FOTO CAPA

FORA DE CASA NÃO FAZ MAL À NINGUÉM

Postado às 22h08 deste domingo, 3 de agosto de 2014.
O Santos voltou a sua amarga rotina no Campeonato Brasileiro. Em casa é forte, se impõe e intimida o adversário. Sem referência e com pouca personalidade, a equipe não reedita o comportamento visto nos jogos em que se apresenta na Vila Belmiro, nas partidas longe de seus domínios. Resultado, nova derrota fora, desta vez na Arena Beira-Rio, em Porto Alegre. O Internacional/RS venceu o Peixe por 1 a 0. O time de Oswaldo de Oliveira perdeu nova oportunidade de voltar ao G-4. O Peixe não fica na zona da Libertadores há quase quatro anos.

Por ironia do destino, apesar do Santos ter sido dominado no primeiro tempo pelo Colorado, a trave ter salvo o goleiro Aranha por duas vezes, o alvinegro não soube aproveitar as más saídas dos péssimos defensores colorados e se tivesse qualidade no último passe, poderia ter aberto o marcador.

Repito, o Santos não demonstra a mesma personalidade empregada nos jogos na Vila, quando atua como visitante. O time fica limitado a contra-ataques e mesmo que o adversário não agrida, fica refém de lances esporádicos que nos dois últimos jogos, por exemplo, não aconteceram.

No segundo tempo, os comandados de Oswaldo voltaram um pouco, mas bem pouco mesmo, melhor. E quando a situação aparentemente ficaria mais fácil, já que o zagueiro gaúcho Paulão foi expulso, o Peixe levou um gol de bola parada no minuto seguinte.

Como não existe nada tão ruim que não possa piorar, o lateral-esquerdo Mena que fez uma apresentação abaixo da critica, também foi expulso e igualou o número de jogadores (10 para cada lado).

No fim da partida, o atacante Leandro Damião que voltava de contusões após três meses, entrou e até foi mais participativo do que o jovem e artilheiro do time na temporada - Gabriel. Porém, o camisa 9 teve a chance de ouro para empatar o jogo e após receber passe de Thiago Ribeiro, não finalizou de perna esquerda e foi bloqueado pela zaga adversária. Encerraram-se ali as pretensões de voltar do Rio Grande do Sul, com pelo menos um ponto. O Internacional quebrou um jejum de cinco anos sem vitória contra o Santos.
"Faltou puxar pra esquerda, errei a escolha. Era pra ter batido" declarou após a partida Leandro Damião
Domingo que vem, no estádio Urbano Caldeira, o alvinegro enfrenta o SCCP. Mena suspenso com a expulsão de hoje é desfalque certo. Ou o Santos começa conquistar pontos significativos fora de casa, ou o campeonato será uma repetição do ano passado. Vitórias apertadas em casa e derrotas de poucos gols fora dela que deixarão o time novamente em posição intermediária. 

Uma reforma intima no comportamento e postura nos jogos como visitante é mais do que necessário. Se o elenco santista não é nenhum supra-sumo, não deve nada para pelo menos 15 times dos outros 19 que disputam a competição.

Eu não ia escrever, mas eu não aguento. A soberba de alguns dirigentes do clube, o  ambiente político com casos de polícia e a passividade do torcedor também corrobora de forma indireta para esse momento que poderia ser melhor dentro e fora das quatro linhas.


FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 1 X 0 SANTOS
Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Público/renda: 24.538 / R$ 710.090,00
Cartões amarelos: Paulão e Ygor (INT); Lucas Lima, Mena (SAN)
Cartões vermelhos: Paulão, Jorge Henrique (INT); Mena (SAN)
GOLS: Rafael Moura, aos 11'/2ºT (1-0)
INTERNACIONAL: Dida, Wellington Silva, Paulão, Juan e Fabrício; Wellington, Willians e D'Alessandro (Ygor, 40'/2ºT); Alan Patrick (Jorge Henrique, 23'/2ºT), Alex (Ernando, 12'/2ºT) e Rafael Moura. Técnico: Abel Braga.
SANTOS: Aranha, Cicinho, David Braz, Bruno Uvini e Mena. Alison (Souza, 17'/2ºT), Arouca e Lucas Lima; Rildo (Geuvânio, 31'/2ºT), Thiago Ribeiro e Gabriel (Leandro Damião, 31'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
ARANHA - Grande defesa na cabeçada de Juan. No gol de Rafael Moura ficou indeciso se ia para evitar o cruzamento ou ficava dentro da pequena área: 5,5
CICINHO - Sofreu na primeira metade do primeiro tempo. Depois melhorou na marcação. Longe de ser o lateral forte no apoio: 5,0
DAVID BRAZ - Levava a melhor sobre Rafael Moura, porém contribuiu na falta de marcação no lance do gol colorado: 5,0
BRUNO UVINI - Também não achou o centroavante adversário no gol. Tentou nas bolas paradas ser o homem surpresa: 5,0
MENA - Errou tudo. E tem leitor que acha que pego no pé do chileno. Levou um drible desconcertante no meio das pernas e nem a marcação, sua única qualidade, ele reeditou. Lateral super-estimado porque joga na Seleção do Chile. Ainda foi expulso: 3,0
ALISON - No começo do jogo apareceu na frente em algumas oportunidades. Não reeditou sua brilhante capacidade de marcação: 5,0
AROUCA - Só apareceu na saída de bola rápida quando o time estava atrás no marcador. Não conseguiu fechar os espaços de D'Alessandro no primeiro tempo : 5,5
LUCAS LIMA - Errou muitos passes no primeiro tempo. Melhorou na etapa final. Dele aconteceu a finalização mais perigosa: 6,0
RILDO: Apagado. Um Tupãzinho. Só joga bem se sair do banco: 4,5
THIAGO RIBEIRO: Tem jogado melhor pelo lado direito do ataque. Deu bela assistência para Leandro Damião, no fim do jogo: 5,5
GABRIELErrou alguns passes que para quem tem sua qualidade, não é comum: 5,0
SOUZA Ainda não justificou a sua contratação. Só apareceu nas bolas paradas: 5,0
LEANDRO DAMIÃO - Entrou bastante participativo na partida. No momento de se consagrar não chutou de esquerda e perdeu o gol - 4,5
GEUVÂNIO - Colocou uma bola nas pernas do marcador, mas quase não pegou na bola: 5,0
OSWALDO DE OLIVEIRA: Demorou novamente para mexer no time. Conseguiu fazer um esquema que marca bem a frente da defesa, porém, não consegue fazer um time forte principalmente fora de casa. E outra, tava na cara que Mena seria expulso. Tinha que ter sido substituído - 5,0
                                         http://www.strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by