FOTO CAPA

PEIXE QUEBRA TABU COM DIREITO A MAIS UM GOL DO "RAYO"

Publicado às 07h40 deste domingo, 15 de abril de 2018.
O Santos largou com o pé direito no Brasileirão 2018. De quebra, acabou com um incomodo tabu, pois, não vencia a sua primeira partida em um campeonato nacional há 12 anos. Nos embalos de sábado (14) a noite, no Pacaembu, o Peixe ganhou do Ceará por 2 a 0. Os gols foram de Pio (contra) e do "crioulo" Rodrygo.

Conforme o Blog revelou antecipadamente na tarde de sábado, Cittadini retornou ao time titular e foi a principal novidade na formação que começou o jogo. Com problema muscular, o meio-campista foi ausência nas semifinais do estadual, nos dois jogos diante do Palmeiras. Ele voltou na vaga de Renato.

O time de Jair Ventura, controlou o jogo desde o início. Pela primeira vez na temporada, senti uma equipe sem dificuldades de propor jogo. Mesmo com algumas peças rendendo abaixo do que se esperam, o alvinegro dominava as ações, entretanto, exagerava nos cruzamentos altos, com jogadas oriundas dos lados do campo. 

Ainda assim, no final da primeira etapa, numa dessas jogadas laterais, Guedes cruzou, Rodrygo tentou de calcanhar mas não tocou na bola, a zaga adversária se atrapalhou e o goleiro chutou em Pio, aos 42 minutos e o placar foi aberto - 1 a 0.

No segundo tempo, Gabriel Barbosa, roubou a bola do defensor cearense e rolou para Sasha que cruzou na cabeça do novo "raio" Rodrygo. O camisa 43 só teve o trabalho de empurrar de cabeça para o fundo da rede e ampliar o placar aos 4 minutos - 2 a 0.

O Peixe ainda teve oportunidade de ampliar o placar, mas desperdiçou as chances. Os 12 mil pagantes (15 mil presentes), ao estádio Paulo Machado de carvalho, puderam ver novamente um time com seis jogadores formados na base de titulares, que apesar da qualidade técnica duvidosa do adversário, fez a sua parte e estreou da maneira que se espera, com vitória e sem correr riscos.

Quando Bruno Henrique voltar, a grande referência do time em 2017, quem deve sair do ataque titular?

No próximo sábado (21), pela segunda rodada do campeonato, o Santos enfrenta o Bahia, fora de casa, às 16h.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 CEARÁ
Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)
Público/renda: 12.268 pagantes (15.513 presentes)/R$ 526.550,00
Cartões amarelos: Rafael Carioca (CEA)
Gols: Pio (contra) (42'/1ºT) (1-0) e Rodrygo (4'/2ºT) (2-0)
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Cittadini (Vitor Bueno, aos 34'/2ºT) e Jean Mota (Diego Pituca, aos 40'/2ºT; Sasha, Rodrygo (Arthur, 30'/2ºT) e Gabriel. Técnico: Jair Ventura.
CEARÁ: Éverson; Pio, Valdo, Luiz Otávio e Rafael Carioca; Juninho, Ernandes e Ricardinho (Reina, aos 13'/1ºT); Wescley (Roberto, aos 23'/2ºT), Felipe Azevedo (Arnaldo, aos 40'/2ºT) e Arthur. Técnico: Marcelo Chamusca.

Com técnica refinada Dodô foi um dos melhores do jogo. O lateral também foi bem na marcação, sua principal deficiência.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Vanderlei: O melhor goleiro do Brasil nas três ultimas temporadas, foi um expectador de luxo. Nenhuma defesa difícil. O adversário não atacou. - 6,0
Daniel Guedes: Alguns passes errados, mas bem no apoio. Foi dele o cruzamento que originou o primeiro gol do jogo. - 6,5
Lucas Veríssimo: Bem colocado. Vive ótimo momento. - 6,5
David Braz: Jogou o simples, como diria meu amigo Allan Otacílio, o "arroz com feijão, bem temperado". - 6,5 
Dodô: Dono de uma técnica refinada, dessa vez no seu principal defeito, a recomposição defensiva, o ala também foi bem. Um dos melhores do jogo. - 7,0
Alison: Evolui a cada partida. Parou de dar pancada e joga apenas na bola. Bem posicionado,  protegeu bem a defesa. - 6,5
Cittadini: Bem fisicamente, o garoto revelado na Vila distribuiu o jogo e ajudou na criação das jogadas do ataque. Tem tido bastante intensidade e parece ter achado a sua melhor posição no campo. - 7,0
(Vitor Bueno): Jogou pouco mais de 10 minutos apenas. - SEM NOTA
Jean Mota: Alternou na partida. Gostei mais do primeiro tempo do camisa 3 santista. Quase marcou um gol de fora de área. - 6,5
(Diego Pituca): Finalmente estreou no time de cima. Um dos melhores jogadores do sub-23 santista em 2017, tem bola para ser útil na equipe de Jair Ventura. Também jogou pouco. - SEM NOTA
Sasha: O participativo atacante santista, esteve sumido na primeira etapa. No segundo tempo, deu a assistência para o gol de Rodrygo. - 6,5
Rodrygo: A noite era do "crioulo". O novo "raio" do time da Vila foi para cima da defesa, trocou passes, queria ajudar Gabriel a sair do jejum, deixando de finalizar várias vezes para passar para o Pacaembu e marcou seu quarto gol como profissional no estádio paulistano, o quinto na temporada. - 8,0
(Arthur): Apesar de ter jogado aproximadamente 15 minutos, pouco pegou na bola. A partida já estava decidida. Puxou um contra-ataque, mas bateu forte na bola. - SEM NOTA
Gabriel: Exagera e não de hoje, na individualidade. Errou quase tudo que tentou na partida. Completou seu sétimo jogo sem marcar um gol. A última vez que balançou as redes foi em 25 de fevereiro diante do Santo André. Roubou a bola do segundo gol santista. - 5,0
Técnico: Jair Ventura: Acertou em recolocar Cittadini no time. Não tem a técnica de refinada de Renato nos passes, mas tem mais intensidade. Podia testar Sasha centralizado e espetado na frente, já que Gabriel Barbosa não vive boa fase. Vecchio que nunca mais voltou por um minuto sequer ao time, desde que saiu, podia ter entrado na segunda etapa na sua real posição de segundo volante (e não armador) e testar Cittadini como coordenador de jogadas, já que o adversário não oferecia perigo algum e era uma oportunidade de se testar um meio-campo diferente. - 6,5


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by