FOTO CAPA

A ÚLTIMA CHANCE MATEMÁTICA

Postado às 15h05 deste sábado, 16 de novembro de 2013
Para o torcedor santista mais otimista, o Peixe ainda tem uma remota possibilidade de ainda lutar por uma vaga na Libertadores da América do ano que vem. Mas, para o sonho se tornar realidade, vencer as quatro últimas partidas que o clube vai realizar no campeonato, se faz mais do que necessário. Caso o clube consiga, algo que não fez durante o campeonato (vencer cinco partidas consecutivas), o Santos chegará a 60 pontos.

O técnico Claudinei Oliveira tem praticamente todo o elenco a disposição para escalar o Santos contra o Vitória/BA em Salvador, neste domingo (17), às 17h00. Cicinho e William José que estavam no departamento médico foram liberados, relacionados e estão à disposição. Entre os titulares, Mena na Seleção Chilena é o único desfalque.

Cicinho que treinou quarta-feira (13), mas não foi relacionado para o jogo contra o Bahia e não enfrentou o Vasco/RJ, não tem presença garantida entre os titulares mas viajou para a primeira capital do Brasil. Bruno Peres agradou e pode permanecer titular.

Já Willian José que torceu o tornozelo em lance bizarro no Maracanã,domingo passado, também é outro que deve ficar entre os suplentes. O ataque do Santos deverá uma vez mais ser formado por Geuvânio e Thiago Ribeiro.

O provável Santos que vai a campo será de Aranha; Bruno Peres (Cicinho), Edu Dracena, Gustavo Henrique e Emerson; Alison, Arouca, Cícero e Montillo; Geuvânio e Thiago Ribeiro.

Os 20 relacionados:

Goleiros: Aranha e Vladimir
Laterais: Bruno Peres, Cicinho  e Emerson
Zagueiros: Edu Dracena, Gustavo Henrique e Durval
Volantes: Alison, Arouca, Alan Santos e Marcos Assunção
Meias: Cícero, Montillo e Renato Abreu
Atacantes: Geuvânio, Thiago Ribeiro, Everton Costa, Willian José e Gabriel.

50 anos do bi-mundial

Há 50 anos, o Santos conquistava o mais importante título de sua história após perder o primeiro jogo na Itália e ganhar os dois últimos do Milan-ITA, no Maracanã. Detalhe, sem Pelé, que lesionado deu vaga a Almir Pernambuquinho,  um monstro na decisão.

Além de Pelé, Zito, Calvet e Geraldino não puderam jogar as finais, pois estavam contundidos.

Em Milão, os italianos venceram a primeira partida por 4 a 2. No jogo de volta, o primeiro tempo termina com o Milan vencendo dentro do Maracanã por 2 a 0. Dizem as más línguas que Maldini, Amarildo, Mazzola, Trapattoni e cia já comemoravam o título nos vestiários durante o intervalo, mas do outro lado estava o imaculado uniforme branco do Santos, que debaixo de chuva, voltou e virou para os mesmos 4 a 2 do primeiro jogo em apenas 25 minutos e provocou uma nova partida extra no Maracanã.

No jogo de 16 de novembro de 1963, o Alvinegro mais famoso do mundo, dava nova volta olímpica como bi-campeão mundial após nova vitória por 1 a 0 com um gol de Dalmo, após cobrança de pênalti.

Na decisão, o Peixe atuou com Gilmar; Ismael, Mauro, Haroldo e Dalmo; Lima e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Almir Pernambuquinho e Pepe do técnico: Lula.

                                                            http://strutura.com.br



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by