FOTO CAPA

O SANTÁSTICO DE SAMPAOLI ENCANTA NOVAMENTE E SEGUE 100%

Publicado à 00h00 desta sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019.
O Santos segue 100% no Campeonato Paulista. Os 'meninos de Sampaoli' golearam pela segunda vez na competição. A vítima dessa vez foi o Bragantino. A partida foi realizada em Bragança Paulista válida pela quarta rodada. Os gols do Peixe foram de Sánchez (2), Derlis e Jean Mota. O time coleciona quatro vitórias com 11 gols marcados e apenas um sofrido. Mais do que os números, o que mais impressiona e agrada em tão pouco tempo é o desempenho.

O técnico Sampaoli manteve a base do time que terminou o clássico diante do São Paulo, domingo (27). O 'mago' treinador argentino, sacou Orinho da lateral canhota, manteve Copete de ala com a trinca de zagueiros: Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Felipe Aguillar e na frente, poupou Soltedo e deu chances ao 'menino' Arthur. Pituca suspenso, não atuou.

Nos primeiros minutos, ao contrário dos outros jogos, o alvinegro da baixada teve uma leve dificuldade para começar a agredir os donos da casa. Marcelo Veiga, técnico do Bragantino, tentou fazer uma marcação alta nos defensores do Santos, mas foi questão de tempo apenas para o líder da competição, impor seu ritmo. 

Foram oitos chances claras de gol só na primeira etapa e aos 37 minutos, Sánchez chutou de fora da área e a bola desviou num adversário para o placar ser aberto. Foi a senha para a goleada.

O Bragantino que sabia das suas limitações, resolveu sair para o jogo e enfrentar o Santos de 'igual para igual'. Foi a pior decisão. Em três minutos (44 e 47) sofreu mais dois gols e o alvinegro mais famoso do mundo desceu para o vestiário com um sonoro 3-0.

Na segunda etapa, o Santos sob a batuta do seu exigente treinador manteve o ritmo e aos 9 minutos, Arthur sofreu pênalti convertido por Sánchez de cavadinha (ficou nervoso o Uruguaio). Em seguida, as alterações começaram a aparecer, a concentração não foi a mesma e o Bragantino diminuiu. Foi o primeiro gol que o Peixe sofreu na competição. 

Sandry de 16 anos estreou nos profissionais.
Novamente, as linhas compactas, a marcação alta, um time organizado, sabedor do que deseja. Para Sampaoli, não teve adaptação, reforços ou coisa parecida. Ele demonstra estar acima dos padrões dos técnicos brasileiros e dá demonstrações que vai realizar um grande trabalho. 

E para não dizer que 'não falei das flores', a direção do clube não pode 'dormir em berço esplêndido' e deixar de se empenhar em reforços de qualidade. Durante a entrevista coletiva após a partida, Sampaloli voltou a se queixar de um centroavante. 

Campeonatos, títulos se conquistam com elenco bom, não só com um time que ainda tem carências. Se a direção der qualidade, com alguns poucos reforços, mesmo com a disparidade financeira em relação a alguns adversários, o Santos tem tudo para encantar ainda mais e ser protagonista na temporada. O início é mais do que promissor. 

No domingo (3), às 19h, o Peixe volta a campo, diante do Ituano, em Itu. Em seguida começa a maratona de três competições simultâneas. O time viaja para o Piauí e enfrenta o Altos pela Copa do Brasil, no meio de semana. Depois, joga sábado (9), em São Paulo, diante do Mirassol e parte após o jogo para o Uruguai,  e estreará na Copa Sul-Americana, diante do River. Se não quantificar e principalmente qualificar o elenco, vai ser difícil manter essa intensidade tão gostosa e que há muito tempo não se via no futebol do país.

FICHA TÉCNICA
BRAGANTINO 1 X 4 SANTOS
Estádio Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)
Árbitro: Lucas Canetto Bellotei
Público e renda: 5.862 pagantes/ R$ 218.970,00
Cartões amarelos: Matheus Peixoto (BRA), Gustavo Henrique (SFC)
Gols: Sánchez (37'/1ºT) (0-1), Derlis (44'/1ºT) (0-2), Jean Mota (47'/1ºT) (0-3), Sánchez (9'/2ºT) (0-4), Wesley (17'/2ºT) (1-4).
BRAGANTINO: Alex Alves; Itaqui, Lázaro, Edimar (Juliano, no intervalo) e Acácio (Klauber, aos 18'/2ºT); Léo Rigo, Magno e Rafael Chorão; Vitinho (Esquerdinha, aos 11'/1ºT), Wesley e Matheus Peixoto. Técnico: Marcelo Veiga.
SANTOS: Vanderlei; Luiz Felipe, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz (Yuri, aos 30'/2ºT), Sánchez, Alison, Jean Mota e Copete; Arthur (Soteldo, aos 19'/2ºT) e Derlis (Sandry, aos 43'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

Sampaoli realiza grande trabalho e dá resultados em curto espaço de tempo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Não foi muito exigido. Tem evoluído na saída de bola com os pés. Sem culpa no gol sofrido. - 6,0
Luiz Felipe: Seguro na saída de bola, bem na marcação e ainda curtiu uma de ponta-direita no primeiro tempo. Teria uma nota melhor, não fosse o deslize no gol do adversário, quando ele perdeu a bola. - 6,5
Felipe Aguilar: Bem como o zagueiro da sobra. A tendência é crescer. - 6,0
Gustavo Henrique: Bem na marcação. Foi dele o chute que originou o primeiro gol, quando a bola sobrou para Sánchez. - 6,5
Victor Ferraz: Muito inteligente quando avança e apoiava por dentro (pelo meio). Deu espaço na marcação no começo do jogo. Deve crescer ainda mais se Sampaoli, mantiver os três zagueiros, pois não terá tanta preocupação defensiva. Bela assistência no gol de Jean Mota. - 7,0
(Yuri): Entrou com o jogo decidido. Deu um pouco mais de proteção a defesa. - 6,0
Sánchez: Ditou o ritmo no meio campo. Ao contrário do clássico quando errou muitos passes, distribui lançamentos e voltou a jogar o que a torcida espera dele. Um gol de fora da área e uma penalidade bem batida. - 8,0
Alison: Voltou a marcar bem e ainda deu nova assistência para o gol de Dérlis. Quem diria. - 7,5
Jean Mota: Um dos jogadores que mais aproveitam a oportunidade de trabalhar com um técnico da qualidade de Sampaoli. Vive seu melhor momento no clube. Bem colocado para marcar um gol de cabeça. - 7,0
Copete: Com três zagueiros tem se virado bem como ala. Teve espaços e trocou passes com companheiros. Não comprometeu. - 6,5
Arthur: Ainda não foi o Arthur que tem dribles curtos e tem velocidade para ir para cima dos adversários, mas compensou com muita entrega, troca de posição com Dérlis e sofreu o pênalti que deu o quarto gol. - 6,5
(Soteldo): Ainda não reeditou a boa atuação de sua estréia diante do São Bento. Entretanto, quando entrou o jogo estava definido. Perdeu algumas jogadas individuais que tentou. - 6,0
Derlis: Marcou gols em todos os jogos desde que voltei. Muita velocidade, bem na tomada decisão na hora de finalizar e ajuda bastante a defesa na recomposição. É de uma entrega espantosa. - 7,5
(Sandry): Jogou pouco, mas não se impressionou com os adversários entrando com muita força para amedrontar o garoto de apenas 16 anos. Trata-se de um grande talento. Volante diferente que tem muita qualidade, principalmente na bola longa. - SEM NOTA.
Técnico: Jorge Sampaoli: O maior responsável pelo momento maravilhoso e até pouco tempo impensado da equipe. Os jogadores compraram a ideia do comandante técnico. Se lhe derem alguns poucos reforços, o Peixe terá condições de disputar todos os títulos que disputar. - 8,0


strutura.com.br



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by