FOTO CAPA

DO CAOS AO G-4

Publicado às 20h48 deste domingo, 4 de outubro de 2015.
Ao vencer o Fluminense por 3 a 1, na Vila Belmiro, com gols de Lucas Lima, Marquinhos Gabriel e Neto Berola e com a derrota do Palmeiras, em Chapecó-SC, proporcionaram ao Santos, pela primeira vez em cinco anos, após 187 rodadas, chegar ao G-4, a zona dos times classificados para a Libertadores com 46 pontos. O maior responsável por isso chama-se Dorival Silvestre Júnior. 

Quando Dorival assumiu o time no fim da primeira quinzena de julho, o Peixe lutava para não cair. Pouco menos de três meses, com a melhor campanha do returno, o alvinegro da Vila contraria a lógica e chega a zona de classificação a maior competição continental. 

Neste domingo (4), o time do eficaz, perdoem a empolgação e redundância, o eficiente Dorival Junior (13 jogos como mandante e treze vitórias) não precisou se esforçar muito. Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO "antecipou" no sábado (3), Daniel Guedes e Chiquinho foram confirmados como titulares e substituíram os lesionados Victor Ferraz e Zeca. Em 10 minutos, o time da casa já vencia por 2 a 0, em show de Gabigol e gols de Lucas Lima e Marquinhos Gabriel. Com os três gols de hoje o Peixe chegou a 102 na temporada.

Depois de ter feito dois gols, o Glorioso administrou o resultado, muito mais preocupado em não ter mais jogadores lesionados com o desgaste, do que efetivamente em aumentar o placar. Mesmo assim, Gustavo Henrique e Marquinhos Gabriel deixaram o gramado e afirmaram ao microfone da Rádio Capital - 1.040 AM, uma das duas únicas emissoras de rádio de São Paulo a transmitir o jogo do Peixe, se queixando de dores com possíveis lesões. 

O camisa 6 deixou o campo com suspeita de lesão no adutor e o meia com dores fortes no posterior da coxa direita. Ambos devem realizar exames no começo desta semana.

Ainda deu tempo de Neto Berola marcar um gol de cabeça e Robert diminuir para o tricolor carioca. Mas o resultado já estava consolidado, de forma justa, de um time que saiu do caos para a ressurreição, e hoje efetivamente tem o futebol mais vistoso do país.

O Campeonato Brasileiro para por 10 dias e o Santos só volta a jogar no dia 15 de outubro, diante do Grêmio, em Porto Alegre. Oportunidade para recuperar e dar descanso a boa parte do elenco. As exceções serão Ricardo Oliveira e Lucas Lima, na seleção principal, onde ambos se apresentam nesta segunda-feira (5) para os compromissos das eliminatórias para a Copa do Mundo e Gabriel, que vai servir a seleção olímpica que enfrenta a República Dominicana e o Haiti, ambos os jogos em Manaus. A se lamentar o fato de Zeca, com edema muscular não poder servir o selecionado sub-23.

Além de chegar ao G-4, o Santos está na semifinal da Copa do Brasil e nesta segunda-feira (5), acontece na sede da CBF, o sorteio dos mandos para saber se joga a primeira partida na Vila Belmiro ou no Morumbi diante do São Paulo.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 1 FLUMINENSE
Vila Belmiro
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Cartões amarelos: Daniel Guedes, Thiago Maia e Neto Berola (SAN); Pierre e Marlon (FLU)
Público e renda: 7.491 pagantes / R$ 298.780,00
Gols: Lucas Lima, aos 5'/1ºT (1-0); Marquinhos Gabriel, aos 10'/1ºT (2-0); Neto Berola, aos 38'/2ºT (3-0) e Robert, aos 46'/2ºT (3-1)

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, David Braz, Gustavo Henrique (Werley, 22'/2ºT) e Chiquinho; Thiago Maia, Renato, Marquinhos Gabriel (Neto Berola, 4'/2ºT) e Lucas Lima; Gabriel (Leandro, 38'/2ºT) e Ricardo Oliveira.

Técnico: Dorival Júnior.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Jean, Gum, Marlon e Victor Oliveira (Robert, 28'/1ºT); Pierre, Higor Leite e Gerson; Marcos Junior (Lucas Gomes, 26'/2ºT), Osvaldo (Magno Alves, Intervalo) e Wellington Paulista.

Técnico: Eduardo Baptista. 



Mesmo sem ter dado assistência ou feito gol, o volante Renato que não canso de escrever parece jogar de terno, fez brilhante apresentação.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Quase não trabalhou - 6,0
Daniel Guedes: Nova ótima assistência em cruzamento perfeito para o gol de Berola. Se conseguir melhorar a marcação, sua deficiência tem tudo para brilhar na carreira - 6,5
David Braz: Em sua centésima partida, só espanou uma bola no primeiro tempo. Partida bem regular - 6,0
Gustavo Henrique: Joga sério. Ótima colocação. Deixou o gramado com lesão no adutor - 6,5
(Werley): Rebatedor. Não comprometeu. Entrou e até marcou um gol que foi anulado - 6,0
Chiquinho: Sem ritmo de jogo. Bem na marcação. Não comprometeu - 6,0
Thiago Maia: Mais uma ótima partida do jovem meio-campista. Marca bem e sai pro jogo como poucos no futebol nacional - 7,0
Renato: Não errou um passe, acertou todos os lançamentos, se posiciona de forma perfeita a frente dos zagueiros. Joga de terno e sai do campo sem amassá-lo - 7,5
Marquinhos Gabriel: Vive ótimo momento. Ótimas trocas de passes, arrancadas maravilhosas pelo lado direito e ainda marcou um gol. Deixou o gramado de forma preocupante com dores no posterior de uma das coxas - 7,0
(Neto Berola): Deixou o lateral-direito improvisado Jean, até outro dia na seleção brasileira, maluco. Voltou a marcar de cabeça. Vive seu melhor momento no clube - 7,0
Lucas Lima: Estava ligado e contou com a sorte no primeiro gol, além de distribuir e ditar o ritmo no meio-campo alvinegro. Não canso de escrever, é o melhor meia em atividade no país - 7,5
Gabriel: Jogada sensacional no segundo gol. Saiu da bola, levou na força e na velocidade e deu assistência para o gol de Marquinhos Gabriel. Foi quem mais cresceu com a chegada de Dorival. Jogador importantíssimo - 7,5
(Leandro): Jogou poucos minutos - SEM NOTA
Ricardo Oliveira: Não marca gols há quatro jogos, entretanto, o Santos está mais organizado e não depende única e exclusivamente do melhor centroavante do momento no Brasil. Abriu muito espaço para os companheiros, principalmente pelo lado esquerdo - 6,5

Técnico: Dorival Júnior: Não tem como dar nota menor do que a máxima para um treinador que tira o time da zona do rebaixamento, sem reforços, sem Robinho, dá padrão a equipe, que hoje tem o futebol mais alegre do país e mesmo perdendo jogadores contundidos é altamente competitiva , luta para ir a Libertadores na Copa do Brasil, onde pode ser campeão e no Brasileiro, renasceu das cinzas. Parece ter nascido para treinar o Santos, assim como foi Lula, nos anos 60 - DEZ


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by