FOTO CAPA

SÓ FALTAM TRÊS PARA O TETRA


Postado às 20h37 deste sábado, 27 de abril de 2013.

O Santos é o primeiro semifinalista do Campeonato Paulista/2013. Após empatar em 1 a 1 com o Palmeiras no estádio da Vila Belmiro, o atual tri-campeão paulista despachou o rival nas cobranças de pênaltis por 4 a 2. O goleiro alvinegro Rafael defendeu duas cobranças efetuadas por Kléber e Leandro. O Peixe enfrenta o Mogi-Mirim na próxima semana, valendo vaga na grande decisão. O Sonho do inédito tetra permanece.

O Palmeiras começou melhor o clássico e até o gol de Cícero aos 12 minutos do primeiro tempo, mandava na partida. Mas, conforme o blog postou em primeiríssima mão às 14 horas deste sábado (27), Neymar foi confirmado e atuou os 90 minutos, mesmo no sacrifício. E foi após a joia santista receber dentro da área e bater de canhota, que Cícero pode desviar e inaugurar o placar.

Daí em diante, o Santos cansou de perder gols. Era para ter goleado e como o futebol não tolera desaforo, na base da garra, o alviverde da capital empatou a partida com um gol de Kléber a seis minutos do fim da partida.

O jogo foi para as penalidades máximas e o “pegador” de cobranças de tiro livre dos 11 metros, Rafael, fez a sua parte e defendeu duas das quatro cobranças do time palestrino e sendo assim, garantiu o Peixe entre os quatro melhores do campeonato para enfrentar o perigoso Mogi-Mirim (que venceu o Botafogo/SP por 6 a 0) na semana que vem.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 (4)X (2) 1 PALMEIRAS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 27/4/2013 – 16h15
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Renda/Público: R$ 443.755/14.172 pagantes
Cartões Amarelos: Renê Júnior, Neto (SAN); Henrique, Márcio Araújo (PAL)
GOLS: Cícero, 12'/1ºT (1-0); Kleber, 38'/2ºT (1-1)
Pênaltis:  Kleber (0-0); Miralles (1-0); Souza (1-1); Cícero (1-2); Wesley (2-2), Montillo (3-2); Leandro (3-2); Renê Júnior (4-2)
SANTOS: Rafael, Alan Santos (Neto, 14/2ºT), Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca (Marcos Assunção, 37/2ºT) e Cícero; Montillo, Neymar e André (Miralles, 15/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho
PALMEIRAS: Bruno, Ayrton, Henrique, Maurício Ramos e Marcelo Oliveira; Márcio Araújo (Souza, 21/2ºT), Léo Gago (Kleber, intervalo), Charles e Wesley; Vinícius (Maikon Leite, 24/2ºT) e Leandro. Técnico: Gilson Kleina.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Rafael: Um monstro na decisão por pênaltis – 9,0. 
Alan Santos: Improvisado, não conseguiu parar os ataques adversários na marcação pelo lado direito – 4,5. 
(Neto): Também improvisado, não conseguiu parar o veloz ataque palmeirense pelo lado direito da defesa – 4,5 
Edu Dracena: Fazia uma atuação perfeita até o gol palmeirense. Participou do gol de Cícero, mandou uma bola na trave ao melhor estilo atacante e fez 84 minutos perfeitos – 7,5
Durval: Rebatedor. Fez o arroz com feijão bem temperado – 6,5 
Léo: Muito bem na marcação. Se aventurou pouco ao ataque – 6,5 
Renê Júnior: A grande revelação do campeonato paulista deste ano – 7,5 
Arouca: Tem jogado (de forma errada e não deve ser lembrado mais pela Seleção por isso) como ponta-direita. O primeiro tempo dele foi excelente. – 7,0 
(Marcos Assunção): Entrou na vaga de Arouca que deixou o campo com dores. Jogou pouco, mas não conseguiu colaborar na marcação pelo lado direito no lance do gol de empate palmeirense – 4,0.
Cícero: Apesar de não ser centroavante, mostra oportunismo. Ótimo coadjuvante – 7,0 
Montillo: Primeiro tempo apagado. Alguns lampejos na etapa complementar. Raça argentina de sempre – 6,0 
Neymar: Visivelmente incomodado com as dores que quase o retiraram do jogo. Tanto no pé (publicado com exclusividade pelo blog), como na coxa – 6,5. 
André: Apesar de não ter recebido nenhuma bola que pudesse arrematar em gol, não consegue nem fazer a parede para tabelas – 4,0
(Miralles): Bem posicionado, fora de ritmo, perdeu duas belas chances de matar o jogo - 5,0 
Técnico: Muricy Ramalho: Dessa vez fez as três alterações durante a partida e mexeu certo. Não tinha peça do lado-direito da defesa para acabar com a única chance de o palmeiras atacar – 6,5.

Aposta

O atacante Maikon Leite apostou comigo um jantar para quatro pessoas na Picanharia Santista. Se desse Santos, como efetivamente aconteceu, ele arcaria com as despesas da conta.

Nos falamos no final da partida e na semana que vem as iguarias do local serão desfrutadas por este que vos escreve e pelos meus convidados (filho e esposa), tudo pago pelo atleta palmeirense.







 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by