FOTO CAPA

MAIS UM GOLAÇO DO PASTOR OLIVEIRA

Publicado às 22h26 deste sábado, 21 de março de 2015.
Aos 34 anos, o veterano Ricardo Oliveira chegou com olhares de desconfiança em Vila Belmiro por se tratar de um valor pequeno de salário para um jogador do nível de Seleção Brasileira. Mas bastaram apenas algumas poucas rodadas para se tornar o artilheiro do time no estadual, um gol mais bonito que o outro e o clube deseja renovar com o camisa 9 por mais duas temporadas, pelo triplo do que ele recebe hoje. Foi do centroavante santista a pintura do único gol deste sábado (21), com direito a chapéu no goleiro no estádio do Pacaembu, na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Audax-SP, pela 11a. rodada do Campeonato Paulista.
"Eu estou surpreendendo a muitos, menos a mim..." disse o centroavante ao microfone da Rádio Capital 1.040 AM na saída do estádio.
Aqueles mais de 9 mil pagantes e 11 mil presentes que comparecem ao próprio da municipalidade paulistana puderam assistir uma boa partida de futebol, ao contrário de muitos jogos do futebol nacional que dão sono. 

Foram dois tempos distintos. Na primeira etapa, o Peixe poderia ter goleado, mas pecou nas finalizações e na excelente performance do ótimo goleiro Felipe Alves. Até penalti cobrado por Geuvanio, o camisa 1 do time adversário pegou, porém, na segundo tempo, o ótimo e promissor Fernando Diniz mudou o panorama do duelo.

O Audax vinha de quatro vitórias seguidas e na etapa complementar, seu treinador, que foge da mesmice de colocar o seu material humano de pouca qualidade técnica atrás da linha de bola apenas para se defender, empurrou três homens nas costas de Cicinho e alugou o meio-campo. Com uma leitura de jogo privilegiada do seu comandante técnico, o time de Osasco que tinha escapado de uma sonora goleada nos 45 minutos iniciais, encurralou o Santos por mais de 20 minutos e se tivesse jogadores de melhor qualidade poderia empatar e até virar a partida.

O time de Marcelo Fernandes também se desgastou muito no primeiro tempo ao ser disciplinado ao marcar a saída de bola, mas isto cansa e muito. O confronto bem que poderia ser ser 4x3, 5x4 e não seria exagero pelos que os dois times criaram.

O time praiano foi pra 29 pontos e segue firme na lidernaça e busca permanecer na mesma até o fim da fase de classificação para poder decidir em casa nas quartas, semi e finais, caso chegue até a decisão.

Na quinta-feira (26), em Campinas, Valencia que cumpriu suspensão automática fica a disposição do treinador. Em compensação Robinho, que vai servir a Seleção Brasileira contra a França e o Chile, não joga as duas próximas partidas do Peixe contra a Ponte-Preta e o São Bento, no domingo (29) na Vila Belmiro. O Rei das pedaladas só retorna contra o SCCP, dia 5 de abril na Arena de Itaquera, pela penúltima rodada da fase de classificação do estadual.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 x 0  AUDAX 
Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), São Paulo (SP)
Data/Hora: 21 de março de 2015, às 16h00 (de Brasília)
Público/Renda: 9.113 pagantes / R$ 264.065,00
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Cartões amarelos: Cicinho e Lucas Lima (SAN); André Castro e Camacho (AUD)
GOL: Ricardo Oliveira, aos 18'/1ºT (1-0);
SANTOS: Vanderlei; Cicinho, David Braz, Werley e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel, aos 28'/2ºT), Robinho (Thiago Ribeiro, aos 42'/2ºT) e Ricardo Oliveira (Elano, aos 37'/2ºT). Técnico: Marcelo Fernandes.
AUDAX: Felipe Alves; Marquinho, Didi, Léo Bahia e André Castro; Francis, Matheus (Rondinelly, intervalo), Rafael Longuine (Thiago Silvy, aos 34'/2ºT) e Camacho; Gilsinho (Bruno Paulo, intervalo) e Ytalo. Técnico: Fernando Diniz.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Pegou até pensamento no segundo tempo - 7,0
Cicinho: Com exceção da assistência para o Gol de Ricardo Oliveira, errou muitos passes e cruzamentos. No segundo tempo sofreu com a avalanche do time de Osasco nas suas costas - 6,0 
David Braz: O único jogador da defesa que tem boa saída de bola. Comandou a retaguarda santista. Um dos líderes do elenco - 6,5
Werley: Rebatedor. Não comprometeu - 6,0
Victor Ferraz: Muito bem na marcação. Avançou pouco, mas ainda assim nas poucas vezes que apareceu no ataque conseguiu trocar passes interessantes - 6,5
Lucas Otávio: Trabalhou bastante no segundo tempo para socorrer na cobertura de Cicinho - 6,0
Renato: Partidaça do "tio". Marcou, desarmou, sofreu pênalti e não cometeu uma falta - 7,5
Lucas Lima: O que deu de assistência aos atacantes no primeiro tempo foi uma grandeza. Ainda teve vitalidade para marcar e conseguir alguns desarmes - 7,0
Geuvânio: Fez um primeiro tempo muito bom, pena que não concluiu com eficiência as finalizações, principalmente no cobrança de pênalti. Mas foi a melhor partida do camisa 45 nas últimas rodadas. Ele não marca um gol desde a estreia do Peixe na temporada contra o Ituano - 6,5
(Gabriel): Entrou para desempenhar a função do homem de velocidade pela direita do campo. Prefiro-o flutuando como um falso 9.  Jogou apenas 13 minutos - SEM NOTA
Robinho: Não foi tão participativo como em outras jornadas, mas as poucas vezes que apareceu deu assistências açucaradas aos companheiros que desperdiçaram-as. Deu outra linda caneta em um pobre marcador do Audax - 7,0
(Thiago Ribeiro): Entrou nos cinco minutos finais - SEM NOTA
Ricardo Oliveira: Que categoria e velocidade para decidir o que fazer no lance do gol. Ainda meteu bola na trave e hoje é um dos principais camisas 9 do país, sem medo de errar. Apesar de 34 anos, tem uma explosão que impressiona - 7,5
(Elano): Participou da partida por apenas 8 minutos - SEM NOTA
Técnico: Marcelo Fernandes: Demonstrou ser estudioso ao pedir aos seus atacantes a marcar a saída de bola do Audax. Completou a quinta vitória seguida no comando técnico, algo que não acontecia desde a época de Leão - 6,5


MODESTO CONFIRMA INFORMAÇÃO DO BLOG

"A sua informação está correta e não vamos matar o parceiro. Nós vamos cumprir o que está no contrato e a coisa precisa ser boa para os dois lados. Vamos amadurecer a idéia, mas pode ser que repassemos a partida contra o Londrina, pela Copa do Brasil. já que não pretendemos realizá-la em Vila Belmiro" assegurou o presidente ao Blog do ADEMIR QUINTINO.
O presidente alvinegro não pretende mandar a partida de volta pela competição nacional contra os paranaenses em Santos, e sim, levá-la para o Pacaembu ou interior, em razão de o jogo que antecede ao duelo ser em Vila Belmiro, pelas quartas de final do estadual e o posterior também em Urbano Caldeira, pela semifinal do Paulistão, caso o time se classifique. Sendo assim, o clube não jogaria três vezes seguida em oito dias na Baixada. 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by