora de casa, o alvinegro praiano conquistou apenas dois pontos (empates com o Galo e o Avaí). Neste domingo (19), o time dirigido por Dorival Junior teve maior posse de bola, mas foi derrotado para o Palmeiras por 1 a 0. O resultado manteve o Peixe na zona de rebaixamento com 13 pontos.

Os primeiros 14 minutos do time da Vila foram muito bons. Postura de time que sabe o que quer, com a marcação pressão na saída de bola e mesmo na casa do adversário, jogava melhor, mas, bastou Leandro Pereira receber a bola de costas e girar em cima de Werley para a coisa mudar. Aos 15 minutos, o Palmeiras abria o marcador.

Daí em diante, o time da casa ficou mais a vontade, e o Santos, já não pressionava tanto, sem consistência ofensiva. O treinador palmeirense enxergou o jogo e ainda no primeiro terço da primeira etapa fez uma marcação individualizada em Lucas Lima, principal coordenador de jogadas da equipe da Vila, e o alvinegro começou a ter dificuldades.

Na segunda etapa, da mesma forma, o Santos com maior volume de jogo, entretanto, com pouco ímpeto, e novamente sem eficiência. Somente em um chute com Gabriel, em ótima defesa de Fernando Prass, a equipe chegou com perigo. Não adianta jogar bem e perder como sempre.

Quarta-feira, às 22 horas, na Vila Belmiro, o Santos volta a campo pela Copa do Brasil. Precisa vencer o Sport-PE por 1 a 0, para ir a próxima fase. No jogo de ida, os pernambucanos venceram por 2 a 1. Lucas Lima suspenso é o desfalque. 

Já pelo Brasileirão, o Peixe enfrenta o Joinville, no domingo (26), às 11 horas da manhã. Ricardo Oliveira e Neto Berola com dois cartões amarelos, cumprem suspensão.

Thiago Maia já voltou pra casa

O volante do Santos Thiago Maia teve um trauma craniano, porém sem lesões, segundo o boletim médico. Os exames não apresentaram nenhuma alteração e por isso, o jogador seguiu para Santos, após ficar algumas horas na Santa Casa de São Paulo, acompanhando do médico do clube Rodrigo Zogaib.

O meio-campista deve passar por exames complementares no inicio desta semana para melhor avaliação.

Após um choque de cabeça com Leandro Almeida,  Thiago Maia caiu no gramado. Em seguida, com um colete cervical foi direto para o hospital, sem sentir o movimento das pernas. 

O jogador publicou em uma das suas redes sociais uma fotografia e afirmou:
"Graças a Deus não houve nada, estou bem. Obrigado pelo apoio, galera. Toda honra e toda glória é a sua Senhor. Obrigado aos meus companheiros e à nação santista" disse.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 SANTOS
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Wagner Magalhães (RJ)
Público/Renda: 38.220 pagantes / R$ 2.741.640,00
Cartões amarelos: Leandro Almeida, Arouca, Egídio e Rafael Marques (PAL); Ricardo Oliveira, Werley e Neto Berola (SAN)
GOL: Leandro Pereira, aos 14'/1ºT (1-0).
PALMEIRAS: Prass, Lucas, Victor Ramos, Leandro Almeida e Egídio; Gabriel, Arouca (Amaral, 17'/2ºT) e Robinho; Rafael Marques, Dudu (Gabriel Jesus, 17'/2ºT) e Leandro Pereira. Técnico: Marcelo Oliveira
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia (Marquinhos Gabriel, 22'/2ºT) e Lucas Lima; Gabriel (Nílson, 39'/2ºT), Geuvânio (Neto Berola , 27'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa no gol sofrido. Seguro. Ao lado de Oliveira, as únicas contratações certas que demonstraram dentro de campo que foram necessárias. - 6,0
Victor Ferraz: Sofreu com Egídio e Dudu. Foi bem no apoio. - 6,0
Werley: Levou chapéu da bola ainda no primeiro tempo. Um zagueiro pra jogar no Santos não pode levar o giro que tomou no gol palmeirense. Não passa confiança para o setor. - 3,5
David Braz: Ainda não é o defensor que viveu ótima fase no estadual. Mas jogou sério e não comprometeu. Rifa muito a bola em lançamentos longos. - 5,5
Zeca: A exemplo de Ferraz, teve problemas na marcação. Tem ótimo chute de longa distância. Em um deles, quase empatou o jogo. - 5,5
Renato: Não tem a mesma velocidade do começo de carreira. Compensa com ótimo passe. Sentiu a falta de ritmo de jogo. Não jogava desde 3 de junho. - 5,5
Thiago Maia: Marcava muito bem até se chocar com Leandro Almeida e deixar o gramado de forma preocupante. -  6,0
(Marquinhos Gabriel): Entrou bem, deu mais movimentação ao setor, porém, com o passar dos minutos , sua consistência caiu. - 5,5
Lucas Lima: Era o dono do jogo nos quinze primeiros minutos. Depois com a marcação dobrada e uma delas individualizada, a de Gabriel, volante adversário, teve dificuldades para encontrar espaço. Ainda assim, o melhor do time. - 6,5
Gabriel: Foi o jogador de ataque que mais deu trabalho a defesa palmeirense, porém não teve a objetividade necessária. Ganhou todas de Egídio quando caiu pela direita. Quase marcou um gol de fora de área. - 6,5
(Nílson): Dez minutos apenas em campo. - SEM NOTA
Geuvânio: Bem na parte tática. Tecnicamente, não foi o jogador habilidoso e abusado que o torcedor tá acostumado. - 5,5
Neto Berola: Assim que entrou deu ótima finta na ponta esquerda e quase empatou o jogo. Depois sumiu. - 5,5
Ricardo Oliveira: Mesmo com três atacantes, o centroavante ficou isolado na frente. A bola não chegou no artilheiro do Campeonato para que ele concluísse em gol. Muito bem marcado. - 5,5
Técnico: Dorival Júnior: Não conseguiu fazer o time ser mais objetivo. Falta profundidade ao Santos. Foi ousado ao colocar Marquinhos Gabriel na vaga de Thiago Maia, onde o meio campo ficou sem nenhum marcador forte. Renato recuou para a cabeça de área. Foi infeliz ao colocar Nilson na vaga de Gabriel - o atacante que estava ganhando todas as jogadas pela esquerda da defesa palmeirense. - 5,0

Apoio:
http://www.strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by