FOTO CAPA

OSÓRIO TEM RAZÃO: O MELHOR TIME NO ATAQUE

Publicado às 07h41 desta quinta-feira, 10 de setembro de 2015.
O Santos continua a sua busca ao G-4, algo que não acontece desde a 31a. rodada do Campeonato Brasileiro de 2010. Sem fazer esforço, goleou o São Paulo com facilidade na Vila Belmiro, na noite desta quarta-feira (9) por 3 a 0. Os gols do Peixe foram de David Braz, Rafael Longuine e do artilheiro Ricardo Oliveira, agora com 16 gols. O camisa 9 marcou seu 50o. gol com o manto santista, o 29o. dele na temporada.

O treinador Dorival Junior manteve o Peixe com quatro homens no meio-campo. Sem Geuvânio, que se recupera de contusão, o técnico achou melhor manter Rafael Longuine entre os titulares e deixou Neto Berola no banco. 

Os dois times começaram o duelo com muitos passes errados, entretanto quando Zeca acertou um cruzamento de falta na cabeça de David Braz, quando o defensor abriu o placar, o clássico praticamente foi selado. Virou ataque contra a defesa. 

Ainda no primeiro tempo, Renato tomou a bola do lateral esquerdo Reinaldo e serviu Gabriel, que deu uma assistência para Longuine ampliar - 2 a 0. Sem medo de errar, de todas as vitórias do alvinegro na era Dorival, na Vila Belmiro, com 100% de aproveitamento, essa contra o rival paulista foi a mais fácil de todas.

E tinha mais. Logo no início da etapa complementar, Victor Ferraz cruzou no primeiro pau e o Ricardo Oliveira, em estado de graça, se antecipou a defesa e ao goleiro Renan Ribeiro - 3 a 0. Daí em diante, o comandante técnico santista começou a preservar suas principais peças, pois o resultado estava mais que garantido. O Santos tirou o pé e o treinador sacou Ricardo Oliveira, Gabriel e o meia Rafael Longuine.

Com o resultado, o Glorioso da Vila fica a apenas um ponto do G-4, na sexta colocação. Se o Flamengo, vencer na noite desta quinta-feira, o Santos será ultrapassado pelo rubro-negro e cairá para o sétimo lugar. 

Para quem lutava para não cair, como a maioria dos críticos garantindo que o futuro santista em 2016 seria a série B, o Peixe contradiz a todos estes e vai lutar para ir a Libertadores da América. Tem duas opções: O Brasileiro e a Copa do Brasil.

O treinador São Paulino, após a vitória da sua equipe, no último sábado (5), diante do Internacional (RS), afirmou que o Santos tem o melhor time no ataque do país. Ele está coberto de razão. Dorival Junior, com os mesmos jogadores, fez do Santos um time mais do que competitivo.

Aliás, temos três certezas na vida - Que um dia a morte chegará, que o São Paulo sempre perde na Vila (não vence há seis anos - última vitória foi em 25/10/2009) e que Ricardo Oliveira não passa uma rodada sem marcar gol.

Para não dizer que não falei das flores, a nota triste foi o público. Apenas pouco mais de cinco mil ´pagantes. Que a diretoria contribuiu para isso ao majorar os valores para R$ 100,00 é fato, entretanto, na recuperação que a equipe tem feito, sem perder há 13 partidas, merecia um apoio muito maior do seu torcedor.

No próximo domingo (13), o Santos vai até Campinas, onde as 11 horas da manhã, enfrenta a Ponte Preta no estádio Moisés Lucarelli. Para o duelo diante da alvinegra campineira, Lucas Lima que se apresenta nesta quinta-feira (10) após servir a seleção brasileira é retorno garantido. Em compensação, Thiago Maia recebeu o cartão amarelo e desfalca a equipe.

O treinador do São Paulo, Juan Carlos Osório afirmou no sábado que o Santos tem o melhor time no ataque do país.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 SÃO PAULO
Vila Belmiro
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Renda/Público: R$ 342.290,00/5.552 pagantes
Cartões Amarelos: Thiago Maia (SAN); Wesley (SP)
Cartões Vermelhos: -
Gols: David Braz, 31'/1ºT (1-0); Rafael Longuine, 43'/1ºT (2-0) e  Ricardo Oliveira, 7'/2ºT (3-0)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Rafael Longuine (Serginho, 28'/2ºT); Marquinhos Gabriel, Gabigol (Marquinhos, 22'/2ºT) e Ricardo Oliveira (Nilson, 35'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior
SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Bruno, Lyanco, Edson Silva e Reinaldo; Thiago Mendes, Hudson (Wesley, intervalo) e PH Ganso; Wilder (Michel Bastos, intervalo), Rogério e Alexandre Pato (Centurión, 21'/2ºT). Técnico: Juan Carlos Osorio.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 

Vanderlei: Apenas uma ótima defesa em 90 minutos. O time da capital, não o exigiu. - 6,0
Victor Ferraz: Errou muitos passes, principalmente no primeiro tempo. Ótima assistência para o terceiro gol de Ricardo Oliveira. - 6,5
Gustavo Henrique: O dono da posição. Tomou conta. Como o ataque do São Paulo não agrediu, pouco teve trabalho. - 6,0
David Braz: Outro que perdeu bolas fáceis no começo do clássico. Abriu o placar e tinha até faixa pedindo-o na seleção de Dunga, no estádio. - 6,5
Zeca: Tem dado assistências constantes aos atacantes. No clássico não foi diferente e colocou a bola na cabeça de David Braz. E tinha gente no clube que iria liberá-lo de graça para o futebol norte-americano. - 6,5
Thiago Maia: Rouba bolas com facilidade, se apresenta no campo ofensivo. Fundamental no meio-campo. - 7,0
Renato: Até perguntei ao atleta ao final da partida se ele jogou de smoking. Aliás, eu creio que errei. O camisa 8 jogou de manto papal, tamanha classe. Não errou um passe, inclusive alguns de trivela. Está muito bem fisicamente. - 7,5
Rafael Longuine: Não vinha bem até marcar o gol. Fez o seu primeiro com a camisa santista. - 6,5
(Serginho): Enquanto Geuvânio se recupera, tem condições de ser o quarto homem de meio-campo. Entrou bem nos dois últimos jogos. - 6,5
Marquinhos Gabriel: Outro que brilhou no meio-campo. Chamou a responsabilidade e efetivamente é o 12o. titular de Dorival Junior. Não tem o mesmo brilhantismo de Lucas Lima, porém, eficiente uma vez mais. - 7,0
Gabriel: Bela assistência no segundo gol, o de Longuine. - 6,5
(Marquinhos): É o terceiro jogo que entra no decorrer da partida. Curiosamente, dois contra o tricolor. Jogador de qualidade técnica suspeita. - 5,0
Ricardo Oliveira: Teve apenas uma chance e na mesma deu uma aula de como se posicionar na área. Antecipou-se a três marcadores e marcou o seu. Foi o 50o. gol com o manto alvinegro. Artilheiro disparado do campeonato. No primeiro tempo deu uma bela assistência para Thiago Maia abrir o placar, mas o volante não conseguiu chutar. O homem clássico dificilmente deixa de marcar nessas ocasiões. - 7,0
(Nilson): Jogou apenas 10 minutos. - SEM NOTA
Técnico: Dorival Júnior: O grande responsável pela guinada que a equipe deu na competição. Deu padrão e deixou o time organizado. O Santos não sai com chutão da área, sai trocando bola. Recuperou Gustavo e "inventou" o ótimo Thiago Maia. Nasceu para dirigir o Santos. São 15 jogos a frente do time com 11 vitórias, 3 empates e apenas uma derrota. - 7,5

Apoio: 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by