FOTO CAPA

APÁTICO

Postado à 01h40 desta segunda-feira, 10 de novembro de 2014.
Na derrota por 1 a 0, no clássico contra o rival SCCP, na Arena de Itaquera, neste domingo (9), o Santos foi uma caricatura mal feita de um time de futebol. Longe daquela equipe que jogou muito bem na última quarta-feira e quase foi a final da Copa do Brasil. O alvinegro da Vila só não levou uma derrota vexatória, porque do outro lado, estava o time de Mano Menezes que tem como lema que 1 a 0 é goleada.


O primeiro tempo do Santos foi uma vergonha. Ainda no início de jogo, aos seis minutos de partida, o zagueiro Bruno Uvini recebeu a bola e mesmo marcado, tentou driblar o adversário. Além de perder a mesma, ficou para trás após levar um drible desconcertante e Renato Augusto encontrou Guerrero livre na pequena área para fazer o único gol da partida. O primeiro chute a meta adversária do time de Enderson foi do volante Alison, já no final dos primeiros 45 minutos. 

Como nada é tão ruim que não posso piorar, o comportamento do Peixe foi ainda mais ridículo e inaceitável na segunda etapa. O meia Serginho deu lugar a Damião e o centroavante santista não recebeu uma bola boa para finalizar. Ainda assim, o Santos teve uma oportunidade para igualar a partida, porém Gabriel desperdiçou.

Domingo que vem (16), o alvinegro volta a campo, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro, às 17h, no estádio da Vila Belmiro. O time não vence há seis jogos, maior jejum na temporada. 

É inaceitável, mesmo com a condição emocional abalada pela desclassificação na Copa do Brasil, um time como o Santos, realizar 90 minutos de um futebol abaixo da crítica. É duro, mas não tem como fugir da realidade. É buscar terminar de forma digna a temporada nos cinco jogos que lhe restam e pensar em 2015. 


SCCP 1x0 SANTOS
Arena de Itaquera - São Paulo (SP)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Público/Renda: 31.089 pagantes/ 1.886.861,00
Cartões amarelos: Elias e Fagner (COR); Victor Ferraz e Edu Dracena (SAN)
Gol: Guerrero, aos 6°/1ºT (1-0)
SCCP: Cássio; Fagner, Gil, Felipe e Fábio Santos; Ralf, Elias (Bruno Henrique, 48'/2ºT), Petros e Renato Augusto (Danilo, 37°/2ºT); Malcom (Luciano, 29°/2ºT) e Guerrero. Técnico: Mano Menezes.
Santos: Aranha; Victor Ferraz (Cicinho, 11'/2ºT), Edu Dracena, Bruno Uvini e Caju; Alison, Arouca, Lucas Lima e Serginho (Leandro Damião - Intervalo); Rildo e Gabriel. Técnico: Enderson Moreira.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Aranha: Graças a ele e a incompetência do adversário, a derrota foi pelo placar mínimo. - 7,0
Victor Ferraz: Não acompanhou o centroavante Guerrero no único gol da partida. Salvou um gol certo, após rebote de Aranha e foi substituído em seguida. - 5,5
(Cicinho): Como de costume, apoiou mais do que seu antecessor, porém também deixou mais espaços na defesa - 5,0
Edu Dracena: Largou o lado direito da defesa na tentativa de cobrir os espaços deixado pelo seu companheiro de zaga, para auxiliar na cobertura de Caju, já que o SCCP vinha com três homens pelo setor - 6,0 
Bruno Uvini: Falha absurda no lance com Renato Augusto que resultou no gol de Guerreiro. Deixou Caju "na mão", pois não conseguia fazer a cobertura. - 4,0
Caju: Menino com muita personalidade e que tem potencial. Sofreu com a triangulação feita pelo seu setor que não tinha a cobertura de Uvini. - 5,5
Alison: Não comprometeu na marcação e ainda apareceu como elemento surpresa em alguns poucos ataques do improdutivo time santista nesta noite. - 6,0
Arouca: Não conseguiu ser o elemento surpresa na transição do meio para o ataque. Marcou bem. - 6,0
Lucas Lima: A única figura lúcida do time que tentou algo. Porém, uma andorinha não faz verão. - 7,0
Serginho: Estranhamente, ficou preso do lado direito, em uma espécie de ajuda ao lateral no apoio e ficou apagado. Não repetiu a boa atuação contra o Cruzeiro, no Mineirão. - 5,0
(Leandro Damião): Reclamam do camisa 9 e até com razão pelo alto investimento. Porém, não chegou uma bola boa para ele finalizar. -  5,0
Rildo: Apesar de ter jogado bem no meio de semana pela Copa do Brasil, voltou a sua regularidade ao fazer uma partida pífia. Não tem bola para ser titular do Santos. - 5,0
Gabriel: Tem potencial e realizou uma partida bem abaixo do que pode produzir. Anulado pelo ótimo zagueiro Gil. - 5,0
Técnico: Enderson Moreira: Demorou para realizar algumas substituições e a aposta na mudança do esquema com preenchimento de espaço para utilizar a velocidade não deu certo. - 5,0

                                                         


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by