FOTO CAPA

CAIU NA VILA

Publicado às 22h44 deste domingo, 30 de novembro de 2014.

O Santos fez as pazes com a vitória. Após nove partidas sem vencer e 42 dias da última vez que conheceu os três pontos, o time de Enderson Moreira bateu o Botafogo-RJ, no estádio da Vila Belmiro, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, por 2 a 0, com dois gols de Leandro Damião. De quebra, o resultado decretou o rebaixamento dos cariocas para a série B, do ano que vem.

O Peixe foi a campo sem Arouca e Geuvânio. E após o intervalo, Robinho revelou ao microfone da Rádio Terra de São Paulo (1.330 AM), que pediu para não voltar para a segunda etapa, pois, havia sentido dores no posterior da coxa esquerda. Leandro Damião entrou na sua vaga. O destino da partida começava a ser alterado.

Com dois minutos em campo, o camisa 9 recebeu dentro da área e girou para abrir o marcador. Daí em diante, o Peixe que fazia uma partida apenas razoável, perdeu inúmeras oportunidades e o time da estrela solitária na tática "Kamikaze" se mandou pro ataque e deixava espaços. 

Aos 44 minutos do segundo tempo, por ironia do destino, o jogador mais contestado do Santos nos últimos meses, decretava o rebaixamento do Botafogo que venceu o Brasileiro de 1995, através de um erro, mas de lá para cá, se apequenou, com dívidas, campanhas pífias e não ganhou mais absolutamente nada. Damião chutou de perna direita e decretou o resultado final - 2 a 0. 
"Muitas vezes eu fui deixado de lado. É claro que eu tenho a minha culpa, mas teve a contratação, teve um projeto que falaram que ia ter e as coisas mudaram. Eu sou um jogador que briga lá na frente e quero ajudar sempre a equipe", me disse o atacante na saída do gramado.
Curiosamente, a última vitória santista na Vila Belmiro, havia sido com gol de Leandro Damião. Foi no dia em que completei mil transmissões em jogos do Santos. O Peixe bateu o Bahia, no dia 9 de outubro, por 1 a 0, com um gol do atacante.

Para um jogo que pouco valia, finalizo com a seguinte conclusão. Nada vai trazer o título que a geração de G10vanni deixou de conquistar na década de 90, mas o mundo dá voltas e o mesmo adversário que perdeu o título através de uma irregularidade foi aquele que decretou a ida do alvinegro carioca a disputar a série B pela segunda vez em menos de 15 anos. A propósito, o Santos não fez mais do que a obrigação. Esse time do Botafogo é ridículo técnicamente.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 BOTAFOGO
Vila Belmiro, em Santos (SP)
Horário: 17h (de Brasília)
Público e renda: 4.269 pagantes R$ 126.750,00
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Cartões Amarelos: Júnior César (Botafogo)
GOLS: Leandro Damião, 3'/2T (1-0) e 44'/2T (2-0)
SANTOS: Aranha, Daniel Guedes, Edu Dracena, David Braz e Caju; Alison, Renato, Lucas Lima; Gabriel (Serginho 36'/2°T), Thiago Ribeiro (Diego Cardoso 28'/2°T) e Robinho (Leandro Damião - Intervalo). Técnico: Enderson Moreira.
BOTAFOGO: Jefferson, Regis, Dankler, André Bahia e Junior César; Airton, Gabriel, Andreazzi (Murilo 5'/2°T) e Ronny (Gegê 11'/2°T), Bruno Correa (Maikon - Intervalo) e Yuri Mamute. Técnico: Vagner Mancini.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Aranha: Ataque do Botafogo não faz mal pra ninguém. Não trabalhou. - 5,5
Daniel Guedes: Participou ativamente do segundo gol e fez bela estréia. - 7,0
Edu Dracena: Pouco Trabalho. Por cima, ganhou tudo. - 6,5
David Braz: Perdeu um gol incrível no primeiro tempo. Assim como seu companheiro, pouco foi exigido. - 6,0
Caju: Muito bem no apoio. Chegou até ser atrapalhado por Thiago Ribeiro. - 6,5
Alison: Marcou muito bem e ainda teve uma jogada no segundo tempo que fez tudo, roubou a bola, driblou e deixou Diego Cardoso na cara do gol - 6,5
Renato: Apenas regular. - 5,5
Lucas Lima: O "motor" do time. Evolui cada vez mais como coordenador de jogadas. Se o próximo presidente montar um time melhor, ele vai voar. Tem muita qualidade. - 7,0
Gabriel: Se movimentou bastante e abriu espaços na defesa adversária. Cabeceou uma bola na trave. - 6,0
(Serginho): Jogou apenas 10 minutos - SEM NOTA 
Thiago Ribeiro: Mal no primeiro tempo, melhorou um pouco na etapa complementar. - 5,0
(Diego Cardoso): Perdeu um gol e depois sumiu do jogo. - 5,0
Robinho: Com exceção de uma bola na caneta do zagueiro e a finalização defendida por Jefferson, teve uma atuação apática. Saiu lesionado. - 5,5
(Leandro Damião): Seus melhores 45 minutos com a camisa do Santos. Fez o que se espera dele - gols. - 7,5.
Técnico: Enderson Moreira: Já que deu chances a Daniel Guedes e a Diego Cardoso, deveria ter dado oportunidade ao goleiro Gabriel Gasparotto também. - 6,0.


Estádio 97

Ouça na íntegra a minha participação na programa na última quinta (27) clicando aqui.




                                        

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by